Saturday, April 21, 2007

Para que nao seja tarde...


Primeiro levaram os comunistas,
mas não me importei com isso
eu não era comunista.
Em seguida levaram alguns operários,
mas não me importei com isso
eu também não era operário.
Depois prenderam os sindicalistas,
mas não me importei com isso
porque eu não sou sindicalista.
Depois agarraram uns sacerdotes,
mas como não sou religioso
também não me importei.
Agora estão-me a levar a mim
Mas já é tarde...

(Bertolt Brecht)

16 comments:

Gi said...

É mordaz, sarcástico, acutilante e terrivelmente oportuno. Olha-se muito para o umbigo e pouco para o lado. Atendem-se pouco ás necessidades dos outros, é um Mundo muito "Tudo eu, tudo eu!".
Estou a lembrar-me dos referendos.
Porque julgas que há tanta abstenção? Não lhes toca, pelo menos na altura, não estão para se incomodar. Como o poema ele nem estão em idade de reproduzir, ou nem têm parceiro , ou nem... uma data de coisas ...

Estou sem inspiração, achoq ue hoje me vou daitar mais cedo, danada :O) mas vou !

beijinhos grandes e resto de noite feliz. (nem desejo muito já que falta tão pouco para ela acabar)
Tu és sereia eu sou coruja :)

poetaeusou said...

*
maria, amiga.
*
e eu pugnei pelo "vaticano II", que
só chegou a Portugal anos depois,
pela teologia da libertação, que
continua, pela doutrina social da igreja, não só católica, e levaram-me e resisti,continuei e continuo, sem algemas nem amarras, ajudando o
meu irmão, sem olhar a credos, a ideologias, a raças, étnias, pagando, desta forma a todos os que me ajudaram, gostei do meu BRECHT, o teu post tocou-me, estou
a ser piegas, já estou a dar-te muita "confiança" hihihihih, e vou
botar uma music que gostas muito no
meu post, uff, estou cansado ...
*
inté
*

Luís said...

O ideal de comunidade aqui tão bem plasmado. Um alerta bem-vindo e pertinente.

Tiago said...

Quando nós toca é que sabemos que tb nos diz respeito, quando ficamos a saber que não passamos ilesos das situações, sabemos que temos que reagir, mas como sempre tarde de mais. um retrato bastante actual, muito actual...


um beijo maria

Leticia Gabian said...

Só cuidar do particular em detrimento ao todo é de uma burrice!

Beijo grande, querida

rosa dourada/ondina azul said...

Pensár só em si próprio, é o que há mais por aí...

Bjs.
Bom fim-de-semana

Eufrázio Filipe said...

Não basta ter razão.Não basta constatar a realidade.Não basta olhar a flor é preciso interpretá-la - resistir com um cravo em riste.Há muito mar por desbravar.
A mim não me levam porque se necessário for - respiro por guelras.

pitanga said...

A coisa tá preta!!!


beijos

Luna said...

De que vale sermos uma raça "humana" de que vale sermos inteligentes, de que vale... se não tivermos amor para dar, se só olharmos para nós, podemos não ver ,ate nem sentir por importantes pensarmos ser, mas na verdade se virarmos as costas não somos nada.

Minha querida depois de varias nomeações no Lua de Cristal e nas piramides tive de escolher cinco bloges, estas nas minhas preferencias, já escolheste, não tens de repetir
jinhos

A.S. said...

Este poema de Brecht, não perdeu actualidade!... Bem pelo contrário!

Um beijo para ti Maria e um cravo vermelho!

Vladimir said...

Refere François Chateaubriand que “não somos nada, sem felicidade”.

Qual é a sua opinião sobre este tema?

Luis Eme said...

É uma grande mensagem, para estes nossos tempos de egoismo e incividualismo...

Juda said...

Que grandeza de poema... um abraço...

Era uma vez um Girassol said...

Adorei...
Tão actual que até dói...!
Beijinho, amiga poetisa!
Bom fim de semana!

Tozé Franco said...

Há autores intemporais.
Um abraço.

Maria said...

Muito obrigada a todos quantos passaram por aqui e assinalaram a actualidade deste poema de Brecht...

Beijos e abraços
(e cravos vermelhos!!!!)