Saturday, January 06, 2007

...***...***...***...


Já não choro, já não tenho lágrimas,
secaram com o vento que ondula as searas
Tenho esta enorme angústia
na garganta e no estômago,
disseste que estarias comigo
e a meu lado só há o frio
dos lençóis e da tua ausência
Mas eu que sou terra e fogo e mar
hei-de erguer a bandeira dos não vencidos
e entrarei com ela, novamente,
pela porta da vida!

45 comments:

wicky said...

sem dúvida que sim

um dia mal para aprendermos a nos reerguer !!!

Um beijo

Luna said...

A força, nossa aleada nos momentos mais dificeis, nunca a abandones, é ela que te pode fazer sair vencedora.
beijinhos

Maria said...

wicky

É isso mesmo!
Até parece que estavas mesmo aqui à porta, à espera....
Um beijo

Maria said...

luna

E tu sabes que sim. Eu tenho momentos mais melancólicos, como toda a gente, mas sou uma mulher de força, e de garra!

E faz tudo parte da experiência de vida...

Um beijinho

poetaeusou said...

É !!! Maria.
Tu és, Terra, Fogo e Mar.
E Humanista, Maria, Totalmente.
poetaeusou(amigo) Já volto.

poetaeusou said...

METAMORFOSE (26)
Não passo um Segundo.
Sem pensar em Ti.
A força para Continuar.
Dão-me as lágrimas e os Áis.
Lágrimas Convulsas.
Que nenhum vento as Secará.
Os meus áis.
Vôam ao teu Encontro.
Não te dignas Responder.
A forma como Silibaste.
"Acabou e para Sempre"
Não articulei palavra.
A Garganta Estrangulou-as.
Fiquei sem força para Lutar.
A tua Ausência.
É mar revoltoso. Frio.
É fogo que me Consome.
Erguer a bandeira e Lutar ???
Mas como ???
Se a minha Bandeira, És Tu...!!!
poetaeusou(adaptador)

samaria said...

este texto és TU. e tenho tanto orgulho de ter uma tia como tu... ainda bem que em mim e na minha filha também corre desse teu sangue de fogo.

Luis Eme said...

Consegues aliar a sensibilidade com a força...
e o resultado são poemas extremamente intensos, Maria...

DE PROPOSITO said...

Ser perseverante é bom. Se bem que haja situações que põem as pessoas na mó de baixo.
Fica bem.
Manuel

A COR DO MAR said...

Esta poema "encaixou" bem, e olha eu ja avancei de bandeira na mão !!
Beijo;)***

said...

Há lá lamento ou torpor que se oponha à nossa vontade.

blugaridades said...

Os teus poemas são lindos. Será influência da ilha?
Beijinhos

Maria said...

poetaeusou

Muito obrigada pelas tuas palavras...

Essas metamorfoses vão dar-me que pensar...

Um abraço

Maria said...

samaria

Obrigada, linda.
O resto digo-te daqui a três dias... pessoalmente!

Um beijo

Maria said...

luís éme

Muito obrigada, ainda bem que gostas.
A tua opinião é importante pra mim...

Um abraço

Maria said...

de propósito

Quando as coisas nos põem na mó de baixo, só temos é que levantar, respirar fundo e ir em frente!

Fica bem

Maria said...

cor do mar

É assim que se fala, é isso mesmo.
Tens a bandeira na mão, só falta erguer o braço...

Beijoca

Maria said...



Não há, Não!

fica bem

Maria said...

blugaridades

Olha que nunca tinha pensado nisso, mas será?

Beijo

Kalinka said...

Depois da azáfama dos presentes de Natal, da caminhada desenfreada e decrescente para o Ano Novo, chega, sereno e mansinho o dia de Reis. Mas desde o dia 25 de Dezembro até ao dia 6 de Janeiro, há uma tradição que é genuinamente portuguesa, o cantar das Janeiras…

É maravilhoso ver os inúmeros grupos de pessoas que saem à rua, com frio, gelo e em alguns sítios até mesmo neve, para cumprir a tradição. Para ir de casa em casa, de porta em porta, de família em família, apenas para cantar e louvar os reis que visitaram o Deus-Menino.

