Sunday, December 06, 2009

Acetinada


Rompo esta saudade a cantar
No vai e vem de todas as marés
Na pele no olhar no verbo amar
E na espuma das ondas a beijar-te os pés

Sei do cheiro que me trespassa
E da cor da rocha feita leito
Em cada gaivota que aqui passa
Vai um pouco de nós, de qualquer jeito

Aqui respiro aqui amo e fico enfim
Nas memórias da minha inquietação
E a presença do amor pele de cetim
Guardo fechada, para sempre, no coração.

(vou ali. depois volto. logo)

40 comments:

salvoconduto said...

Pois vai num pé e vem no outro para nós não rompermos de saudades também.

Abreijos.

Manuela Freitas said...

Olá Maria,
Um bonito poema, que fala do mar, das gaivotas, das memórias inquietas...
Há uma nostalgia...que eu compartilho.
Bjs,
Manuela

Mariana said...

Maria, mestra das palavras com que interpretas os sentimentos e nos encantas.

Campaniça

anamar said...

"E a presença do amor pele de cetim"...

Belas palavras como sempre...
Estava a precisar deste verso.
Abracinho e vem depressa...
:))

Leticia Gabian said...

As memórias de cetim... Embora macias, sabem doer fundo.

Beijo enorme, AICeT

samuel said...

Memórias como almofadas macias...

Até já, então.

mfc said...

Tu sabes tocar-nos com os poemas da realidade.

A.S. said...

Querida Maria,

Vim deixar-te o meu abraço!
Obrigado!

AL

Fernando Samuel said...

Gostei.

Um beijo grande.

Duarte said...

Versos desenhados sobre cetim, aveludados, o que nos faz falta... que bonito!
Gostei do como o dizes.

Beijinhos

Justine said...

O teu canto é triste e doce!
Vai, diverte-e, e volta bem. Eu vou fazer o mesmo:))

Rosa dos Ventos said...

Sempre o cheiro da saudade!

Abraço

Luis F said...

Amiga Maria

Um bonito poema cheio de sentimento e de alma...

Gostei muito de o ler e de o sentir como um bálsamo perfumado que deu cor ao meu momento.

Bjs
Luis

PS - Espero que tenhas conseguido adquirir o meu livro

Agulheta said...

Maria.
Belo e macio como pétalas as palavras que li,quanto a Soeiro Pereira Gomes!Eram os livros que o pai tinha,e tive a sorte de ler alguns...outros os levaram.
Beijinhos Lisa

Apenas eu said...

palavras já ditas que sabem sempre tão bem ler...
vai e volta.
cá te espero.

beijossssssss

Filoxera said...

Também conheço essas memórias de inquietação...
:-(
Beijos.

Fernando Santos (Chana) said...

Olá Maria, bela fotografia...belas palavras...Espectacular....
Beijos

Naty e Carlos said...

Que o seu Natal seja cheio de paz e harmonia
em companhia dos amigos e da família.
Que a passagem deste ano
renove e revigore
em todos nós a esperança
de saúde,
prosperidade,
bem estar
e felicidade.
Boas Festas

amigona avó e a neta princesa said...

Passei para te deixar um abraço...bom feriado amiga...

Cris Caetano said...

Gosto demais dos teus poemas. :)

Beijinhos e bom feriado.

Maria P. said...

Fico à espera...:)

Beijinho, minha Maria*

joão marinheiro said...

Com uma foto assim, a fazer reviver memórias todas as palavras são poucas...

Abraço na beira da praia.

Nilson Barcelli said...

Rompes a saudade a cantar muito bem, querida amiga.
Gostei imenso do teu poema.
Beijos.

maré said...

a memória

lugar de todas as inquietações

onde se morre e se renasce

vezes

e vezes...


____
um beijo Maria

Memória de Elefante said...

A inquietação é o que nos move sempre...
Belo poema!

Um beijo

heretico said...

beijo, Maria...

... nada como uma boa escapadela!

diverte-te.

anonimosecxxi said...

Nestes ires e vires nos vamos encontrando, e é bom. Porque sbe sempre a pouco.
Gosto do acetinado...
Beijos

clic said...

Logo, logo!... :)

Teresa Durães said...

quando o amor nos invade, jamais queremos o largar

Fred Skill said...

5 *****
:)

Vanda Paz said...

Gostei desta cantiga

Beijo cheio de saudades

Manuela Fonseca said...

Passei para te deixar um Olá e como gostei deste poema.
"Nas memórias da minha inquietação"
Belas palavras!

Beijos, Maria*

C Valente said...

Rapido e trás outros tantos poemas de encantar
saudações amigas

AnaMar (pseudónimo) said...

Palavras
molhadas
gritadas
acetinadas
maravilhadas
in)certas
cobertas
perfumadas
amadas
tuas
e
s
c
o
n
d
i
d
a
s
no teu olhar.
Soltas
abertas
de
par em par.
Libertas (-me) a sonhar.
Beijo de mar

bettips said...

Da ilha sempre mágica
os poemas voam selvagens.
Um beijo, Maria

hfm said...

Esperaremos sempre porque as tuas palavras são-nos fundamentais. Um beijo.

margusta said...

Lindo!...Lindo! Querida Maria .

Quem dera eu soubesse romper a saudade a cantar .


ABRAÇO enorme para ti!

Margusta

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram aqui.

Bom fim-de-semana e beijos

paula barros said...

Afeto e ternura, foi o que me passou esse poema.

beijo

O Sibarita said...

Eita Maria poeta das boas! Vixe mainha se picou novamente foi? Hummmm... kkkkkkkkk

Poesia da zorra!

bjs
O Sibarita