Sunday, September 27, 2009

Brecht, hoje e sempre...

O Analfabeto Político

O pior analfabeto é o analfabeto político.
Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos.
Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe,
da farinha, da renda de casa, dos sapatos, dos remédios,
dependem das decisões políticas.
O analfabeto político é tão burro que se orgulha e
enche o peito de ar dizendo que odeia a política.
Não sabe, o idiota,
que da sua ignorância política
nasce a prostituta, o menor abandonado,
e o pior de todos os bandidos
que é o político vigarista, aldrabão,
o corrupto e lacaio dos exploradores do povo.


(Bertold Brecht)

27 comments:

Carlos Albuquerque said...

Caramba Maria!
Deviamos reproduzir este texto de Brecht e colá-lo em todas as esquinas, jardins e lojas do País.
Permites que te siga o caminho e o coloque também no meu blog? Pergunto porque não quero que passes e penses "imitou-me"! É que vou mesmo imitar-te!;)
Beijos. Não te esqueças da cruzinha!

Maria said...

Carlos Albuquerque

Leva-o à vontade. Não me pertence.
Oxalá todos os blogues o colocassem, para que todos o lessem...

Beijo
(como vou esquecer a cruzinha se passo lá o dia todo?)

Anonymous said...

Ai, Maria!
que texto mais Urgente!!!!
Brecht, sempre actual. sempre certeiro.

beijocassssss
vovó Maria

salvo said...

A porra toda é que o analfabeto político vota sempre e sempre na mesma gente...

Abreijos.

viajantes said...

obrigada Maria pelo Brecht,
partilhei no facebook, claro.

mariam [Maria Martins] said...

Maria,

depois da azáfama... descanso merecido!

gostei de 'Brecht' ...

fica bem.
um sorriso :)
mariam

OUTONO said...

Como é necessário dizer ...presente no saber dizer não...aos do costume!

Bravo Maria.

Beijinho

FERNANDINHA & POEMAS said...

OLÁ MARIA, BELA POSTAGEM AMIGA... ADORO-TE, BEIJINHOS DE CARINHO,
FERANDINHA

samuel said...

E ainda são tantos, tantos...

Abreijo.

Baila sem peso said...

Analfabeto bem completo!!!!!
Um Domingo repleto!!!

Um beijo e uma noite de sono bem desperto (ou será mais dorme Maria que amanhã é dia! ;))

bettips said...

Braço e abraço
Maria-maresia
um regaço cheio de cravos

todos os cravos que inventamos
em cada luta perdida e ganha.

Todos os Cravos da Liberdade.

Cris Caetano said...

É amanhã! :) Vote bem! hehe

Beijinhos

GR said...

Chegou o dia!

Um BOM domingo para todos que votem BEM!

Bjs,

GR

Fernando Samuel said...

Não é que isso seja novidade, mas este Brecht vem mesmo a propósito...

Um beijo grande.

Oris said...

Não sei porquê, mas cheguei à conclusão que a maior parte dos nossos políticos são analfabetos!!!

:)))

Um bom dia para ti, Maria.

Beijitos

isabel said...

adorei. e roubei!

beijos

Unknown said...

Hoje voltamos ao pragmatismo, o romantismo fica de lado, a "marinar".
Brecht, sempre.
E a cruzinha à esquerda.
Beijos.

Maria Fernanda said...

Sempre actual.
Força camarada!

bjs

António Maia said...

evidentemente!

Viva o marxismo!
Pela abolição da exploração do homem pelo homem.
Só os trabalhadores podem resolver a crise!

Obrigado!

Elvira Carvalho said...

E Portugal está cheio de analfabetos políticos. E sado-masoquistas também. Basta ver os resultados de hoje.
Um abraço

Parapeito said...

...e o povo de Portugal...deu o poder a quem quis... :(

Um abraço****

amigona avó e a neta princesa said...

Um grande abraço Maria...pelo trabalho, pelo cansaço e pela convicção que, determinada, nos diz - a luta continua!

Maria P. said...

Hoje e sempre, mais do que nunca...

Beijinho, minha Maria*

Sal said...

Hoje postei Brecht, também. E olha que não te li antes...
Abraço-te muito.

Em Viseu subimos 28%.
Vamos embora que amanhã há mais trabalho!

Beijinhos

rascunhos said...

Não é só o analfabeto político que faz nascer isso.

O lambe-botismo e o chico-espertismo também, creio eu !


um beijo

Alexandre said...

Vou roubar também, desculpe. Há muito tempo que precisava de passar esta ideia a uns quantos e eis a maneira perfeita de a transmitir.

Maria said...

Alexandre

Depois de uma curta visita ao seu blogue não entendo como é que levou Brecht daqui, nem para quê, nem imagino a quem o possa mostrar.
Tem a certeza que percebeu bem este poema de Brecht?