É importante manter estas tradições que são tipicamente portuguesas, onde se cultiva o convívio e a alegria.

Abraços sempre.

Cadinho RoCo said...

És vencedora por não seres vencida.
É guerreira por seres aguerrida.
Mas que bela mulher és tu em noite de lua marítima.
(Dó diz que autoria é dele)
http://cadinhoroco.blogspot.com/

Maria said...

kalinka

É bonito sim, Eu já hoje tive por aqui o Zeca Afonso a cantar-me as janeiras e as orvalhadas.... às raparigas solteiras e às rapaarigas casadas...

Faz parte da nossa tradição e era bom que continuasse sempre...
Um beijo

Maria said...

cadinho roco

Desde que o Dó passou aqui umas horas a descansar, ficou a conhecer-me melhor.
E eu a ele também, ficámos amigos.
Trate bem dele.

Um abraço

dulce said...

Há que esperar pelo retorno!
Beijos

borrowing me said...

sim é fim de semana, e claro ânimo também é importante...
mas a ver pelo post... olha quem fala!
adorei, como sempre
bjs

Moura said...

Tens que repartir. Re-partir.Tornar a partir, recomeçar de novo a caminhada.
Para que cada dia seja um BOM DIA!
Bjos

Maria said...

dulce

É atrás dele que eu corro!
Beijo

Maria said...

borrowing me

Às vezes o que se escreve é o momento.
Não quer dizer que o ânimo não esteja em cima...
Beijo

Maria said...

moura

Estou a repartir e a re-partir, como dizes.
Sem dúvida!
Obrigada e beijo

António Melenas said...

È assim mesmo, Amiga
"A guarda morrre mas não se rende"
Há força neste poema.
Um grande abraço

PS. Voltei a colocar a mesma foto. Foi uma experiência, mas a primiotiva adapta-se melhor ao espírito do poema.
Obrigado

blugaridades said...

Disse que estaria contigo mas não cumpriu a promessa. Há tanta gente assim, infelizmente.
Beijinhos

Maria P. said...

A força do mar em cada palavra!

Boa semana, beijinho:)

Pedro Branco said...

Apetecia-me apenas dizer o seguinte, se me permites (quem sou eu?): chora; que quem chora sente. E deixa que as tuas lágrimas transfigurem os rios e renovem o mar. E depois sorri também. Para que as águas reflictam os teus olhos ao mundo. Para acordarmos todos melhor.

Beijo.

Maria said...

antónio melenas

A força que temos que ter para enfrentar o que por aí vem...

Um abraço

Maria said...

blugaridades

Vais ver que cumpriu, sim... a de amar!
Beijo pra ti

Maria said...

maria p.

Muito obrigada, e na Casa parece estar tudo mais calmo....

Um beijo

Maria said...

pedro branco

És muito generoso. As tuas duas últimas frases eu não as mereço. Embora tente...

Um beijo

maria said...

Que força, Maria!
Com este poema dás um empurrão (de alento) até aos mais tristes e deprimidos.
Grande Mulher!!!

Beijinhos.

Maria said...

maria

Muito obrigada pelas tuas palavras.

Um beijo pra ti

Aesis said...

Curiosamente, é quando angustiado que crio mais e melhor. É quando na percepção de uma determinada queda que me sinto no dever de mim mesmo... Eu sou espírito, sou o Norte extremo dos elementos.
Não és "ar"? Deixaste-o para que te pudesse secar as lágrimas?

Pedro Branco said...

Não merecer palavras é morrer. Não morreste.

foreveryoung said...

Pois, há que seguir em frente!
Bjs

Maria said...

a gerência

Creio que será no pico dos sentimentos - angústia ou paixão - que me apetece escrever.
Claro que também sou um pouquinho ar, mas ar mesmo, é quem eu respiro!

Obrigada pelas tuas palavras

Maria said...

pedro branco

As tuas palavras agora deixaram-me... sem palavras!

Maria said...

foreveryoung

Entendido, já vou em frente...

Um beijo