Tuesday, October 14, 2008

Apenas as estrelas...


É na solidão de ti que me desperto. num voo picado rente ao mar. à procura do horizonte que me vai fugindo cada vez mais. é na solidão que acordo do sonho. estendo as mãos vazias e guardo-as cheias de nada. ou de tudo. de dedos entrelaçados mas apenas sentidos. não apertados. ou soltos de ti. porque me escapas. porque voaste antes de mim. e agora o meu voo é solitário. sem as tuas asas para me cobrir. como manto, apenas as estrelas...

45 comments:

Vera said...

Manto de estrelas que te cobre... Que belíssima imagem Maria!

Adorei!

Beijo

Maria P. said...

Palavras tuas, tão, rasantes...

Beijinho e boa noite*

salvoconduto said...

Estamos bem acompanhados quando temos as estrelas por companhia. Pela janela espreito e não vejo nenhuma, dou-me conta de que estou só.


Abreijo

Deusa Odoyá said...

Olá minha estimada amiga Maria.
Um lindo poema, parabéns.

Uma semana cheia de paz e luz.
Recheada de muita fé e alegrias.
beijos amiga.
Regina Coeli.

Te aguardo em meu cantinho.

FERNANDA & POEMAS said...

Olá querida Amiga Maria, "Como manto, apenas as estrelas...", que palavras Amiga, dizem tudo e tudo é sentido... O amanhã é em geral esperança... Mas para ti, para mim será somente o recordar... A doce lembrança... De dias sem par!...
Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

Eduardo Aleixo said...

Bonito poema.É terno.
Boa noite, Maria.
EA

Gerlane said...

Belo! E senti cada linha do teu texto, como se tivesse sido escrito por mim.

Beijos te deixo!

Ana said...

Esse horizonte que se vai estreitando e fugindo...
Também o sei.
Por isso gosto tanto de te ler.

Beijinho e boa noite.

Carminda Pinho said...

...um beijo, Maria.

Carminda Pinho said...

Convite aceite, Maria.
Temos que combinar isso...:)

Beijos

AnaMar said...

Maria, eu que nada sei
atrevo a dizer-te
que há voos que devem ser feitos sozinhos. Não necessariamente em ensaios, mas por vezes, precisamos de todo o espaço, para melhorar o voo.

Assim, conseguimos acompanhar outros voos e ter a velocidade certa , para que nos acompanhem. (Isto é pura demagogia, porque na minha pressa voo e voo e nem percebo que por vezes , ninguém me acompanha :-))

Bjs...

...e boa aterragem

Teresa Durães said...

esse voo solitário...

Ana said...

... e são as estrelas que dão o brilho às tuas palavras.
Um beijo, Maria.

Tive pena de não te ver por lá no sábado...

Apenas eu said...

ninguém sabe quem voa primeiro...
poema lindo, triste, sentido.
Restam as estrelas e elas falam contigo.

Beijo e um xi-coração bem apertadinho.

LB said...

"apenas as estrelas". Que manto...!

Beijinho

A CONCORRÊNCIA said...

Conseguir apercebermo-nos da beleza das estrelas, mesmo com o céu cheio de nuvens já é um dom ...

Beijos Maria

hfm said...

Belíssimo!

Menina_marota said...

Na solidão das recordações, há um mar imenso, terno, seguro, que habita em nós. É esse mar que nos faz prosseguir e sentir a presença de quem amamos porque ela nunca desaparece de nós.

É na solidão que nos encontramos. Que encontramos a nossa alma e o nosso caminho.

Que o teu caminho seja profundo e terno, como a beleza do mar.

Beijinhos

Leticia Gabian said...

Maroca,
Nem sei o que falar diante de palavras unidas por tamanha emoção.


Beijo no coração, amiga-irmã

em azul said...

Um manto azul que brilha com a luz da tua alma de poeta. Um manto que esvoaça como pássaro a caminho do infinito céu. É quando ele se atreve no voo até à eternidade que alguém alcançou antes de ti.

Temos sempre quem esteja à nossa espera. Cá ou lá...

Um beijo
em azul

Uma Ilha said...

