Sunday, July 19, 2009

AS EMPADAS (ou, por sugestão aceite, Uma estória, entre outras, de umas empadas trazidas de Montemor-o-Novo para a Quinta dos Cuidados)

Finalmente o encontro. Marcado e cancelado várias vezes, para acertar datas. Vieram do centro do norte e do sul e o calor humano encheu a sala. Com uma vista a perder de vista. E sentaram-se à mesa, os doze que estavam e todos os que não estavam, para degustar as iguarias por que andavam a salivar há que tempos... e o pão de ló é bom com whisky.
Conversa franca e aberta. Falando de tudo e de nada mas aproveitando cada momento. Pedaços de vida contados vividos talvez sofridos, afinal a vida é tudo isto. E o convívio. E as viagens que se fazem e outras que imaginamos, com o mar logo ali em baixo, era azul, era mar, com certeza. E o calor pedia um mergulho. Mergulharam na conversa... e o pão de ló é bom com whisky.
O corpo a ficar mole. E a conversa a rolar, sobre tudo, sobre todos, e as crianças sempre ali as presentes e as que já o foram, porque sairam para o jardim. Para brincar, que é o que as crianças sabem fazer melhor. Devíamos aprender com elas, que ainda sabem sonhar e inventar estórias. E os nossos nunca mais se resolvem...
A criança que ficou na sala, cheia de crianças dentro, saltitava de colo para colo. Queria cantar e dançar, sei lá, talvez para espantar o sono que a invadia. Mas continuava a resistir. Ao sono. À conversa dos adultos, teimando em chamar a atenção para ela. E os nossos nunca mais se resolvem...
Depressa a tarde chegou ao fim. Ao tempo de partir. Seguiriam os doze que estavam e todos os que não estavam para o sul o norte e o centro. E vieram os abraços já com saudades do tempo que tinha sido aquele dia. De convívio, de camaradagem, de amena cavaqueira. Sempre regada com um excelente vinho.
O que tem o título deste post a ver com o seu conteúdo? Nada.
Mas as empadas são deliciosas, o pão de ló é bom com whisky e os nossos nunca mais se resolvem.
Ah, e não falei das empadas, que estavam excelentes...

62 comments:

Justine said...

Encantada com a crónica, Maria! Bem mereces os dois abraços e os quatro beijos da despedida a dobrar:))

Sérgio Ribeiro said...

Lá falar de empadas não falaste (ah!, não?), mas bem lhes fizeste a honra. E que bom provito te tenham feito...
Cá por mim, em alternância democrática, votava no puré de favas "à D. Fernando, o das Hortas".
E sempre, claro, na amizade, no convívio - c'est un joli nom, camarade -... e, também e como se viu e vejo denunciado, no pão de ló que é tão bom com whisky.
As crianças? Bem, essa é outra conversa... há as que já o foram e estarão a brincar no jardim, e as que, já o tendo sido, nunca mais se resolvem a!
Que belo texto, Maria, merecido e a merecer o pré-texto e o título, que, no entanto, me atrevia a corrigir e a aumentar: Uma estória, entre outras, de umas empadas trazidas de Montemor-o-Novo para a quinta dos cuidados.
E um grande beijo.

Maria said...

Justine

Para a próxima não te esqueças do Catupiry... pode ser queijo coalho, em alternativa...

:)))

Maria said...

Sérgio Ribeiro

Eu apenas não quis que os amigos que aqui vêm começassem a salivar... mas o puré das favas (ah, e o láparo e o anho e... sei lá...) estava excelente.
É que gosto de favas de todas as maneiras. Não importa como. Incluo aqui as cascas exteriores das ditas, que dão um belo esparregado...
Quem sabe se esta não é apenas a primeira de outras prosas... sobre montemor e suas virtudes e a quinta dos cuidados...

Beijo grande

Pedro Branco said...

O whisky dispenso, mas as empadas... a ver se trouxeste algumma. Com amigos assim... Eheheheh
Um beijo grande. Vou ao café, adivinha fazer o quê!

Maria said...

Pedro Branco

Do que eu te conheço não tinhas dispensado quase nada. Houvesse espaço estomacal...
Quando eu for às empadas (desta vez foram elas que vieram até mim) prometo que trago para ti. Metade das que trouxer, são para ti.
Um dia destes vou até ao leitão. Mas sabes que não se pode ter tudo, pelo menos ao mesmo tempo?

