Friday, July 17, 2009

Brecht, outra vez, porque é preciso...

Primeiro levaram os comunistas,
mas não me importei com isso
eu não era comunista.
Em seguida levaram alguns operários,
mas não me importei com isso
eu também não era operário.
Depois prenderam os sindicalistas,
mas não me importei com isso
porque eu não sou sindicalista.
Depois agarraram uns sacerdotes,
mas como não sou religioso
também não me importei.
Agora estão-me a levar a mim
Mas já é tarde...


(Bertold Brecht)

23 comments:

samuel said...

Bela lembrança... antes que seja tarde!

Abreijo.

Ana said...

Não estou a acreditar:
Tu não eras.....o quê?
Oooops, peço desculpa, não eras tu, era o Brecht.
Assim está bem.

Mas este é um poema que passou por várias mãos, sempre dolorosamente verdadeiro.
O egoísmo é assim mesmo.

Beijinho.

salvoconduto said...

Nunca tão oportuno...

Abreijos.

Pedro Branco said...

Sim. Antes que seja tarde.

A CONCORRÊNCIA said...

É por estas e por outras que eu faço sempre minhas as lutas contra as injustiças. Pena é que hajam tantos que não pensem como eu, que pensem tal e qual esta personagem aqui descrita por Brecht.

Beijo grande

mjf said...

Olá!
Anda meio mundo a pensar assim :=(

Beijocas

Licínia Quitério said...

Primeiro tiram-lhes o emprego, depois a casa, depois a vontade de ser gente, depois... E muitos ainda não perceberam que começa a fazer-se tarde.

Um grande abraço, Maria.

utopia das palavras said...

A eloquência de Brecht...!
Que se tirem as ilações necessárias!
Que se leia todos os dias...para que não se faça tarde!

Um beijo

Justine said...

Não te cuides, não!:))
Beijinhos

Teresa Durães said...

ah!! Como sabes, deste gosto!!

Fernando Samuel said...

Muito, muito oportuno.

Um beijo grande.

Mateso said...

eternamente verdadeiro , o poema e Bretch.
Bj.

mie said...

Sempre atenta com estes desvarios.

Um beijo enorme

Maria ilha

da liberdade

Leticia Gabian said...

Como é que é... Aquele senhor maluquete quer proibir os comunistas?

Faz-me rir!
Pra gente assim, só mesmo Brecht na cabeça!

Cris Caetano said...

E até hoje a maioria ainda não aprendeu a ser solidário com a injustiça alheia...

Beijinhos e bom fim de semana

Carlos Ramos said...

Sim, penso que já é tarde. Na verdade nunca foi oportuno este país...
Continuamos em infinitoatlantico.

abraço e obrigado

Meg said...

Mariiiaaa!
Há quanto tempo!
E de regresso, depois de o computador me ter pregado uma partida, vim ver-te e ler com muito prazer e alguma apreensão, o Brecht...
É preciso avisar, sim, Maria!

Um bom fim de semana.

Um beijo deste lado

Papoila said...

Será que não há ninguém que o leve a ele de vez (ao palhaço da madeira) ... é que há muito que é tarde.

Beijo
BF

Filoxera said...

Não sou muito conhecedora de poesia, mas li muito Brecht (influência paterna). Este é um dos que acho mais marcantes. E diz muito sobre a atitude do comum dos mortais...
Um beijo.

anamar said...

Mais uma vez, uma leitura de alta voz...
obrigada.
Bom fim de semana...que já deves estar nele.....
Beijinho

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram aqui.

Bom fim-de-semana.
Beijos

Carlos Pires said...

Grande Brecht!
Desgraçadamente os comunistas têm sido campeões mundiais a fazer aquilo que o poema diz. E não foram só o Estaline, o Mao e os outros parecidos a eles - o Lenine e o Trotsky no pouco tempo de que dispuseram também fizeram das boas.
Desgraçadamente o comunismo é tão inimigo da liberdade e da dignidade do homem como o fascismo!

Sugiro uma leitura à autora e aos comentadores deste blogue. "Homens em tempos sombrios", de Hannah Arendt. reúne vários textos biográficos de personalidades diversas - nomeadamente Rosa Luxemburgo e o "pobre BB", isto é, Bertolt Brecht nas palavras do próprio.

Se eu fosse comunista ou qualquer coisa próxima, depois de ler o texto sobre BB ia informar-me para ver se conseguia confirmar o que lá diz e, depois de confirmar (sim, já foi confirmado!), deixava de ser comunista.

clic said...

Ai, conheço tão bem...