Monday, January 09, 2012

Arranco-te de mim


Arranco de mim memórias que me fazem perder as palavras. Porque o que quero mesmo é continuar a respirá-las e a bebê-las. Todas as noites ou todas as madrugadas.
Arranco de mim momentos que pensei serem os nossos. Porque foi apenas na minha imaginação que eles existiram e tu não estavas. Em cada curva do meu caminho que era nosso.
Arranco-te de mim, por fim. E nem sabes como me sinto bem, assim...


15 comments:

Fernando Santos (Chana) said...

Belo texto...Espectacular....
Cumprimentos

Era uma vez um Girassol said...

Hummmmm....
Tristes, mas belas as palavras.
Maria, nunca pensei que os lugares por onde andei desta vez me impressionassem tanto. Há imensa informação na net, fotos fantásticas, mas nada se compara com a visão de perto destas maravilhas produzidas pelo homem há tantos anos.
Grande beijinho e xi-coração da flor

BlueShell said...

Não sei o que dizer...
não posso deixar de sentir uma imensa tristeza...

Não posso deixar de lado o "medo" que me consome...dia após dia...(tu sabes...) e sofro...sogro em silêncio: só eu e Deus sabemos a profundidade do meu sofrer a ´sos...
Te abraço com carinho e gratidão pela tua amizade!
BShell

trepadeira said...

É sempre preciso seguir em frente.

Um abraço,
mário

Fernando Samuel said...

Memórias e momentos que fazem as nossas vidas...


Um beijo grande.

M. said...

Obrigada pela visita ao mar dos Açores. Agora a viagem que fiz em 2010 tem outros contornos que me têm dado o prazer de uma reflexão diferente.

M. said...

Fui por aí abaixo. Muita coisa interessante e sábia encontrei.
Grata pela partilha.

Luis Eme said...

será?

beijinho Maria

mfc said...

Não gostei de ler esta tristeza que por aí perpassa!
Toma um beijinho, Maria.

viajantes said...

beijinho Maria.

Maria said...

Obrigada a todos que passaram aqui.
Não é tristeza. Ou talvez seja.
Mas sobretudo são palavras!

Beijos.

Filoxera said...

Construo novas formas de existir. Porque o que importa mesmo, é viver.
Com noites ou madrugadas vividas ou inventadas. Sentidas.
Afasto receios e angústias. Abro a alma ao Sol e as emoções proibidas passaram a ser autorizadas. Numa vereda que se percorre.
Quem sabe na tua companhia. Numa nova era que se descobre.

Um abraço, amiga.

BRANCAMAR said...

Encontrar novos caminhos, recomeçar, é uma forma saudável e feliz de viver. As mudanças quebram monotonias e acomodamentos nem sempre benéficos e reaprender a estar bem, é reforçar energias para dias felizes e tranquilos.

Beijos

Duarte said...

Desgarros que nos faz expressar assim, que doem. Mas a vida segue, e os sendeiros ocultos nem sempre o melhor caminho. Salta, ri, vive, noto em cada frase uma vida que se agita veemente, mesmo ferida.
Abraços de vida

águia real said...

maria és bela . encontrei-te porque de santa cruz também amo e admiro as berlengas, despertaste-me a atenção com a foto da linda ilha !!!... mas o teu blog é belo, muito belo !!!... 25 DE ABRIL SEMPRE E AGORA MAIS DO QUE NUNCA !!!... UM BEIJO AMIGO