Wednesday, January 25, 2012

Adeus, Mário!



MAIO


Um dia mereceremos Maio.
Traremos flores dentro da pele
E o olhar luminoso de quem ama.

Um dia acordarei e será Maio,
Sem palavras, sem gritos, sem fronteiras,
Sem medo de ser Maio, sem medo
De ser.

Um dia mereceremos os maios,
As giestas, o verde das águas
As gotas de orvalho e o cristal dos nervos.

Um dia acordarei e será Maio,
Cheiro de terra, pétala de carne,
Rumor de um horizonte a descobrir
Em mim.

Um dia acordaremos e seremos Maio.


(Mário Domingos)

10 comments:

Paula Barros said...

Fiquei triste quando li a notícia no seu facebook. Não conhecia o trabalho dele, mais senti.
São bonitas as poesias dele, li algumas.

abraço

mfc said...

Um dia, Maria!
Um dia...

Rogério Pereira said...

Janeiro
é cedo para ser Maio
Para ser Maio
é sempre cedo
É sempre cedo para ser Maio
Maio não deve tardar
Maio está a chegar

(vou conhecer Mário Domingos)

bettips said...

Vão, vão conhecer o seu livro, recordá-lo já amanhã. Para que a sua escrita ganhe raízes em todos nós.
***
é frio
e duro, Maria
o tempo das perdas.
Bj

Mel de Carvalho said...

Maria, querida Maria. Há tão pouco tempo me falas-te de Mário, da sua obra ... agora falas-me da sua viagem sem regresso. E, sem que tenha tido possibilidade de o conhecer, fica uma dor e uma lágrima. E um sentimento de perda. Fica a obra. O caminho.

Obrigada Maria, até sempre, Mário.
Mel

trepadeira said...

Não lhe conheço a obra,vou procurá-la.

Um dia será Maio.

Um abraço,
mário

A.S. said...

Querida Maria,

Tudo é tão breve...


Abraços!
AL

samuel said...

Um abraço!

Fernando Samuel said...

Um dia - dia a dia - construiremos Maio.

Um beijo grande.

Justine said...

Acordaremos, sim, Mário. E tu ajudaste!