Tuesday, June 01, 2010

OS OLHOS DAS CRIANÇAS



Atrás dos muros altos com garrafas partidas
bem para trás das grades do silêncio imposto
as crianças de olhos de espanto e de medo transidas
as crianças vendidas alugadas perseguidas
olham os poetas com lágrimas no rosto.

Olham os poetas as crianças das vielas
mas não pedem cançonetas mas não pedem baladas
o que elas pedem é que gritemos por elas
as crianças sem livros sem ternura sem janelas
as crianças dos versos que são como pedradas.

Sidónio Muralha

17 comments:

Memória de Elefante said...

"as crianças sem livros sem ternura sem janelas
as crianças dos versos que são como pedradas"


Como uma lâmina afiada no peito!

Lindo!Não conhecia este poeta!

Um beijo

Fernando Samuel said...

Sidónio Muralha em GRANDE!

Um beijo grande.

Ana said...

Pensar em todas as crianças! Todos os dias!
Um poema que é um grito por elas!
Um beijo , Maria .

Justine said...

Poema duríssimo e belo!
Beijo para ti, especial

Leticia Gabian said...

Maroca,

Repito as palavras da "Memória de Elefante":
Como uma lâmina afiada no peito!


Intenso este Sidónio Muralha. Vou conhecer mais dele.

Beijão, AICeT

A.S. said...

Querida Maria...

Deixo este poema na esperança que todos entendamos o valor da Liberdade desde os primeiros passos...

Beijos
AL

BRINQUEDO

Foi um sonho que eu tive:
Era uma grande estrela de papel,
um cordel
e um menino de bibe.

O menino tinha lançado a estrela
com ar de quem semeia uma ilusão;
e a estrela ia subindo, azul e amarela,
presa pelo cordel à sua mão.

Mas tão alto subiu
que deixou de ser estrela de papel.
E o menino, ao vê-la assim, sorriu
e cortou-lhe o cordel...

MIGUEL TORGA

Agulheta said...

Cada dia dói mais ver crianças sem horizonte no olhar.Digo como o poeta,é preciso gritar alto para quem faz orelahs moucas,para se olhar pelas crianças...obrigada pela partilha da poesia.
Beijinho

Paúl dos Patudos said...

Simplesmente Sidónio Muralha... Maravilhoso!
bjos amiga
Ana Paula

Rosa dos Ventos said...

Meninos que nunca foram crianças...


Abraço

heretico said...

gostei muito da tua celebração.
e do Poema.

de um poeta um tanto ou quanto injustamente esquecido

beijos

Apenas eu said...

olá Maria! Hoje também falei das crianças. mas das "outras" daquelas que têm o previlégio de ser crianças felizes e onde o sorriso se solta a cada volta no carrocel...

este poema é muito lindo. é muito triste nunca ter sido criança. nem imagino como será...

cobardemente muitas vezes fecho os olhos e penso que essas coisas não acontecem.

um grande beijinho Maria
(tenho andado um bocadito afastada daqui muito trabalho. mas de ti nunca.)

João Paulo Proença said...

Maria:

Feliz dia da criança

beijo

João

Cris Caetano said...

E no Brasil, sabe-se do dia (algumas pessoas como eu, por exemplo), mas passa ao largo porque o Dia das Crianças aqui comemora-se no dia 12 de outubro. :)

Beijinhos, Maria.

Nilson Barcelli said...

Excelente poema.
Querida amiga, parabéns pela escolha.
Beijos.

ausenda said...

Os olhos das crianças, deviam ter a cor do nosso amor...sempre!

:))

Beijinhos

Maria said...

Muito obrigada por terem passado aqui.

Beijos.

Filoxera said...

Deixa um aperto na garganta...
Um beijo, amiga.