Tuesday, November 04, 2008

Violentaram-me o silêncio

Abordaram-me como quem aborda
Uma criança, rebuçado na mão
Olhos meigos e sorriso triste
E eu calei-me
Andaram por caminhos ínvios
O pensamento atravessado
Com voltas e voltas e mais voltas
E eu nada disse
Fizeram todas as perguntas
As que quiseram e as
Que tinham para fazer
E eu não respondi
Finalmente
Violentaram-me o silêncio
E isso não tem retorno.
Por isso os meus olhos estão tristes!

36 comments:

Eduardo Aleixo said...

Querida Maria,há momentos em que não tenho palavras, em que preferia estar presente, neste caso, de ti, para, embora te compreenda, pudesse compreender-te melhor e...dar-te um abraço.
Eduardo

salvoconduto said...

Por favor o silêncio não. É das poucas coisas que são só nossas.

Abreijo.

fj said...

nada pior para quem quer manter o ou estar em silencio, é o de ser envadido com sonorizações vocais... detesto isso. Mas Violentar entendo-o, ainda que muito mal comparado, como uma traição à nossa intuição.
É como quebrar o silêncio por obrigação...
bjs meus em ti.

em azul said...

Muito bonito... a violência deixa-nos sempre os olhos tristes!
Um beijo
em azul (pardo pelo adiantado da hora)

samuel said...

E tudo fica triste, visto pelos nossos olhos tristes...

Abreijo

BlueVelvet said...

Violentar o nosso silêncio é como violar a nossa alma.
Lindo.
Beijinhos

A. Jorge said...

Este maravilhoso poema deixa transparecer uma ponta de tristeza que o silêncio ajuda a curar. Quando este é violentado, realmente não tem retorno, mas haverá sempre algo que se possa fazer para que de novo um sorriso possa brilhar. Entre as muitas coisas gratificantes da vida existe uma que é o de observar o sorriso feliz de alguém que gostamos.
Por isso, querida Maria, mostra lá o teu que deve ser lindo!

E deixa a tristeza para trás. Às vezes não é fácil, eu sei. Mas...

Um beijo

Jorge

Carminda Pinho said...

Maria,

não sei que te diga, amiga.
Estou aqui...

Beijos

Apenas eu said...

O silêncio que tanto perservas...
Entendo o teu olhar triste... tão belo e triste como o teu poema.

Só queria uma forma de te fazer rir os olhos.

Gosto muito de Ti Maria.

zmsantos said...

Pudesse eu levar-te uma luz, aos teus olhos tristes, no silêncio deste meu grito mudo.

Beijinho, amiga.

Anonymous said...

Os teus olhos tristes não! Não permitas, que alguém os ponha assim!

O silêncio só deve rompido, se assim o entenderes. Ninguém tem o direito de fazer falar a voz que se quer calar, mesmo que ela grite ao mundo em silêncio.

Beijinho, lamentando não ter ficado mais perto... Apesar de saberes que este "longe", não é nada...

Catarina

Teresa Durães said...

a intrusão no nosso silêncio é sempre violenta.

Filoxera said...

Oh, querida, como eu te entendo...
Isto podia ter sido escrito por mim, se tivesse a tua capacidade poética.
Beijos.

FERNANDA & POEMAS said...

Olá minha querida Maria, não sei o que se passou, mas detesto que fiques triste... Já sabes oonde vir buscar um ombro Amiga do coração... Deixo-te muitos beijinhos de carinho e amizade,
Fernandinha

Justine said...

Dorido, pungente, o teu poema hoje. Ou tu?

Leticia Gabian said...

Maroca,
Apesar dos teus olhos tristes a tua alma é leve e brilhante.
Tem a alma opaca e negra aquele que violenta, que ameaça, que tolhe, que castra, que fere...

Beijo no coração, amiga-irmã

MIMO-TE said...

Um dia aprendemos que a dor vem,
sabemos que a podemos gritar e chorar,
mas também sabemos que ela não permanece, porque crescemos e sabemos esperar pelo amor e pela alegria que ele sempre trás.


Beijos querida
O poema é lindo, tal como a tua sensibilidade.

Deixo-te mimos, muitos...
Paula Minau

Melsavinon said...

Que lindo esse post!
Por isso me encantei com essa ilha....bjs

luísa said...

só para deixar um abraço... hoje

Vieira Calado said...

Em estilo prosaico, também pode acontecer poesia.
É o caso.

Bjs

Delfim peixoto said...

tens os olhos tristes porque sem tristeza não se pode saborear bem a alegria, quando ela chegar

Utopia das Palavras said...

E os teus olhos
não brilharam
e o teu corpo
jazeu
inerte
afrontado
e...
descrente
procurou
outro lugar...!

Beijo Maria
Ausenda

Nilson Barcelli said...

E são tantas as vezes que isso nos acontece... e vamo-nos calando...
Mas deixa lá, da próxima dá um grito antes que te violentem o silêncio... e bebe um bagaço...
Excelente poema cara amiga.
Beijinhos.

Agulheta said...

Maria. Nada se compara com a escrita aos teus silêncios,es boa e de coração limpo,por tal nada pode calar o silêncio!
Beijinho terno e de amizade

LOURO said...

Olá querida Maria, hoje estás triste...
Deixo-te muitos beijinhos de carinho.
Lourenço

Ludo Rex said...

Silêncio e tristeza, não... Olhar sempre em frente, custe o que custar.
Abreijos

hfm said...

Não tem retorno, não, Maria; mas a poesia invadiu as palavras.

Fernando Samuel said...

Há dias em que até «inventar brincadeiras é violentar um pesadelo»...


Um beijo grande.

Mona Lisa said...

Revejo-me neste belo e profundo poema. Tristeza e silêncio fazem parte de mim.

Lisa

Lúcia said...

Maria - tão, mas tão forte, que mais nada digo.

Beijinhos com olhos húmidos

Carminda Pinho said...

Tás aí, Maria?
Goatava tanto que estivesses aqui, perto de mim...a conversar...

Beijos

SMA said...

E o silêncio conjuga-se com este tempo de recolhimento
.
.
.
do dentro
.
.
bjo grande

Maria said...

A todos que passaram aqui o meu Obrigada.

mfc said...

O nosso silêncio é intimíssimo.

Mié said...

sem palavras.

...

um beijo

enorme.íssimo

O Sibarita said...

Maria sorria que você está sendo filmada da Bahia! kkkkk

Ah, não gosto de saber de você triste, gosto de vê-la alegre sorridente, entusiasmada, desejosa... Então, Nega tire essa tristeza dos seus olhos que vou passar com meu trio elétrico da alegria! kkkkkkkkkkkk

Sabe neguinha essas coisas são para testar nossa paciência...

Êta mulher porreta! kkkk

bjs
O Sibarita