Tuesday, September 01, 2009

Guarda o cheiro para mim


Canto para ti esta canção
Feita de flores de jasmim
Se a fechares no teu coração
Guarda o cheiro para mim
Rosa vermelha cor da paixão
Que eu colhi do teu jardim
Deixa-a voar numa ilusão
Mas guarda o cheiro para mim

A água da fonte é fresca e pura
E corre sempre a teus pés
E no caminho se te procura
Faz-se rio outra vez

Vida pintada em verdes trigais
Terra sangrenta sem ter fim
Dás o teu fruto a todos, iguais
Mas guarda o cheiro para mim

A água da fonte é fresca e pura
E corre sempre a teus pés
E no caminho se te procura
Faz-se rio outra vez

Semente raíz flor e fruto
Ciclo de vida feito assim
Ventre sofrido rasgado enxuto
Mas guarda o cheiro para mim

32 comments:

elvira carvalho said...

Que coisas lindas você escreve amiga.
Este poema é muito bonito.
Um abraço

Amiga, não sei que seja. A mim não me aparece nada e nunca ninguém se tinha queixado.

Quando puder e se quiser claro, passe por este endereço.
http://aguasdosul.blogspot.com/
É um amigo de longa data, e julgo que gostaria do blog dele.

Um abraço e obrigada pelo aviso

Maria said...

elvira carvalho

O mundo é mesmo pequeno... conheço o autor do blogue!

Obrigada por me teres lvado até ele.
Um abraço

LB said...

As saudades que tinha de te ler...

Beijinhos

A CONCORRÊNCIA said...

São dálias ou margaridas ? pouco interessa o que são, são flores, são lindas e mais importante que tudo, hoje apetece-te cantar.

Um beijo Maria

P.S. se precisares de coros olha eu aqui ...

Cris Caetano said...

Maria, isso merece uma sonoridade. Dá uma canção linda.

Beijinhos

Carlos Albuquerque said...

Como diz Cris Caetano, merece o aconchegar carinhoso de uma música, dá uma canção linda.
Obrigado pela passagem pelo meu blogue e pelos comentários deixados.
Agora vou a Chico Buarque para lhe dizer:
- sei que está em Festa, pá. Fico contente!
Um abraço

Apenas eu said...

mas que linda canção Maria! é assim que te gosto nessas palavras tuas...

beijos meus muitos

Memória de Elefante said...

o poema tem perfume,e até a fonte posso ouvir!

Pedro Branco said...

Cantas o teu mundo florido
Entre um cheiro de ternura e amor
Inventas um jardim colorido
Assim pintado,sempre com o teu sabor.
Que desenha em mim um eterno abraço
Feito de luz, cheiro e cor
Uma espécie de manto de sargaço
No adormecer deste mar em nós perdido
Que de onda em onda,
Ao balançar dos tempos
Nos o mundo assim florido.

Bonito, Maria. De me deixar sem palavras... Prefiro ficar simplesmente no silêncio desta contemplação. Desculpa este vazio.

nanda said...

Lindo poema.

Bjs

Eu said...

lindíssimo...:|

Rogério Charraz said...

Sou ou não sou um privilegiado?!

Beijo-te!

Pitanga Doce said...

Tenho cheiros guardados, Maria. Na pele...

salvoconduto said...

O blogue hoje atira-nos palavras belas a cheirar a jasmim. Guardei algumas.

Abreijos.

amigona avó e a neta princesa said...

Saio daqui ainda mais feliz! Beijo-te amiga...

Maria P. said...

Canta amiga, canta:)

Beijinho, minha Maria*

bettips said...

"...a estrela d'alva
já a procurei
e não a vi..."
A água primordial e um (mais) poema de amor como rio que corre ou mar se debate.
Bjinho Maria

Teresa Durães said...

necessitamos sempre de algo para nós, e não partilhar

Justine said...

Ora que belo cheirinho vem hoje daqui - também andas pelos lados das ruralidades, não??

Rosa dos Ventos said...

Belo poema que merecia ser musicado!

Abraço

bettips said...

Querida Maria: as pedras falam do que é imutável, damos-lhes o que gostamos de lhes dar - elas ficam, ouvem, rolam, enlaçam-se, ficam sós, pulverizam-se em areia ou saibro, podem tomar formas que inventamos, esculturas vigilantes do tempo. Nelas encontramos pegadas, fósseis, marcas, cores, liquens. Agarram a terra ou libertam-na. Enfeitam-se de ervas, acolhem um assento para nós. Um golpe do olhar nosso.
Claro que adoro o mar - e por isso as Berlengas, pedra...mar (onde nunca fui, nem irei provavelmente, mas hás-de trazer-me uma pedra...).
Beijinhos a ti.

mfc said...

Guardarei...

Violeta said...

Canta, canta...
e sê feliz...

Oris said...

Gostei do teu cantinho hoje tão cheiroso!!

Beijitos, Maria

Filoxera said...

Ainda bem que te apetece cantar. Porque estas estrofes são lindas.
Beijos.

Sofá Amarelo said...

Sim, o cheiro será guardado para ti, de certeza! Com palavras mágicas como estas...

Muitos beijinhos!!!

Maria said...

a concorrência

Não são dálias nem margaridas. São zínias, do jardim de um amigo meu. De um amigo de há cerca de 45 anos. Acreditas? Duas gerações, sim!

:)

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram por aqui.

Aos mais curiosos devo dizer que esta letra já está musicada, sim. Aliás, foi feita em cima de uma música...
Brevemente tenciono colocá-la aqui, com a voz de quem a canta tão bem.

Beijos a todos

Joao P. said...

Maria:

O texto é lindíssimo.

Fico à espera da música.

SErá que gostarei tanto?

beijo

João

A CONCORRÊNCIA said...

São lindas todas as flores, são lindas estas zinias, assim como são lindas todas as pessoas que como tu e eu sabem preservar amizades e dar-lhes tanto apreço que se podem orgulhar de dizer que têm amizades de há tantos anos. Felizmente que nos podemos orgulhar de sentir que ainda há amigos assim.

Mais beijos Maria

Sunshine said...

Este cheiro chega longe.
beijinhos

Paula Barros said...

Ouvindo a música e acompanhando aqui a letra.
Linda, linda.
beijo