Saturday, October 29, 2011

Hoje sem música, mas com Galeano



O direito ao delírio. Para um fim-de-semana comprido.........

19 comments:

heretico said...

beijo, querida amiga.

"roubei" o video para o FB

Celina Dutra said...

Esse homem!!! Das companhias mais lindas nessa vida! Obrigada! Já vi esse vídeo não sei quantas vezes, já li esse texto outras tantas! Mas toda vez que leio ou vejo é com a mesma emoção da primeira vez!
Girassóis nos seus dias. Beijos.

anamar said...

Vou ver , Maria.
Beijos e bom fim de semana.
Ana

trepadeira said...

Para que o delirio nos permita realizar os sonhos e as utopías.

Um abraço,
mário

mfc said...

Ele é soberbo!!
Estão a cortar-nos os nossos sonhos de uma vida!

Alien8 said...

Sempre!

salvoconduto said...

Ainda não arranjaram maneira de nos cortar o direito ao sonho mas continuam a tentar.

Abreijo.

Nilson Barcelli said...

A utopia serve para caminhar.
Gostei do vídeo.
Querida amiga Maria, tem um bom Domingo.
Beijos.

Justine said...

Sempre sedutor, Galeano. E a fazer-nos sonhar!
Beijo

Justine said...

Sempre sedutor, Galeano. E a fazer-nos sonhar!
Beijo

BRANCAMAR said...

Maria,

Obrigada pela tua sugestão. Conheço os títulos quase todos de Saramago, e tinha até alguns comigo, neste momento só tenho "Os cadernos de Lanzarote" mas na verdade só peguei no "Evangelho segundo Jesus Cristo", que também só li parte e não consegui concentrar-me no resto, porque andava em fase de absoluta falta de concentração, embora o tema tenha algo de comum com os meus conceitos de religião, no entanto algumas vezes Saramago exagerou públicamente, porque se por aí vieram muitos males ao mundo, também vieram alguns bens. Eu própria fui educada por franciscanos e não me sinto mal com isso, até pelo contrário, foram eles que me proporcionaram a primeira consciência política muito jovem ainda, foi numa revista deles que conheci Ary dos Santos com o poema "Kyrie" e outras coisas mais se poderiam dizer. Claro que essa é uma facção da Igreja que tem a ver com a libertação e não outra mais tradicional que não tem a ver com nada.
Por diversas razões os meus últimos anos não foram de muita leitura, agora sim começo a concentrar-me, apesar de neste último ano ter tido várias mudanças e falta de tempo... agora terei mais uma mudança, mas esta em termos profissionais, para perto de casa e então sim prometo-te que vou ler o "Levantado do chão", porque creio que terei uma melhor qualidade de vida, para me dedicar a outros voos.
Trouxe muitos livros comigo nas mudanças, mas faltam-me tantos, que terei ainda que reaver.

Depois falaremos então dos encantos da leitura, que é feita de tantos mundos que nos habitam e de tantos outros que passamos a conhecer. Uma companhia imprescindível.

Beijos

P.S. Ainda voltarei mais logo a este post.

Filoxera said...

Importante mensagem.
Ser não é ter; a vida é para viver.
Excelente, este teu post!
Um beijo, amiga.
Boa semana.

Maria said...

Obrigada por terem passado por aqui.

Beijos e bom feriado.

bettips said...

Mais do que escritor, jornalista, intervindo na vida e na política, este homem "abre-nos as veias" para vermos que TODOS temos o mesmo sangue. A mesma dor. Não esqueço o que disse sobre B.O., lembrando-lhe que não esquecesse que "a Casa Branca tinha sido construída por escravos negros".
E.. sabes, as minhas palavras, pedras, árvores, mares e céus, ninhos abandonados, casas, poemas escritos nas paredes, castelos na areia (feitos por um rapaz que chegou de cadeira de rodas e a quem sentaram na praia)... têm tantos significados, eu sei lá, tenho pudor de dizer referindo-me a "pessoas" e assim ponho as coisas a falar. Que não se julgue que não tenho julgamento: aquele é o meu lugar de apontamentos mas nunca, nunca, sem negar o meu direito ao delírio, à indignação, ao perseguir o sonho, a utopia.
Uma outra forma de estar: mais silêncio, mais clarividência, mais perto do próximo mais próximo, mais interior: contudo, viva e coerente. Percebes-me?
Bjinho

Maria said...

bettips

SIM!!!!!!!!!!!!

Bjinho.

bettips said...

Gosto desta ternura leve, aqui e lá, sorrindo, em travessuras antigas.
Obg Maria.
Boas noites

BRANCAMAR said...

Fantástico!

Maravilhosas utopias, algumas alcançáveis se os homens fossem todos de boa vontade.
Já "roubei" para a minha página do facebook, :)).

Beijinhos

João P. said...

obrigado Maria

Beijo

João

João P. said...

DE novo um muito obrigado pelo texto.

Faz todo o sentido

Beijo

João P.