Sunday, December 13, 2009

Troca por troca


Quem sabe onde fica o arquipélago das Berlengas?
A Beatriz sabe!
Quem sabe o nome das ilhas e ilhéus que compõem o arquipélago das Berlengas?
A Beatriz sabe!
Quem sabe qual é a fauna e a flora da Berlenga?
As espécies endémicas são do conhecimento da Beatriz, ela sabe tudo sobre a ilha.
Bom, tudo, tudo, não... Das estórias dos antigos ela não sabe.
Mas ficou a saber algumas. Ela e os colegas de turma dela.
E ficaram a saber que na ilha houve um mosteiro - o que é um mosteiro? - um local onde viviam os monges - o que são monges? - assim parecido com frades - e o que são frades? - mais ou menos como os padres - mas como sabes se não vais à igreja? :))) e que os monges moíam os cereais para fazerem o pão num moinho e quando morriam eram enterrados na própria ilha. E ficaram a saber quem foi o Cabo Avelar Pessoa e da sua luta titânica contra os espanhóis que nos atacavam na fortaleza...
Sei que da próxima vez que forem à ilha irão ao local onde se diz estar enterrada a mó do moinho. Também sei que não a vão encontrar. Mas para crianças de 8 ou 10 anos a 'aventura' é o que importa...

Agradeço ao Professor e à Beatriz o convite que me foi feito para assistir à apresentação do trabalho, numa tarde muito especial. Ficámos todos a saber mais um pouco...

36 comments:

rosa dourada/ondina azul said...

Isto é ensinar e participar na Vida!

Beijo para ti Maria:)))

Filoxera said...

Depois conta-me o que se passou, sim?
Um beijo, de preferência pouco adiado.

joão marinheiro said...

Fantastico, as histórias da ilha e das suas gentes que ainda estão por contar...
abraço com saudades de rever a ilha

Carol said...

Oh, Maria ... e eu que gostava tanto de poder ter assistido a aula taaaaooo especial !!!

Imagino a partilha, a troca por troca estupenda :)

Beijocas grandes, grandes

Apenas eu said...

Maria tu és cá uma caixinha de surpresas:)

A Beatriz sabe tudo sobre a Ilha e Tu também. Deve ter sido um momento único.

deixo-te com um grande beijinho meu.

Sunshine said...

Eu que tenho cá em casa um petiz de 10 anos sei o quão importante é a imaginação nesta idade. Sinto que tenho que reaprender com ele a voar na imaginação. É bom quando na escola realmente se aprende.
beijinhos com raios de sol

Agulheta said...

Boa noite Maria.Já tenho passado férias em Peninche,conheço bem a cidade,mas confeço que ainda não foi as Berlengas,quem sabe um dia não irei conheçer não só as Berlengas como o que aqui escreves.
Beijinhos
Lisa

Duarte said...

Nunca lá pude ir... sempre o mesmo argumento... o tempo não ajuda, o mar está mau...
Assim foi passando o tempo. Mas ainda não perdi a esperança de lá poder ir alguma vez.
Pouco ou nada sei daquele pedaço de Portugal. Tudo o que leio dali interessa-me.
"A aventura é o que importa"... claro que sim!

Um abraço

Joao P. said...

Maria:

Oh... Gostava de ter assistido e também de ir às Berlengas, coisa que nunca fiz embora já tenha passado imensas vezes por peniche.

Que bom existirem esses convites e essa generosidade de passar testemunho

beijo

João

Arabica said...

:)

E quando temos 10 anos como é importante acreditar que a vida vai ser sempre uma aventura cheia de feitos e descobertas!

Um abraço, Maria.


Ps-tem graça, durante a semana apeteceu-me tb Adriano.
As mãos do post de baixo para o post de cima :)

anamar said...

Belos encontros , Maria...
Passeias-te pelo reino da imaginação...Fez-me lembrar outras "vidas"... mas ás Berlengas nunca fui, e , dei aulas 1 ano peto de Peniche, mas o tempo era o Pãnico...
boa semana
:))

salvoconduto said...

Quantas histórias essa ilha já criou, até um rei já teve.

Abreijos e boa semana.

Carminda Pinho said...

Quando ainda era menina e moça, estive lá, na ilha das Berlengas. Só que não me explicaram nada disso...:(
Ainda bem que aqui, na tua ilha, vou aprendendo sempre mais.:)

Beijos, Maria

Oliva verde said...

...E a Escola deveria poder ser sempre assim!
Troca por troca!

Um abraço

zmsantos said...

É uma local mágico, seja qual for a idade do visitante. Eu já lá estive, mas vista pelos teus olhos pareçe diferente, maior, quem sabe um continente.
Um dia gostava de me sentar ao teu lado, na falésia, a falar com o mar.

Beijos.

Luis Eme said...

deve ter sido um bela tarde, sim senhor...

beijinhos Maria

vovó said...

que linda esta estória, Maria! cheia de cheiros da ilha! :)...

beijocasssss
vovó Maria

( é impressaõ minha, ou está um bocadinho de ti na foto? :)...)