:)))

Beijos

Pitanga Doce said...

Bem, pelo que vi aí em um casamento as empadas de cá são diferentes e eu adoro as de camarão! Também chamam "empadas" às pessoas chatas lá nas Beiras. hehe

Quanto as comidinhas e bebidinhas acho que tomaste whisky com pão de ló e não ao contrário. hehehe

Agora alinhava numas empadas e num fino. Era já...

Ah, o papo deve ter sido animado e com ilustrações Paulistas. heheehe

bom final de domingo

mie said...

...e deu-te muito bem :)

adorei!


pão de ló com whisky?

hummm..., nunca provei e empadas, adoro empadas com café.

um beijo enorme

maria ilha das surpresas

Delfim Peixoto said...

!. adoro comer bem e do bom... abriste-me o apetite!

2. deixei este comentário "lÁ":

Maria, ando a fugir.... alguém uma vez me apelidou de " sabonete" por escorregar e ser dificil apanhar-me... kkkk .
Depois de ter sido " copiado" e ser "editado" no Brasil com outro nome... "finto" os plagiadores...
mas não dá muito resultado. Estou a pensar sériamente deixar a blogosfera . Apesar de me sentir bem por aqui, mas já tanta tinta e lágrima correu que dentro em breve vou "pedir a Reforma" e vou "asilar-me nos papéis"... Mas na verdade deves ser a minha mais antiga ( das mais antigas) comentadoras, pelo que tenho de arranjar um prémio especil, mas eu não sei fazê-los... vou ver se consigo!
Beijinhos e abraços condizentes com o tempo que nos conhecemos...

Domingo, Julho 19, 2009

Maria said...

Pitanga doce

Como estás enganada... nem sequer provei o pão de ló... a estória é outra, que tu não enxergas...

:)))

Maria said...

mie

Também nunca provei, mas alguém disse...

Se houvesse hoje aqui uma empada em frente de mim... deixava de existir rapidamente...

:))

... ainda te consigo surpreender? Boa!

Beijo, enorMiE

Maria said...

delfim peixoto

Vou lá... mas quero-te é a ti, não ao prémio... prometes que não foges para sempre?

Bjinhos

Rosa dos Ventos said...

E os nossos nunca mais se resolvem...:-((
É melhor falar de empadas e de pão-de-ló que deviam estar uma delícia! :-))
Adorei, Maria!

Abraço

Delfim Peixoto said...

Maria! Eu não fujo de ti... nem de ninguém... Sei lá se não fujo de mim... mas ainda ficarei por aqui; e mesmo que não ficasse, a ti não deixaria de visitar....
;)


besitos

Maria said...

Rosa dos Ventos

Já deves ter ouvido esta frase... :)

Um abraço grande

Maria said...

Delfim Peixoto

Ainda que fugisses acho que a gente te apanhava... :)
Mas não fujas de ti, pois é inútil. Melhor será dizer-te: encontra-te!

Bjinho

GR said...

Lindo texto.
Excepcional ementa.
Um prato de forte amizade, regado com palavras doces, salteadas com olhares cúmplices e sorrisos sinceros.
A sobremesa pelos vistos também não esteve nada mal; sorrisos de crianças, estórias presente, lembranças do passado, polvilhadas com confiança no futuro.
Quanto ao whisky, nada melhor para acompanhar que um cigarrinho!

Para quando a receita das empadas?

Um forte Beijo,

GR

Fernando Samuel said...

Aquele puré de favas, e as empadas,e o borrego, e o coelho (e as batatinhas), e o vinho de Almeirim: tudo (como dizia o outro) «provas da existência de Deus»... e os 12 convivas!

Bela crónica!

Um beijo grande.

Maria said...

GR

O cigarrinho é completamente dispensável, e tu sabes...

Quanto às empadas não haverá receita. Apenas uns km até Montemor... e podes juntar-lhe migas...

Beijos aí

Maria said...

Fernando Samuel

Exagerando, posso dizer que só faltaram... as migas...
... mas um dia destes vingamo-nos!

Um beijo grande

Oris said...

