Monday, June 28, 2010

Porque corre o rio tão longe


Todos os dias me invade o silêncio da tua ausência
todas as noites procuro um som onde reconheça a tua voz
tenho as mãos calejadas de tanto te procurar e
o ventre seco e
o olhar baço e
os lábios cheios de sede. de ti.
Porque corre o rio tão longe
e a terra continua seca?

25 comments:

Fernando Santos (Chana) said...

Olá Maria, bela fotografia...belo texto...Espectacular....
Beijos

Carla said...

porque queremos sempre um pouco mais do que temos...porque o silêncio nos faz sonhar.
obrigada pelas tuas doces palavras no meu regresso aos desalinhos
um beijo doce

Pedro Branco said...

O meu silêncio marca o passo do meu andar
Corrente que se escorre pelo tempo sem desaguar
Leito de lágrimas e de paixão por encontrar
Talvez um corpo mais. Este segredo onde te esvais...
O meu silêncio chora cada segundo do meu cantar
Tempestade a norte, no sul do vento a passar
Reflexo de águas em mágoas de assim me aproximar
De um corpo mais. Este segredo onde te esvais...
O meu silêncio, sangue de veias a apertar, a apertar
Saudades de tudo em monte de ir e ficar
Mapa feito rosto de tanto se encanrtar
Por um corpo mais. Este segredo onde te esvais...
O meu silêncio dói-me no seu vagabundear
Réstea de vida e morte, de mão dada a namorar
Fogo no toque de fugir para de novo ficar
Num corpo mais. Este segredo onde te esvais...

Fernando Samuel said...

Por que será?...


Um beijo grande.

DelfimPeixoto said...

Genial!
Beijo

Joaquim do Carmo said...

Poema triste, Maria amiga, "palavras minhas" transbordando saudade: na ausência dos que nos são mais queridos, "escrevem-se desertos" nos corações.
Beijinho

Cris Caetano said...

Porque a falta do amor dá saudade...

Minha amiga, que dia tenso... amanhã será igual. Vou torcer muito. Boa sorte! :)

Beijinhos, Maria

samuel said...

Para que a procura continue...

Abreijo.

João P. said...

Se soubesse Maria!

Beijo

João

Brancamar said...

Porquê?
Também eu hoje ando entre os rios e os mares da existência...
Belíssimo o teu texto.
Beijinhos
Branca

clic said...

Vai o rio em seu caminho
Anseia a terra por água
Cada um segue sozinho
Trazendo no peito a mágoa


:)

dona tela said...

POR-TU-GAL! POR-TU-GAL! POR-TU-GAL!

Beijinhos.

Rosa dos Ventos said...

Porque a vida é assim mesmo!
Cheia de coisas tristes mas também de coisas belas, como este rio...

Abraço

Leticia Gabian said...

Porque não se pode ter tudo (nem todos), Maroca.

É assim...

Beijo no coração, AICeT!

A.S. said...

Querida Maria...

Não morras de sede junto duma fonte!


Beijosss
AL

Apenas eu said...

nÃO SEI Maria...
Sei tão pouco de tudo... mesmo assim já é uma confusão. mas não quero morrer á sede perto de água...

beijos meus

Manuela Freitas said...

A vida é sempre uma procura incessante, do que foi e não volta mais, do que ficou interrompido, do que nem foi, mas imaginamos...
Esta inquietação anda comigo...
Beijinhos,
Manuela

Oliva verde said...

Porque não conseguimos desviar o curso do rio para onde ele faz mais falta?
Ou, simplesmente, porque não o podemos fazer?
...a vida!

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram aqui.

Beijos.

Baila sem peso said...

Vim atrasada, mas vim...
só porque sim!
Ao pé de um rio morrendo de sede
quando sabemos a cor da frescura
é um sentir a saudade em secura...
ai, a quanto obrigas terra madura!
Sentimos em ti toda a amargura!

(uma paisagem apesar de tudo bem fresquinha na beleza que a trás presa! :) )

beijo

Luz said...

Talvez esta busca seja infértil.

OUTONO said...

Rio de encantos e sonhos
Rio de margens abraços!!!!

Beijinho

AC said...

Relação sublime com as palavras, o sentir à flor da pele com tonalidade profunda...

Duarte said...

Boa pergunta desde a incerteza...

Beijinhos

Filoxera said...

Sede de ti...

Fico a sorrir, apenas.