Maria said...

vovó

:))))

Beijocas, já com saudades

Pitanga Doce said...

Mas ainda há alguma coisa que não saibas das Berlengas? Tu fazes parte da ilha e ela de ti.

Maria, acho que tu és a ILHA!

beijos de cá

margusta said...

Querida Maria,
...e eu também fiquei a saber mais um pouco :)
Não sabia que tinha existido um mosteiro na ilha.

Momentos como os que descreves, são tão bons...mágicos...

Beijinhos e um grande Abraço para ti Querida Maria!

Já agora também para a Beatriz :)

Margusta

Luis F said...

Amiga agradeço a tua mensagem e as tuas palavras no meu Mar.

Com amizade regresso ao teu mundo para te ler e ver o que de bom tens por aqui.

Quanto ao meu livro, vou mandar-te um e-mail e depois agradecia que me respondesses para eu falar com a editora

Obrigado

bj
Luis

Tite said...

Ainda bem que aqui entrei num dia de aula especial.
É que as Berlengas quase as vejo de minha casa, mas não sabia tanto sobre as cujas ditas ilhas.

Vale a pena ouvir quem sabe.

Beijossss

Fernando Samuel said...

E eu que só conheço as berlengas de as ver ao longe, ao longe, ao longe...

Um beijo grande.

vovó said...

também tenho saudades tuas, Maria!... aliás, hoje sou toda saudades: acabei de me despedir das anglolusonipónicas e mais da sua mamã!... custa...

amanhã, é outro dia!:)
beijocasssss
vovó Maria

heretico said...

e te agradeço dares-me a conhecer aspectos para mim de desconhecidos das Berlengas...

beijo

Manuela Freitas said...

Olá Maria,
Realmente ensinar deve ser um desafio à invenção de quem ensina, para espicaçar a imaginação de quem aprende. Só se retém aquilo que nos entusiasma.
Ahahahah eu até já fui às Berlengas, mas minha querida amiga para nunca mais, foi das poucas vezes que senti a morte a rondar-me, com o frágil barco a subir a forte ondulação e depois a descer a pique, à minha volta o «vomitanço» era geral, o meu filho não conseguia parar. Quando chegamos à ilha, eu, meu marido, filhos e amigos, tivemos que sair de jacto e estavamos todos como cal de parede, foi preciso um tempo para recuperarmos. A ilha é de facto bonita, mas nessa altura nem tanto, porque não nos saía do pensamento o regresso e cada vez o mar se agitava mais. Quando saimos em Peniche, estavamos encharcados e Berlengas nunca mais! Isto foi há uns anos.
Beijinhos e desculpe ter escrito tanto, mas fez-me lembrar essa minha «epopeia» marítima.
Beijinhos,
Manuela

amigona avó e a neta princesa said...

Que bonito Maria! Que aula maravilhosa de partilha e saber! Como devia ser a escola - sempre!
Abraço querida...

Pedro Branco said...

Tinha de vir comentar, né?

Podia dizer do que é ser professor ou do professor que não quero ser. Ou do que é a escola ou da escola que não quero ter. Ou do que é ensinar... Sabes que não gosto da palavra "ensinar"? Eu que sou professor e que a deveria ter como a chave de toda a minha acção. Prefiro "educar" ou "viver com"... E é isso que acontece todos os dias na minha sala. Com a Beatriz e com os outros. Desde 1987. Vivo com as crianças e ainda me pagam por cima! Já viram?

Por isso, Maria, tinhas de ter ido lá à sala naquele dia. Sabes porquê. Porque também já não sei (nem quero) viver sem ti!

Amo-te.

Cris Caetano said...

Adorei... não sabia um terço e aprendi muito. E ri quando Beatriz disse: "mas como sabes se não vais à igreja?" Gosto das perguntas que só as crianças sabem fazer... :)))

Beijinhos

clic said...

E o saber não ocupa lugar... :)

Que troca mais doce!... :)

Maria said...

Pedro Branco

"Não estamos sozinhos" - não esqueço...

Abraço-te, tanto!

Maria said...

Agradeço a todos a vossa passagem por aqui.
Ir à ilha já não é o 'tormento' que era dantes, os barcos são melhores, e não vão se o mar não permitir.
Animem-se (e tu, Manuela Freitas, vá lá...) e vão até lá conhecer uma das belezas que temos. E ouvir estórias de antigos...

Boa semana a todos
Beijos

samuel said...

Ora aí está uma coisa bonita!...

Abreijo.

paula barros said...

Que momento fantástico...me deu vontade de conhecer a Ilha.

abraços

Vera said...

Uma tarde mágica, aposto!

Beijo

O Sibarita said...

Ser professor não é mole não moça! Ainda bem que apesar das sofrências eles continuam dando tudo de si!

A Beatriz, sabe de tudo é? kkkkkkkk

Valha-me Cristo! kkkkkkkkkkkkkkk

bjs
O Sibarita