O que dizer Maria? Está lindo e sentido, sempre costumamos dizer que olhado as estrelas lá encontraremos quem nos deixou a velar por nós.Beijinho Maria
Espaço novo aqui estou. uma ilha

FERNANDA & POEMAS said...

Olá querida Amiga Maria, eu tenho mais dois espaços, que penso nunca teres visitado, queria convidar-te a dares-me e teu parecer, é pedir muito ? É ! Mas quando puderes dá uma olhada e deixa-me o teu comentário, por favor!

Reflexões=Contos tradicionais Açoreanos e
Pensamentos!

Muitas beijocas e uma tarde feliz,
Fernandinha

Fernando Samuel said...

Procura: o horizonte está lá...


Um beijo grande.

Nilson Barcelli said...

Um belíssimo texto sobre a solidão.
Triste mas excepcionalmente bem escrito.
Beijinhos.

heretico said...

um võo solitario e muito belo. imagens poeticas muito bonitas.

gostei muito,

beijos

Oris said...

Que lindas as tuas palavras, Maria...

Beijitos

Filoxera said...

Um tema recorrente aqui.
Gostava de sentir-te feliz...
Beijos.

Rosa dos Ventos said...

Palavras rasas de mágoa e eu com os olhos rasos de água!

Abraço

Agulheta said...

Maria. Mesmo afalr em solidão,adorei neste vôo picado de liberdade.
Beijinho

elvira carvalho said...

Com a crise que vai por aí qualquer dia já nem a imaginação tem forças para voar.
Um abraço

bettips said...

Há as pontes, Maria. Sempre (eu, mais tu, mais outros) atravessaremos as mesmas.
E um sereno banho de luar que nos vem de Amigos. Ah esse sim, que se guarda, gentilmente na memória.
Bjinho

Ludo Rex said...

Quando o céu estrelado está, sozinhos não estamos... Kiss

poesianopopular said...

Maria
Felizes dos que sentem as estrelas como manto!
bjos

Luis Eme said...

lindas as tuas palavras, Maria.

beijinho

joão marinheiro said...

Serão solitárias as gaivotas?
E o mar?
É o horizonte cada vez mais...
Abraço deste lado do mar.

Maria said...

Agradeço a todos a passagem por aqui.

Beijos

fj said...

poderei dizer que tb ontem voei...
como há muito não o fazia.
alguns beijos para ti maria.

Só Eu said...

Texto lindissimo.
Apetece ler e reler e ficar aqui para voltar a ler e a reler. Gostei muito.
Parabens
Beijinhos

mfc said...

E um dia quando abrimos a porta... lá está ela!

mariam said...

Maria,
tem aves que vão, mas sempre voltam... e de novo vão, e voltam...
tem outras que vão e não queremos que voltem
tem outras ainda que queríamos que fossem mas que nunca vão
e tem ainda mais outras que nunca queríamos que fossem...
quando, nós também aves, fazemos voos altos, planados, rasgados ou em queda livre, mas, no final apenas fizemos volteios, nunca os voos foram longos, nem arrojados, nem mudamos de lugar...nem de estar

umm grande sorriso :)

mariam

(sorry o coment... parece meio pateta! mas apeteu-me...)

mariam said...

ah!
acabei por não referir ...
quando não voamos atrás...

ouse voar e alcançar, Maria.

:)

Maçã com Canela said...

Que lindo maria.... amei as tuas palavras.... a foto que condiz na perfeição... esse silencio esse vazio essa solidão.. tão bem retratados nas tuas palavras,... esses são daqueles desabafos grandes do coração! Lindo maria.. que saudades tinha de aqui passar!!!!!

Já tnho pc novo YUPI!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Vanda Paz said...

já li este texto tantas vezes, tantas....

Beijo

O Sibarita said...

Dona Maria quem lhe disse que o horizonte está lhe fugindo?

Tá não, viu fia? Sei disso não! kkk

Dona menina, se alerte que coisas boas estão vindo ai, oi a surpresa... kkkkkkkk

Belo poema sofrido, apaixonante!

bjs
O Sibarita

Parapeito said...

Tão nostálgico como lindo :))~

E que belo teres esse manto de estrelas...