Monday, December 08, 2008

Junquilhos


Nessa tarde mimosa de saudade
Em que eu te vi partir, ó meu amor,
Levaste-me a minh'alma apaixonada
Nas folhas perfumadas duma flor.

E como a alma, dessa florzita,
Que é minha, por ti palpita amante!
Oh alma doce, pequenina e branca,
Conserva o teu perfume estonteante!

Quando fores velha, emurchecida e triste,
Recorda ao meu amor, com teu perfume
A paixão que deixou e qu'inda existe...

Ai, dize-lhe que se lembre dessa tarde,
Que venha aquecer-se ao brando lume
Dos meus olhos que morrem de saudade!


Florbela Espanca

(in "A Mensageira das Violetas")
(8 de Dezembro de 1894 - 8 de Dezembro de 1930)

(foto de Maria Dias, retirada da net)

31 comments:

joão marinheiro said...

Gosto das palavras da Florbela e da foto das flores. e da outra da ilha...
beijo daqui, do meu mar que rouba vidas...

Eduardo Aleixo said...

Cantando pularando dançando mais ela/
Em cima desse ladrilho/
Ai anda agora na moda/
Colher a flor ao junquilho/
Colher a flor ao junquilho/
Que é uma rosa amarela/
Cantando pularando dançando mais ele/
Cantando pularando dançando mais ela.

( cantar alentejano bem bonito )

Beijo redondo. EA

elvira carvalho said...

No "A mulher e a poesia", também estou participando da blogagem colectiva, sobre a Florbela. Escolhi para hoje o soneto Tarde de mais.
Um abraço e bom feriado.

salvoconduto said...

Nunca é demais reler Florbela Espanca, prinipalmente neste dia.

Ainda bem que aqui a trouxeste.

Abreijo.

Leticia Gabian said...

Linda foto, lindas flores!
Saudade... Constante mote de nossa existência!

É isso aí, amiga-irmã.

Beijo enorme

MisteriosaLua said...

Há pessoas que são eternas!

Maria, hoje descobri mais um bocadinho de ti! Gostei! ;)

Aposto que não te perdeste!

Besitos

dona tela said...

Desculpe, mas ando com pouca inspiração.

Bom dia para si.

Maria P. said...

Gosto sempre de ler Florbela Espanca...

:)Beijinho, Maria*

Ludo Rex said...

Bem lembrado e bela escolha.
Kisses

O Sibarita said...

Fia ô Foa! kkkk Doba Luso-baiana oi hoje aqui é dia de Nossa Senhora da Conceição e o coro come, é festa de largo, é feriado em salvador já que Nossa Senhora é padroeira de Salvador.

Agora, mesmo, to aqui no Mercado Modelo, tem um samba de roda retado. Oi tô tomando caldo de lambereta e um cajurosk, tá com àgua na boca, tá é? kkk Fique não que tomo logo duas uma minha e uma sua! kkkk Ah tô comendo peixe frito agulhinhas, vai? kkkkkkk


Quanto a Poesia a Florbela não se comenta se absorve... kkk

bjs
O Sibarita

fj said...

Porque o fez com apenas 36 anos?!?...
Bela homenagem!

Um bom feriado!
um beijo para ti maria.

Ana said...

Lindas, lindas palavras.
Bom recordá-las.

Beijinho

FERNANDA & POEMAS said...

Olá querida Maria...

Bela homenagem á nossa grande Poetisa Florbela Espanca... Adorei o Soneto, que ficou maravilhoso com a foto Amiga!...

Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

mariam said...

Maria,
gostei muito desta linda homenagem a uma grande Mulher. ... a que de poderosa arma, a palavra...

bom feriado
um sorriso :)
mariam


pena, ainda não foi desta!no dia 5 :)

mariam said...

errata: "a que usou de poderosa arma" :)

Justine said...

Florbela, a infeliz! Florbela, a poetisa que sabe bem ler e reler.
Beijo para ti

paula barros said...

Tenho lido Florbela hoje em vários post. Estou gostando muito.

Lindo esse poema.

abraços

Agulheta said...

Maria. Ficou lindo a postagem a Florbela,as flores ficam bem com esta poesia,tão perfumada e de paixão,adorei.
Beijinho e bom resto de feriado.Da Lisa

elvira carvalho said...

Florbela, está lá no blog de Poesia. Ainda não conhece? Passe por lá um dia e vai ver que vai gostar. É poesia só no feminino. E estão lá excelentes poet(is)as.
http://amulhereapoesia.blogspot.com
Um abraço

mfc said...

O Génio é sempre actual.

AnaMar (pseudónimo) said...

Magnífica forma de recordar Florbela. E adoro violetas.
Mas tenho saudades das TUAS palavras...Sopradas para este lado de cá, para saborear em silêncio musical.

Um beijo.

Filoxera said...

A mim, tanto romantismo não me aquece nem arrefece... Mas as flores são lindas.
Beijos.

Oris said...

Palavras que sabem sempre bem ler, para recordar...

Beijitos, Maria.

Eu, sem clone said...

De todo o meu ser que morre de saudade.

O belo rio que viste no meu post fica situado no Norte do Brasil, em frente a minha casa rural.
bjs

escarlate.due said...

Florbela,não sendo a minha favorita desperta-me alguma atenção e este poema é lindo

Fernando Samuel said...

Era assim a Soror Saudade: genial.



Um beijo grande.

pin gente said...

muito bonito, maria!
sempre gostei de florbela espanca (como não!), mas não conhecia este soneto.

já me tinhas dito que a blogagem da poeta seria dia 8, mas ainda não tinha tido oportunidade de aqui vir... o dia hoje foi mais longo!

um beijo grande, maria

BlueVelvet said...

Não é que me esqueci do aniversário da morte dela?
Logo eu que sou fanática...
Enfim, ainda bem que te lembráste tu.
Beijinhos

Manuela Fonseca said...

Um soneto belíssimo da nossa querida Florbela Espanca, uma mulher sofredora que nos deixou na sua plena beleza de espírito e de vida.

Adorei!

Um bom 2009 para ti, Maria!

Beijinhos***

Cris Caetano said...

Obrigada, Maria. Gosto demais da alma de Florbela.

Beijinhos

Apenas eu said...

Florbela Espanca. Grande poema este.
Quando os olhos morrem de saudade...
Todos lindos todos tristes...

beijos Maria
datgmses