Gosto muito de ler a tua poesia, mas esta prosa está uma delícia!!

Também gosto de empadas...e de pão de ló...sem whisky...

:)))

Beijitos, Maria

Maria said...

Oris

Diz quem provou que "pão de ló é bom com whisky". Eu não sei. Não provei...

:))

Beijinho

Cris Caetano said...

E não era pra salivar? Eu salivei... :)

Nunca provei pão de ló com whisky, só com vinho do Porto e já estou a salivar de novo. Adoro empadas, as daí e as daqui (a massa é diferente)... e juntar comidinhas gostosas, amigos e conversa fiada é a melhor coisa da vida. :)

Beijinhos, Maria

Maria said...

Cris Caetano

É uma bênção... dos amigos...
Nada melhor que uma amena cavaqueira à volta de uma mesa. Nada... bom, quase nada...
:)))

Beijinho

samuel said...

"Escreve mais prosas, pequena;
Escreve mais prosas!
(E come chocolates!)
Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates.
Olha que as religiões todas não ensinam mais que a confeitaria."

Adorei a crónica!

Abreijo.

Carminda Pinho said...

Maria, mas que bela crónica do encontro dos amigos presentes e ausentes.
Mas afinal, havia empadas ou não?
Eheheh...

Beijos

vovó said...

Ó Amigaminha! e eu até que nem sou muito de comentários, como sabes, não resisto a confirmar o quanto foi bom tudo e tudo :) e o quanto é linda a tua prosa!tamanha, como teu coração!
boa semana :)!
beijocasssss

Maria said...

Samuel

Haja mais convívios, quem sabe... :)
Delicioso o teu comentário!
Mas... ainda se fossem umas empadas... ou umas migas...

Abreijo

Maria said...

Carminda Pinho

Empadas, se havia já não há. Voaram...
... porque se houvesse empadas, ai se houvesse empadas... ia ter contigo, LOL

Beijinhos

Maria said...

vovó

Vovódastuasnetas! E como nós gostámos da cavaqueira... e como foi agradável o dia de ontem...
Temos que repetir, rápido, para não perdermos o treino :))))
... quem sabe se mais cedo do que pensamos :)))

Beijocas

Ana said...

Acredito no belíssimo sabor das empadas e tudo o mais que se tenha comido e bebido.
Como acredito que nada terá sido tão bom como a boa companhia...

Beijinho

Maria said...

Ana

E sopa de favas, e coelho assado e... mais não digo. Não falo das sobremesas, creio que haveria umas 6 ou 7, não sei.
Ah, e os queijos...
Mas o melhor de tudo foi a companhia e a conversa...

Beijinho

A CONCORRÊNCIA said...

Dia em grande é o que se sente depois de ler este post. É o convivio, a comidinha e o nectar que a rega que fazem carregar as nossas baterias.

Beijo grande

Teresa Durães said...

gosto desses encontros onde a camaradagem preenchem os minutos

utopia das palavras said...

Belo convívio, e tu soubeste descrevê-lo com todo o sentido poético que tens dentro de ti...gostei demais! Também gostaria de provar o pão de ló com whisky, mas...!

Ainda vou voltar para o reler...devagarinho!

Beijinho

Rosa dos Ventos said...

Pois quem sabe, Maria?!
Quando menos esperares acontece!
E aí por diante...
Algumas das frases metem raiva, outras até que são simpáticas! :-))

Abraço

PreDatado said...

Eu não estive lá mas confirmo que o pão de ló é bom com whisky.

Só Eu (Ricardo) said...

Maria.
Consegues fazer com que a ausencia seja menos sentida. Fico sempre muito feliz por saber-te presente mesmo quando, por força das minhas obrigações laborais, me eusento tanta vezes.
Obrigado por seres como és!
Beijinho
Ricardo

Agulheta said...

Maria. Depois de uns dias aqui a ver como tratava este computador? anda tanta gente maldosa à solta? nem te digo,a opinião nem se deve ter. Vi amiga que estiveste em boa companhia,essa do pão de ló) era para alguem que adoçou o bico?se calhar.... se não for desculpa.
fica num gesto de amizade um beijinho amigo.

Ana Camarra said...

Maria

temos que combinar ir as duas para me apresentares essas empadas, está bem?

beijo

CS said...

