Friday, November 11, 2011

Sempre


Abraço-te-me, aqui, como tantas vezes
nos abraçámos, assim.
Era o tempo do frio e das chuvas, lembras-te?
E ficávamos à lareira, comendo frutos secos
e ouvindo o mar ao fundo...
Hoje o mar está diferente, hoje está tudo diferente,
só o nosso amor continua igual. Sempre...

13 comments:

salvoconduto said...

Frio está, a chover também, lareira não tenho, frutos secos tenho, lá terei que me valer da jeropiga para contrabalançar a falta da lareira. :)

A.S. said...

O meu abraço Maria sempre!... Muito amigo e caloroso!

AL

Unknown said...

Sempre.
:-)
Beijos.

Luis Eme said...

Sempre!

beijinhos e feliz São Martinho, Maria

Fernando Samuel said...

Bonito!


Um beijo grande.

trepadeira said...

À lareira,sem frutos secos,só castanhas e sempre....

Um abraço,

mário

mfc said...

É sempre bom que o que nos faz sorrir possoa permanecer!
A imagem sugere um bem estar sorridente.

Justine said...

Um abracinho apertado pelo belo poema e pelo ambiente que tão bem criaste!

PAULO SANTOS said...

as vezes..raras vezes convenha-se... ou esperando que essas raras vezes sejam mesmo raras...a nostalgia invade nos...e leva nos a rever tempos que se foram...momentos que partilhamos...uns no universo da nossa memoria..outros...nas letras..nas mensagens que um dia partilhamos..... é bom sentir que ainda pares letras! é bom saber que continuas por aqui. que a ilha continua cercada de aqua-palavras!

Mar Arável said...

Bjs tantos

Licínia Quitério said...

Lembro-me de um fogo assim, de um tempo assim. Se me lembro... Tudo passa, tudo muda, só a saudade é igual.

quanto pesa o vento? said...

nostalgia feliz ;)
assim continue igual para sempre.
abraço.

Paula Barros said...

Que bom que o amor continua igual...geralmente ele é um dos primeiros a mudar.

A imagem está linda, convidando a comer frutos secos.

beijo