Saturday, March 10, 2007

Nuvem


O nosso amor é tão forte e tão
grande e tão profundo que até
as ausências são quase presenças
Ouço a tua voz e é como se
estivesses aqui, só não posso
acariciar-te porque, amar-te,
eu faço-o, em pensamento.
Fecho os olhos e vejo-te e
abraço-te sem te abraçar e
beijo-te sem te beijar.
Ah, se esta nuvem me levasse
para onde tu estás...
então seria o reencontro dos
nossos corpos e o êxtase
do amor total.

32 comments:

Claudia said...

A Ausência custa. Mas custa mesmo. Mesmo...

O que vale é que o amor é muito mais forte. Muito mais forte.

Beijo forte

bettips said...

Tu pões-me a cabeça em água...como dizia a avó linda! Tanta nuvem, tanto mar, tanta notícia da ilha encantada...Lembrei-me do meu pai dizer que nos anos 50 estava infestada de coelhos??? Bjs

Cadinho RoCo said...

Até onde vivemos o que não vivemos?
Até onde não vivemos o que vivemos?
Cadinho RoCo

bom dia isabel said...

Passei para te desejar um bom fim de semana. Fantástico!
Beijinhos

poetaeusou said...

Maria, amiga.
Continua ...
»» a ausente presença,
de uma nuvem feita amor ««
ai amor, toma lá pinhões,lálálálá.
inté

Farinho said...

Querida amiga,

Ainda bem que as obras foram para melhor, é que por vezes há coisas lindaS da natureza que por onde a mão do homem anda,estraga essas belezas naturais e maravilhosas.

Quanto ao teu poema, está lindo como sempre, o amor verdadeiro é aquele que sobrevive á distancia e ao tempo, esse prova que essa pessoa é a nossa alma gémea, continua assim.

Beijocas e um Sábado feliz.

pitanga said...

Mais uma vez estamos em sintonia. Acabo de postar sobre o vento e chego aqui e deparo com uma nuvem.
Só que a tua é de amor.

beijos de sábado de sol...e vento.

Leticia Gabian said...

Maria, Maria!
As ausências são presenças, sim.....disso eu também falo de cátedra.

Um beijo bem grande nesse teu coração que, mais do que qualquer outro, merece amar o amor total

Era uma vez um Girassol said...

Ausência, amor, encantamento, nuvens, enfim a nossa vida é feita destas coisas...
Gostei!
Beijinho

david santos said...

Olá!
Belo trabalho, Maria! Obrigado por o teres feito.
Bom fim-se-semana

pitanga said...

Letícia e Girassol, pegaram o mesmo comboio? Estão sempre juntas...hehehe

beijos e desculpa Maria em "meter a colher".

=^.^= Tarina =^.^= said...

Doi tanto estar ausente...

Mas quando se ama de verdade a distancia não anula...

"Não há longe nem distância" como nos refere Richard Bach

1 beijo =^.^= tarina

Maria said...

claudia

Pois custa. Muito. Tanto...

Um beijo grande

Maria said...

bettips

Ainda há muitos coelhos na ilha, e ratos, e gaivotas...

Bjs

Maria said...

cadinho roco

Até onde? Sabes dizer-me?

Maria said...

bom dia isabel

Um bom fim de semana tb pra ti.

Beijo

Maria said...

poetaeusou

Recebo os pinhões, sim, mas quem os come todos é a samaria... hehehe

Inté (logo)

Maria said...

farinho

Obrigada pelas tuas palavras.

Bom fim de semana e beijo

Maria said...

pitanga

Às tantas a sintonia vem com a idade, com a experiência da vida, sei lá...

Já lá vou.

Beijo grande

Maria said...

leticia

Agora deixaste-me com uma lágrima no canto do olho...

Beijão enorme pra ti

Maria said...

era uma vez um girassol

A vida tem estes condimentos todos, sim, e ainda outros...

Beijo grande

Maria said...

david santos

Obrigada pela tua visita.
Bom fds

Maria said...

pitanga

Fica à vontade...

Beijos

Maria said...

tarina

Tens toda a razão. Não há londe nem distância...

Beijinho pra ti

qualquer coisa said...

Maria deixo-te o sabor de um abraço apertado.


Boa semana

Maria said...

qualquer coisa

Que bom teres aparecido, tenho passado tanto por lá, e só vejo o chocolate...

Vou a correr...

Um abraço, hoje de Alkmaar...

herético said...

os teus poemas são de uma simplicidade e lirismo encantadores....

gostei muito.

Nani said...

Maria ...

é tão dificil estar longe de quem gostamos...

Beijinho forte...

Nani

Maria said...

herético

Devo agradecer?

Um beeeeeiiiijo.....

Maria said...

nani

pois é, querida amiga...

Beijinho grande

luis galego said...

até
as ausências são quase presenças


mas a ausência doi, doi muito, quando a presença é tão necessária...enfim, resta-nos a lembrança e um sorriso.

Boa Noite Maria, Boa Noite Poeta!!!

Maria said...

luis galego

Dói, sim. às vezes as presenças ausentes também...

Boa semana, e obrigada