Tuesday, July 07, 2009

Palavras


Olho as tuas palavras e vejo-te em cada uma.
E sinto-as todas.
Leio-te devagarinho desatando cada nó que se faz.
E engulo-os todos.
Visto a inquietação o sufoco o cansaço a solidão.
E abro o meu peito.
Deixo-me sossegar no abraço que nos demos.
E no rio de que és feito.

28 comments:

samuel said...

Melhor... bem melhor do que ontem...

Abreijo.

Pedro Branco said...

Sabes da foz que recebe cada pedaço de mim?
Deste vazio que de noite me assalta?
Rasgo as palavras, o cravo, o fogo e a vida toda
Porque em tudo sou eu e me faz falta...

Sabes do silêncio que me grita em chaga?
Desta cruel inquietação que faz a noite sem fim?
Solto-me as correntes, as margens, os labirintos
Porque tudo sou eu, em cada pedaço de mim...

Onde param os ventos, Maria?

Apenas eu said...

Ventos?
Cheguei :))
Mais vendaval ou vento do Norte...
Aqui diz-se nortadas :)
Beijo Pedro

Maria nem sei da força que tens de tantos nós desfeitos mas sei do sossego do teu abraço e palavras...

Beijo Maria
GMTDPETMSV

Cris Caetano said...

Ai, Maria... ler isto causa-me suspiros. :)

Beijinhos

Menina do Rio said...

Leio as tuas palavras e fico sem palavras pra dizer...

Por isso calo-me, sopro um beijo do outro lado da Ilha e me vou.
Boa semana pra ti, Maria

elvira carvalho said...

Bonito e sem a carga de tristeza e amargura de ontem. Gostei mais.
Um abraço e tudo de bom.


À margem: Peço desculpa mas a morte faz parte da vida. No entanto se quiser deixar de ler a continuação, (faltam dois capítulos) eu entendo.
Um abraço

Fernando Samuel said...

Vês que valeu a pena esperar...

Um beijo grande.

Papoila said...

"...Abraços nos demos"

Muito bonitas as tuas sentidas palavras.

Um beijo
BF

Rosa dos Ventos said...

Tu engoles os nós e eu as lágrimas...

Abraço

utopia das palavras said...

A descoberta do abraço...nas palavras que senti, tão serenas!
Bonito, Maria!

Beijo

Oris said...

Deixo-me sossegar nas palavras de hoje, mais do que as de ontem....

:)

Beijitos, Maria

Delfim Peixoto said...

Cada dia mais as tuas palavras se tornam melodias....
bjnhs

Teresa Durães said...

lindo poema, como já nos habituaste!

Pico minha ilha said...

Maria só fico aqui neste abraço.Um beijo

salvoconduto said...

Sorte a tua sentires assim as palavras.

Abreijos.

Nilson Barcelli said...

O poema da reconciliação e do sossego... muito bem escrito, como é teu timbre.
Gostei imenso querida amiga, mesmo a ver-te engolir os nós... eheheh...
Beijo.

Ana said...

LINDÍSSIMO!

E o mais que se adivinha, por trás das palavras...

Beijinho

Filoxera said...

E há rios onde desaguamos com prazer :-)
Beijos.

Maria P. said...

Por vezes são nós complicados...

Beijinho, minha Maria*

Violeta said...

apressadamente passei para deixar um beijinho
Boa noite

isabel mendes ferreira said...

bendito este Nó!




-


beijo-te-!

Maria said...

Muito obrigada por terem passado aqui.

Beijos a todos

Anonymous said...

Gostei mesmo. Rio, que depois da procura revolta do leito natural, caminha suave e descuidado para a foz.
Reflete dois estados de alma, opostos, que se completam. Prazer imenso quando, ao primeiro, sucede o segundo.
Angustiada (cega) porque não quer ver o obvio.Mas, a seguir, "morrendo aos poucos de ternura".

Aten

Joao P. said...

Olho as tuas palavras e vejo-te em cada uma.
E sinto-as todas.

Fantástico!

Beijo

João

A.S. said...

Querida Maria...

A poesia é assim... um grito de alma que não pode ser sufocado!
Tem de ser vivido, compartilhado!!!

Que belo poema! Parabéns Poeta!!!


Beijos...

mie said...

Poeta.

é bom ver-te assim. em crescendo.

E


o amor, o amor!

Um beijo enorme

maria ilha dos amores.

Lúcia said...

'Leio-te devagarinho desatando cada nó que se faz' - todo lindíssimo. Mas isto - é pérola, Maria,
Beijinhos grandes

Baila sem peso said...

Muito intenso e profundo!
Dar de ti, ao rio tão fecundo!
Gostei do abraço a esse rio
De fio a pavio!!!

Beijo