Li, crónica e comentários, e fiquei a digerir amizade. Haverá melhor iguaria? A favada não está esquecida lá para as bandas de Abril. "Favas, Março as deu Maio as levou". Fica então para Abril?

Maria said...

a concorrência

Teresa Durães

utopia das palavras


Foi um dia bem passado. Cheio de tudo...

Beijos

Maria said...

Rosa dos Ventos

Pensei que já tinhas ouvido a frase da boca da Justine..
:)

Um abraço

Maria said...

PreDatado

Agulheta


São momentos que ficam, e o pão de ló com whisky deve ser bom, sim...

:)

Maria said...

Só Eu (Ricardo)

Quando te posso ler sempre que eu quiser não há ausências...

Beijinho

Maria said...

Ana Camarra

Assim que conseguirmos respirar um pouco, pego em ti e levo-te. É logo ali...

Beijos

Maria said...

CS

Fica então para Abril. Entretanto a gente vê-se por aí...
(e eu ainda digiro tudo...)

Obrigada (aos dois)

Cadinho RoCo said...

De tão deliciosas as empadas perdmitiram que o assunto escapasse por outras referências.
Cadinho RoCo

Baila sem peso said...

Com empadas ou sem empadas
Ficou mais que presente
Que o que mais importou
Foi o calorzinho bom de Gente!!
Ah...gosto de empadas
Embora o whisky dispense :)

E uma boa semana e parabéns
Que o teu dizer está excelente!!!

Beijinhos

Joao P. said...

Crónica perfeita!

Pão de ló e whisky?
Talvez...

Beijo

João P.

as velas ardem ate ao fim said...

Ehheheheh!!

bjos

Filoxera said...

Deu-te para aqui e muito bem.
Adorei o texto, desta vez num estilo diferente.
Beijos.

Barbara said...

Adultos não se resolvem.
Mas, voltando às empadas, só não me coça a inveja porque tenho cá uma querida vizinha portuguesa que faz empadas que são também excelentes.
Faz também tudo da culinária portuguesa, pastéis de Sta Clara, doces com amêndoas, e mais o que queira, ou o que queiramos.
Uma benção d'além mar ao meu lado.
Libânia, ela.
E seu texto é muito bom.
Obrigada.

Lúcia said...

Maria: e não é uma delícia cavaquiras assim? Amigos por perto, petiscos, amigos e dar à língua. Booomm...:)
Beijitos

Maria said...

Cadinho RoCo

Baila sem peso

João P.


Das empadas ao pó de ló o melhor mesmo foi o convívio...

:))

Maria said...

as velas ardem até ao fim

Filoxera


E este "deu-me práqui" começou a dar-me lá...

hehehehehehe

Beijinhos

Arabica said...

Ainda bem que te deu para aqui porque assim vais compreender se nos der para o lado da inveja das empadas, ora essa!! :)

Sabes, Maria, os governos caiem, os deputados são re-eleitos, há sempre novos livros a sair, o preço da luz aumenta, as nossas casas estão desvalorizadas, o nosso ordenado reduzido, a gente chateia-se todos os dias um pouco, a gente revolta-se, a gente pensa, a gente faz contas, a gente corre, mas na realidade o que importa mesmo é quando "a gente" reune à nossa volta, "a gente" que faz sentido estar ao nosso lado.

Bom, eu não sou personagem da tua estória, mas que queres? gosto de estórias destas :)

Beijos

Maria said...

Barbara

E que bom é ter desse lado de lá uma vizinha portuguesa que possa fazer os nossos petiscos...

Origada pela visita.

Maria said...

Lúcia

Ainda me lembro do que está prometido... com a Sal!
Já não sei qual é o petisco, mas isso não interessa nada... desde que estejamos!

Beijo

Maria said...

Arabica

Não és desta estória, quem sabe se um dia não o serás de outra...

:)))

Beijo e as melhoras da mão

Lúcia said...

Maria:
Enguias, mulher, enguias é o petisco:))

ZERO À ESQUERDA said...

Para a próxima que te levem também um bom vinho tinto aqui da minha cidade, conterrâneo dessas empadas que, como era de esperar,estavam deliciosas. Imagina com o tintinho! Abraço.