Thursday, February 26, 2009

Portas


Perdi a conta às vezes que fiquei, por não querer partir.
Não sei quantas vezes me encontrei, de tantas me perder.
Volto sempre num final de tarde, mas na minha maré cheia.
As portas, essas fecho-as sempre que for preciso. Para as abrir num outro sítio qualquer...
Não sei se permaneço. O silêncio um dia me dirá se...

33 comments:

anamar said...

E como diz o poeta" há mar e mar ,é ir e voltar"...
è bom lê-la... e só há pouco dias a... descobri! É a "vovó"?
Ana

salvoconduto said...

Pelo menos não encerremos as portas que Abril abriu.

Abreijos.

samuel said...

Anamar:
Não, não é a vovó. A vovó está ali dentro, enquanto eu estou aqui "blogando". :-)))

Maria:
E que bela porta foste escolher como ilustração!
Andamos por lá quase todos os Domingos, vovó e eu.

Abreijos

Eduardo Aleixo said...

É um poema tão lindo!
Sim, Maria,o silêncio to dirá!
Dirá?
O mar, tão poderoso, que tu amas tanto, não te pode ajudar!
Tu sabes...
Un beijo.
EA

Joao P. said...

Maria:

Abrir ou fechar uma porta?

Tantas vezes passei (passo) por esse dilema...

é sempre bom passar por aqui

beijo

João

BlueVelvet said...

Quantas vezes penso isto?
Só não sei pôr em palavras tão bonitas.
Beijinhos

simplesmenteeu said...

Trazes-me de volta e falas de partidas...
Abres-me os braços e falas em fechar portas...

Mas, permanecer é preciso...

(Basta que feche eu as portas a mais de 30 de caminho...porque afinal comecei a fechá-las, no momento em que comecei a abrir as portas da internet...
e recomeçar é preciso...ou nem as pedras contarão a história)

Sempre estarei na maré cheia... à espera do

Abraço forte

A CONCORRÊNCIA said...

Não me fales em Portas que fico logo fora de mim . ;)

Lindo como sempre ...

Beijos

Octávio said...

O silêncio tantas vezes fala...

Abraço

Arabica said...

Maria,


E tantas coisas o silêncio nos diz!


Beijo

zmsantos said...

"E se todo o mundo é composto de mudanças, troquemos-lhes as portas
que ainda a tarde é uma criança..."

Beijos.

Amaral said...

A dúvida pode ser (des)esperança mas é também um compasso de espera para que se abra uma porta ou uma simples janela...
Talvez o silêncio das coisas e das pessoas ajude e dê um empurrão... e te faça lembrar que há algo que ainda não tens e que te faz muita falta...

utopia das palavras said...

Espera que o silêncio te dirá...certamente!

A verdadeira porta será a que tu escolheres para abrir!

Lindo!!!!!!

Um beijo

Apenas eu said...

"o silêncio um dia me dirá se..." está na hora de voltar para depois partir e voltar até um dia me encontrar. esse dia encontro-me e espero perder-me novamente porque é neste ir e vir que vivemos...

beijos

Lúcia said...

Nem sempre o silêncio dá as melhores respostas, Maria.è por isso que, por vezes, se abrem as portas erradas. É por isso que nos perdemos tantas vezes, às custas de nos querermos encontrar. Depois, um dia, olha-se para trás; quando soubermos melhor distinguir. E ler como deve ser todos os caminhos por onde andámos.

Beijinhos

elvira carvalho said...

a eterna insatisfação da essencia humana.
Um abraço e tudo de bom

Pico minha ilha said...

O mar saberá se no silêncio a porta se abrirá.:)) Beijo Maria

Justine said...

Assim a nossa vida: fechar portas, abrindo sempre e sempre outras. Mais largas, mais luminosas.

Fernando Samuel said...

Este é, talvez, o mais belo de todos os textos que escreveste.
(onde é que isto vai parar?...)



Um beijo grande.

Nilson Barcelli said...

Ainda pior que as portas, é a ilha que te cerca... que é, afinal, a grande porta...
Gostei do teu poema, muito bom.
Beijo.

Pitanga Doce said...

Já eu perdi a conta das vezes que parti querendo muito ficar...

Ana said...

São tantas as portas que fechamos, ao longo da vida...
Às vezes para evitar uma corrente de ar acabamos atabafadas...

Beijinho

Rui Caetano said...

O silêncio reserva-nos os melhores sonhos, os mais profundos anseios.

Agulheta said...

Maria! para este amr as portas devem estar abertas,porque abertas são a liberdade.
Beijinho

Lisa

Mar Arável said...

Minha cara Maria

Portas abertas

janelas escancaradas

para o mar

Estamos cá em Abril e Maio

nanda said...

Há sempre uma porta que se abre.
Bjs

Vieira Calado said...

Olá, amiga!

E onde é essa porta da gravura, creio que, sempre aberta?

Beijinhosss

lua prateada said...

Mas continuarás sempre voltando num final de tarde...está muito lindo miga.
Bjinho prateado

SOL

Maria said...

Vieira Calado

É em Aviz. E está sempre aberta, sim...
:)

Beijo

Maria said...

Obrigada pela vossa passagem aqui.

Beijos

mfc said...

Temos sempre dúvidas da certeza dos nossos actos.

Parapeito said...

Gostei :)
Gosto de portas que se abrem ...

bettips said...

Será "um silêncio", já não "o".
Mas que fiques maré e as escancares sempre!
Bj