Monday, July 06, 2009

Não sei quem és


Não te oiço nem te vejo.
Já nem reconheço o tom da tua voz.
Não sei quem és. As tuas palavras chegam-me falsas, sem o prazer ou o amor de outrora. Chegam apenas com dor.
Não te dás conta do fim nem entendes.
Já não te sinto, já não sei quem és, não te reconheço.
Pergunto-me se alguma vez exististe, ou se apenas sonhei. Porque mataste o sonho.
Perdi o olhar, perdi a voz.
Não falo! E ceguei...

30 comments:

Cris Caetano said...

Já me fiz essa mesma pergunta...

Sabes tocar fundo, Maria.

Beijinhos.

salvoconduto said...

Pois também eu estou cego, de raiva, ao assistir em directo das Honduras, os militares a impedirem que o avião que transporta Zelaya aterre em Tegucigalpa.

Abreijos

Mar Arável said...

Maria

a vida por vezes

só de olhos fechados

e esses não mentem

Delfim Peixoto said...

Bstava um olhar... bastava um sussurro, ou o som do vento para que eu ouvisse e não cegasse...



Quantas vezes assim não é, Maria...
Beijos...

amigona avó e a neta princesa said...

Saio mansinho...beijos...

A CONCORRÊNCIA said...

Todos nós somos mutáveis, ninguém se mantém igual para sempre. Por muito que nos doa, muitas vezes é impossivel evitar o afastamento ...

Um beijo Maria

clic said...

Às vezes penso que deve ser o que sentimos que desfoca a imagem...

Maria da Lua said...

Não interessa se "verdadeiramente" existimos. O que importa é que nos sonhamos mutuamente no dia-a-dia e é através desse sonho que coninuamos sempe.

atma atom said...

Diabos!!!
Conheço alguém que se queixa do mesmo ... :)
Atrevo-me a citar:
Archivado en: Citas Prem Rawat- Maharaji — Julio a las 5:38 am el Viernes
http://entuinterior.info/blog/s, Julio 3, 2009

”Y sólo cuando las personas sepan que existe algo como el corazón en lo más íntimo de su ser, empezarán a darse cuenta de que existe un motivo para ser bondadoso y considerado.

La gente se ha hecho de piedra. Lo único que creen que llevan dentro no es un corazón, sino una roca. Y tratan a todos los seres vivos, a todas las especies que habitan la faz de esta tierra, como si fueran de piedra.”
Prem Rawat-Maharaji

Obrigada pelo teu blogue.

elvira carvalho said...

Tão triste Maria...
Um abraço apertadinho.

ocäm said...

apesar dos bezerros de ouro
e do deserto
o coração
continua pulsando.
.
"Perdi o olhar, perdi a voz.
Não falo! E ceguei..."
.
(permite-me)
.
talvez tenha morrido.
não sei...
.
.
.
ocäm
.
.
bj
.

utopia das palavras said...

Darás outro sentido ao teu olhar!
Quero querer!

Gostei da firmeza das palavras!

Beijo

PreDatado said...

O caminho do esquecimento. Escreves tão belo.

Agulheta said...

Maria. Palavras sentidas,de um amor perdido no tempo,adorei.
Beijinho fica bem

rosa dourada/ondina azul said...

Foste fundo, Maria!


Deixo-te um abraço:)

Papoila said...

Continuamos sempre a sentir,
sempre a saber que é
...não queremos
mas continua sempre ali.

Um beijo amiga
BF

duarte said...

quando se perde a descoberta, perde-se a aventura e da viagem só sobram fragmentos...
se cegamos para ver dentro, os fragmentos contam sempre estórias.
esquecer...nunca.
abraço do vale

Rosa dos Ventos said...

Belo poema, bela imagem!
Ainda bem que a cegueira é apenas metafórica...

Abraço

mdsol said...

Pois é, Maria. Acontece. Mas só acontece a quem ousa. A quem vive de mãos acesas... Escreves tão bem!
beijinho

:))

Baila sem peso said...

Perder todos os sentidos
Morrerem os sonhos de outrora...
Talvez Maria, seja curta a hora
e o teu dizer bonito, seja apenas
um leve passar, de dores e penas...
e amanhã, teus olhos virem açucenas!

Uma semana cheia de miminhos
Beijinhos

Sofá Amarelo said...

Já me aconteceu... e depois vi que a Vida e uma surpresa e que tudo se pode repetir... tudo menos a morte!

Muitos beijinhos!!!

Maria P. said...

Palavras tuas, sentidas por mim...

Beijinho, minha Maria*

Pico minha ilha said...

Acho que também estou um pouco perdida Maria.O tempo está horrivél por aqui, preciso duma bufada de ar fresco e um sol com raios bem brilhantes a olhar o mar.Um beijo Maria, boa noite.

Apenas eu said...

entranhei-me de tal forma nas tuas palavras que as transportei para mim...
eu apenas sonhei... e mataram-me o sonho mais lindo.
Mas não ceguei, agora vejo bem melhor, e antes de sonhar certifico.me que é mesmo um sonho que quero e certifico-me ainda que depois vou acordar em casa e tudo vai estar sempre no seu lugar...

beijo Maria
Adoro quando te dás assim ás Tuas Outras Palavras...

Maria said...

Obrigada a todos que passaram aqui.

Beijos e boa semana

Pitanga Doce said...

POr vezes amamos o sonho...

Fernando Samuel said...

Procura, espera... talvez as palavras regressem...

Um beijo grande.

Ana said...

Alguns sonhos morrem de vez.
Outros, que pensávamos extintos, renovam-se para nos acompanhar até ao fim da vida...

Beijinho

Filoxera said...

Há amores que chegam ao fim. Há dores marcantes demais.
Mas a vida é feita de mudança e tudo pode acontecer.
Um beijo.

Lúcia said...

Doeu-me, ler-te.
Dói quando os espelho das tuas palavras mostra... algumas sombras!!

Abraço forte