Thursday, April 22, 2010

Música de Abril V



Menino do Bairro Negro

Olha o sol que vai nascendo
Anda ver o mar
Os meninos vão correndo
Ver o sol chegar

Menino sem condição
Irmão de todos os nus
Tira os olhos do chão
Vem ver a luz

Menino do mal trajar
Um novo dia lá vem
Só quem souber cantar
Vira também

Negro bairro negro
Bairro negro
Onde não há pão
Não há sossego

Menino pobre o teu lar
Queira ou não queira o papão
Há-de um dia cantar
Esta canção

Olha o sol que vai nascendo
Anda ver o mar
Os meninos vão correndo
Ver o sol chegar

Se até da gosto cantar
Se toda a terra sorri
Quem te não há-de amar
Menino a ti

Se não é fúria a razão
Se toda a gente quiser
Um dia hás-de aprender
Haja o que houver

Negro bairro negro
Bairro negro
Onde não há pão
Não há sossego

Menino pobre o teu lar
Queira ou não queira o papão
Há-de um dia cantar
Esta canção

18 comments:

vovó said...

a primeira cantiga que cantei do Zeca!... era ainda tão cachopa...

beijocasssss
vovó Maria

Sérgio Ribeiro said...

Excelente série a caminho de domingo.

Obrigado. Beijos

Cris Caetano said...

Onde não há pão, não há sossego. Não mesmo.

Domingo está quase, quase. :)

Beijinhos, Maria

Joao P. said...

Maria:

Não pude deixar de me demorar aqui.

Música de culto
O Zeca ao vivo
Poema fabuloso

Felizmente que alguns censores eram mesmo broncos que nem perceberam o alcance desta música fabulosa

beijo

João

maré said...

obrigado Maria

não calculas como amo o Zeca
e como eu cantei tantas vezes esta canção ...

um grande beijo

clic said...

Mais uma pérola!... :)

zmsantos said...

Não tenho comentado, mas tenho adorado as tuas prendas.
Que Abril bata forte no nosso peito. Estamos a precisar tanto...

Beijo.

Meg said...

Maria,

Esta canção e, principalmente esta fotografia, fazem-me recuar aos tempos em que conheci o Zeca Afonso em Moçambique.
Velhos tempos, minha amiga!

Beijinho do lado de cá.

Rosa dos Ventos said...

Continuas com escolhas de 1ª!

Abraço

Manuela Freitas said...

Querida Maria,
GRANDE ZECA, INCONTORNÁVEL ZECA!...
Se não é fúria a razão
Se toda a gente quiser
Um dia hás-de aprender
Haja o que houver

Aprender custa!...
Beijinhos,
Manuela

Náná, a emergente said...

Cresci a ouvir o Zeca, talvez por isso, me seja, sempre, possível emergir.

Ainda que. :)

Tantos outros meninos e bairros, tantos anos depois.

Um abraço, Maria.

quicas said...

Como foi possível proibir este hino?!... Tempo que não volte, esse, e viva a Liberdade! Zeca, sempre!
Beijo

António said...

Zeca Afonso! Sempre...

Um beijinho
António

OUTONO said...

E o menino vai crescendo...na liberdade do nascer...

Beijinho.

ausenda said...

Persistimos na espera de ver esse sol nascer...!

Beijo

GR said...

Lindo,
Zeca Afonso, Sempre!

Gd Bj,

GR

Fernando Samuel said...

E Viva Abril!

Um beijo grande e um cravo de Abril.

Ana said...

Música eterna, voz inesquecível, um Homem com "agá" grande.

Os bons sempre se vão cedo demais.

Beijinho