Sunday, August 16, 2009

mÃe


Rompes-me o corpo com o teu olhar
De cada vez que sou horizonte
Entrego-me, mãe, ao teu acordar
Como um rio que regressa à fonte

Nas mãos, o teu silêncio de ninar
No sorriso, um abraço em ponte
Entrego-me, mãe, de novo ao teu olhar
De cada vez que sou horizonte

Saliva de palavras por fechar
Seiva de dentro, em verso e monte
Rompes-me, mãe, o corpo no teu acordar
Como um rio que regressa da fonte

(Post totalmente 'surripiado' ao Pedro Branco)

30 comments:

Maria said...

Ó Mãe, o que é o medo?
Uma das dozes palavras.
Não vês que esta dor dói?
É outra das doze palavras - saudade.

Para ti, Pedro. Com todo o meu amor.
E o nosso abraço, forte. Sempre.

viajante said...

Carmen, Letícia, Maria.
S.Salvador, Sintra,...
E assim aqui volto.
Abraço

samuel said...

Muito bom!

Abreijo.

FERNANDA & POEMAS said...

QUERIDA MARIA, BELAS PALAVRAS, NUM BELÍSSIMO POEMA AMIGA... ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

Fernando Samuel said...

E bem «surripiado»...

Um beijo grande.

Justine said...

Muito belo, o poema surripiado!

mfc said...

Lindo o poema dedicado às nossas Mães!

A.S. said...

Querida Maria...

Um belissimo Poema!!!


Beijos...

Filoxera said...

Compreendo :-(
Seguiu mail. Ontem.
Beijos.

mariam said...

Maria,
e Pedro,

belíssima homenagem à(s) 'mãe'(s)!

um grande abraço e o meu sorriso amigo :)
beijinho
mariam

Sofá Amarelo said...

Quando se trata de MÃES nada é surripiado!!!

Muitos beijinhos!!!

Eu said...

lindissimo...!

salvoconduto said...

Com a nova "ordem" que querem impor na NET estavas tramada...

Abreijos.

Carlos Ramos said...

Belissima composição. Infelizmente o olhar da minha já se apagou. E é sempre antes do tempo, e não podemos fazer nada, nada. Só tremer de saudade... Espero que estejas melhor.

Abraço.

rosa dourada/ondina azul said...

Belo poema!

As mães tudo merecem!


Beijo com amizade,

Maria P. said...

...beijinho, minha Maria*


:)

pin gente said...

na dor,
abraçamo-nos maria!
deixo-vos o (meu) carinho
que ambos conhecem
e um beijo
luísa

Papoila said...

Obrigada amiga Maria pelo permanente carinho que sinto da tua parte. Tenho andado um pouco distante, ao sabor do vento ...ainda vou me encontrar.

Um grande Beijo
BF

Pitanga Doce said...

Já estás de volta ao mar ou ainda caminhas pedras da Serra?

Luis F said...

Um excelente momento poético...

Parabéns pela beleza das palavras

Com amizade

Bj
Luis

Baila sem peso said...

Mãe...só no ler sabe bem!
Tanto que essa palavra contém!

Versos lindos que aqui ficam tão bem!

Beijinhos e boa semana como convém

utopia das palavras said...

Rompo de emoção...!
Poema terno, de construção soberba! Lindo!

Beijo ao surripiado e
beijo à surripiadora

heretico said...

beijo...

poema muito belo.
fizeste bem em dar a conhecer...

Apenas eu said...

ó mãe o que é o medo?
li-te Maria...
gostei tanto dessa canção...

este poema do Pedro é intenso como tudo o que o Pedro escreve... mas este poema, hoje e agora rompe-me o corpo.

Um grande abraço Maria
Um beijo enorme ao Pedro com o calor e força de um abraço.


hoje doi muito... Mãe...

pico minha ilha said...

Beijinhos para os dois e para todas as mães.

anamar said...

Maria,
mesmo do outro lado do Atlantico, nao consigo desligar...
Um beijinho e belas palavras..

Fernando Santos (Chana) said...

Olá Maria, belo poema...Espectacular....
Beijos

Rosa dos Ventos said...

E eu repito:
- Belo poema!

Abraço

Violeta said...

Ainda bem que "surripiaste" o poema e o publicaste.
bjs

maré said...



um beijo