Monday, August 31, 2009

Um amor sem medida


Não meço as saudades que te tenho. Não posso. Porque não têm medida.
Já sequei as lágrimas que me faziam rio. Agora só o brilho do olhar me denuncia.
Todos os poemas de amor que escrevo são para ti. Porque foste o amor primeiro.
E porque amor primeiro, o mais menino, o mais verdadeiro. O mais criança, ainda. Hoje.
Por que tem que ser assim, por que foi assim, não sei.
Porque te perdeste de mim se eu nunca te perdi…
E porque me perdi de ti se tu nunca me perdeste…
Ah, se eu soubesse responder…
Chovo, outra vez. Não meço as saudades que te tenho. Porque não posso.
Porque o nosso amor é um amor sem medida…

Respirei, outra vez.
Às vezes sufoco de me ler. Ou de te ler. Ou de ler por aí…
Agora respiro!

39 comments:

Fenix said...

Fiquei de lágrimas nos olhos...
Sem mais palavras...

paula barros said...

Maria esse amor sem medida, é chuva que inunda até quem ler, é faísca que nos queima o peito, é trovão que estremece um velho coração.

Mas de tudo fica a certeza, é imenso a beleza da escrita.

paula barros said...

Fechei o comentário e estava relendo, e suspirando.

"Porque te perdeste de mim se eu nunca me perdi…
E porque me perdi de ti se tu nunca me perdeste…"

aplausos, não para sua dor, para a beleza e grandeza do poema

Sofá Amarelo said...

As saudades não têm limite... deambulam por caminhos tortuosos onde nenhum GPS consegue indicar a direcção exacta... acho que as saudades que mais doem são as saudades do... futuro!

Muitos beijinhos!!!

samuel said...

"Agora só o brilho do olhar me denuncia."

Sacana de frase bonita!...


Abreijo.

Violeta said...

Como compreendo a tua dor e o teu sentir...

~*Rebeca e Jota Cê *~ said...

Adorei!

Teresa Durães said...

o reencontro dessa cumplicidade nas palavras! e a paz que envolve

Teresa Durães said...

o reencontro dessa cumplicidade nas palavras! e a paz que envolve

amigona avó e a neta princesa said...

E eu fico perdida cada vez que aqui venho e leio o que escreves!
Maria, as palavras são lindas de morrer!!!

Esta semana amiga, esta semana é de TRABALHO!!!
Beijos - estou quase, quase a dar aquele abraço! Beijos...

Eu said...

Está lindo ;)
- o amor maior..!? Abracos

Justine said...

As tuas emoções em ebulição fazem-me gostar ainda mais de ti, amiga!
Beijo

Fernando Samuel said...

O amor sem medida é assim...

Um beijo grande.

Maria P. said...

Maria...esta (em particular) é uma semana que não respiro, sufoco! Saudades sem medida de quem me faz tanta falta, a Mãe...


Beijinho, minha Maria*

Cris Caetano said...

Ai, Maria... deixaste-me sem palavras...

Um grande beijo.

A.S. said...

Maria...

A saudade dói! Eu sei!...
e tal como o amor, não tem medida!


Um abraço...

nanda said...

Que lindo amor!

CNS said...

Levo daqui a chuva que me pingaste nas mãos. Belo, Maria. Muito belo

um beijo

anamarta said...

Que Lindo! Gostei de passar por aqui! A saudade já morava em mim!
Um beijo para ti.

A CONCORRÊNCIA said...

Será a saudade um sentimento que pode ser mensurável ? e a capacidade que existe dentro de cada um de nós de amar os outros, será que pode ser medida ? Será que estes dois sentimentos estão interligados ?
Eu acredito que sim.

Beijos para ti Maria que tens um coração do tamanho do Mundo.

Filoxera said...

Merecias não ter de sofrer assim...
:-(
Um abraço grande.

Arabica said...

O amor não tem medida em ti, Maria.

Um abraço.

margusta said...

Maria...como, me revejo aqui...em cada palavra...só que diria..o meu não é menino...é o de Mulher-primeiro...

Abraço grande lá no Búgio!

Joao P. said...

Honestamente, não tenho palavras

Belo!

beijo

João P.

Fernando Santos (Chana) said...

Olá Maria, belo momento...Espectacular....
Beijos

Lúcia said...

Ainda bem que choveste para aqui, Maria!Lindo!
Mas todas as gotas serão recolhidas. Porque são gotas de pétalas. mais do que de chuva.
beijinhos

Meg said...

Maria,

Voltei! Agosto já lá vai, a canícula continua, mas a "loucura" acabou por cá.
E encontro-te nas palavras de um belo poema de amor e de dor.
O amor á assim, rima com dor... será por acaso? Não, não é. Só quem não ama não sofre.

Beijo do nosso lado, Maria!

Rogério Charraz said...

Abraço-te.

Carminda Pinho said...

"""""""""""""""""""""""""""""""""""
Beijinhos, Maria.

carmen said...

MAIS UMA VEZ ME FIZESTE CHORAR.
NEM TE PEDÍ PERMISSÃO MAS JÁ TE PUS NOVAMENTE NO MEU BLOG, ONDE SAUDADES SÃO COISAS QUE ESTÃO PRESENTES TODOS OS DIAS.
BJ
TÔ TE DEVENDO UM MAIL.

elvira carvalho said...

Lindo este texto. Cheio de sentimento. Cada palavra uma emoção.
Fica-se sem saber que dizer.
Um abraço

Mukanda said...

Beijo-te e abraço-te Maria
...
Sem mais nada te conseguir dizer.
Andreia Vilarinho Flórido

Rosa dos Ventos said...

E eu sufoco-te de te ler...

Abraço

Mar Arável said...

Lá estaremos

na nossa Festa

Bjs

Maria said...

Obrigada a todos que passaram por aqui.
Astral pra cima, que é tempo da Festa!

Beijos a todos

Carlos Albuquerque said...

Quando se depara com algo tão belo, o que fazer?
Contemplar, ler, saborear palavra a palavra!

O Faroleiro said...

Se lançar no seu espaço a saudade numa diagonal, arrisca-se a que esta se cruze com outra cuja resultante será um mero ponto.
Este ponto, poderá ser a planta duma recta chamada Felicidade...

Sunshine said...

Quando chegam as saudades do meu
1º amor, penso na sorte que tive por o viver e infelizmente, não posso deixar de me perguntar porque teve de ser assim.
Muio belas as tuas palavras.
beijinhos com raios de sol

Lua dos Açores said...

Maria, ditosa quem sente assim, quem viveu o amor por inteiro e ainda o vive apesar da ausência. Apenas amar assim vale a pena. Abraço