Wednesday, June 09, 2010

A FOME



Eis alguns dados sobre a
fome:

- Mais de mil milhões de pessoas passam fome - ou seja: um em cada seis habitantes do planeta passa fome.
- Dessas, morrem todos os dias dezenas de milhares, na sua maioria mulheres e crianças.

- Em cada seis segundos morre uma criança. À fome.

- A imensa maioria dos que morrem à fome é oriunda dos «países mais pobres» - que são mais pobres porque os mais ricos lhes roubam as suas riquezas.

- A fome também marca presença nos «países mais ricos»: dos 10, 9 milhões de crianças com menos de cinco anos que morrem todos os anos nos «países desenvolvidos», 60% morrem em consequência da fome.

«A fome mata mais pessoas do que a sida, a malária e a tuberculose juntas».


Quer isto dizer que o número de vítimas da fome continua a aumentar.
Entretanto, prosseguem as «conferências», os «seminários», os «fóruns», os «anos europeus» e os «anos mundiais» que, desde há muito anos, garantem que vão acabar com a fome - mas que, até agora, apenas conseguiram aumentar as riquezas dos mais ricos.


Quanto a nós por cá... tudo bem:
«A falta de comida já afecta 95 mil crianças»
«O Banco Alimentar está a dar comida a 285 mil pessoas» - são «dez vezes mais do que a média do ano passado» e o brutal aumento deve-se, entre outras coisas, à entrada no reino da fome dos chamados «novos pobres» - que são aqueles que têm emprego e salário fixo, mas cujo rendimento não chega para comer.

É assim a vida no capitalismo que é, há centenas de anos, o sistema dominante.
E assim será enquanto o capitalismo dominar.
Até que as vítimas da fome se levantem e construam «uma terra sem amos»...


retirado do Cravo de Abril

(vou ali e depois volto. logo. logo)

Em termpo: cliquem aqui e revoltem-se!!!
http://www.publico.pt/Sociedade/criancas-vestemse-com-fardas-da-mocidade-para-reviver-100-anos-de-republica_1440933

14 comments:

Maria said...

Era minha intenção deixar-vos um poema para estes dias.
Mas depois de ler este texto no Cravo de Abril achei que deveria deixar-vos esta 'reflexão'.
É possível mudar esta situação. Se quisermos!

Até já...

Luis Eme said...

o meu avô acreditou mesmo na possibilidade do mundo ficar liberto dos "amos".

eu não, porque vivo noutro tempo e sei que há sempre um gajo esperto que quer mandar na vidinha dos outros, e se tiver tiques de "ditador"...

beijinho Maria

João Paulo Proença said...

Maria:

Isto questiona e muito os políticos/políticas que se têm escolhido para gerir este país...

Urge mudar (mesmo!)

Beijo

João

laous said...

sobretudo os conceitos


haverá assim tanta gente faminta em Portugal, quanto se apregoa? humm...!

contudo: "não há pachorra para tanta choldra" já dizia o O'Neill! as pessoas têm de gritar, não é?
qq dia, inventam umas pastilhas para a enganar.

sempre em cima, maria :)

Serenidade said...

Há tanto neste planeta e tão mal distribuído....

Obrigada pelas felicitações.

Serenos sorrisos

Fernando Samuel said...

E o poema do Zé Gomes veio mesmo a propósito...

Um beijo grande.

Apenas eu said...

olá Maria.
é claro que um poema feito de palavras tuas me teria feito sonhar e dizer-te o quanto gosto de te ler.

sou sincera há assuntos que preferia que não existissem, este é um deles. mas EXISTEM e obrigada por me puxares a terra de vez enquando...

faço o que posso perante a pobreza que se me depara no dia a dia, mas sei que faço muito pouco. sei que se todos pudessemos fazer o nosso melhor talvez a terra dos "amos" se acabasse...

gosto muito de ti.
M.

Justine said...

E pensar que tudo isto é evitável, que apenas se deve a uma política desumana e criminosa...
Bom fim de semana grande:)))

A.S. said...

Maria...

(***)
Mas há sempre uma candeia
dentro da própria desgraça
há sempre alguém qie semeia
trovas no vento que passa.

Mesmo na noite mais triste
em tempos de servidão
há sempre alguém que resiste
há sempre alguém que diz não!


Como são cada vez mais actuais estes versos do M. Alegre!!!

Um beijo meu...
Al

mdsol said...

Maria, deixo-te um beijinho

:)

fj said...

como dizes:
É possível mudar esta situação. Se quisermos!
...eu acrescento:
...TODOS JUNTOS e não sempre os mesmos!

e lá bato eu na mesma tecla ->

beijos, Maria

maré said...

há aqui e no mundo

haverá sempre
tristemente.
_

beijos maria

Ana said...

Eu que já sou velhota inclino-me mais a concordar com o Luis que tem idade para ser meu filho.

Quanto às fardas da Mocidade, parece-me uma cretinice pindérica nascida numa cabeça com pouca imaginação...

Beijinho, Maria

Cris Caetano said...

Eu também concordo com o Luis e quanto às fardas da Mocidade, é a coisa mais absurda e nonsense que podia acontecer. É tentar reviver algo que não cabe mais nos dias de hoje, delírio.

Beijinhos, Maria. Bom fim de semana.