Monday, April 13, 2009

As palavras


As palavras não me chegam à boca nem às mãos não as consigo dizer nem escrever e no entanto estão todas cá dentro sinto-as num turbilhão no estômago acotovelam-se gritam umas com as outras mas recusam-se a sair As palavras que tenho para vos dar são doces e amargas são fortes e fracas são paz e guerra mas não saem continuam cá dentro ouço-as rir parece que brincam comigo ou decidiram esperar que me canse e as vomite mas não As palavras que quero falar são azuis e brancas e vermelhas e verdes têm todas as cores de todas as flores às vezes penso que as palavras que tenho cá dentro são flores mas não sou terra apenas as sinto e não são raízes de mim As palavras que vou libertando aos poucos voam-me e não as seguro porque são pássaros de asas azuis pedaços meus e voam tão alto asas feitas de algodão e maresia de espuma e areia de fogo e vento de ar e de água é isso as minhas palavras asas são feitas de água. Onde desaguas o teu rio. Onde eu me desfaço. No mar de todos os afectos.

37 comments:

samuel said...

Como uma onda... estas palavras.

Joao P. said...

Maria:

Desta vez não tenho palavras.

Vou imprimir. é belo

Obrigado

Beijo

João

Maria P. said...

Belas são as palavras, sempre...

Beijinho, minha Maria*

Pedro Branco said...

Ainda haverás de dar este grito numa praia para eu ouvir. Depois correremos rente à água e hei-de salpicar-te com ela. Deves ser friorenta. E riremos tanto que depois saberá bem sentarmo-nos na esplanada a beber uma cerveja e a comer... favas (?) e ver o sol a pôr-se. As palavras essas ficarão no ar a saltar de sonho em sonho de amigo em amigo de rio em rio.

Um beijo MUITO grande, Maria.

Oris said...

Lindo....lindo....lindo!!!!

Estas palavras chegaram ao meu coração.

Obrigada, Maria, por escreveres coisas tão bonitas e eu as poder ler.

Beijitos

Eduardo Aleixo said...

De asas feitas de água...gostei.
Boa semana.
Eduardo

Menina do Rio said...

Palavras que voam e levam beleza onde quer que pousem...

Beijo de boa semana pra ti, Maria

fj said...

obrigada.
Já só escrevo e leio "Palavras".


Gostei!...Estas "tuas" são mesmo as palavras certas.
Liberta-as!!100medo.

Beijos, Maria.


ps:amanhã venho ler mais palavras libertadas(dadas) por "ti"

Cris Caetano said...

E essas palavras falam aqui dentro tanto, Maria.
Vou mudar um post por tua causa. :)

Beijinhos

Emigrante said...

Se "as palavras não te chegam à boca nem às mãos", como é que elas "são asas" tão lindas, "feitas de água".

Obrigado por teres palavras assim.

Teresa A.

Carminda Pinho said...

Maria, fiquei sem palavras.
As mais bonitas que conheço, estão todas aqui, neste mar de palavras e de "todos os afectos", como dizes.

Beijinhos amiga.

PS: Eu sabia que ias gostar.:)

Delfim Peixoto said...

Maria... GRITA! Vai ao teu mar e GRITA, solta a voz nem que seja só um ah, um eh, ih, oh, hu, mas nãp prendas as palavras nem a voz ( escrita)! Bastam aqueles que foram "cosidos" na boca, por esse mundo fora.
Poéticamente, consigo perceber o que sentes, mas mesmo assim, se sentes as palavras é porque elas estão "lá"! Não te quedes no silêncio. Fala, nem que seja numa imagem, numa música, numa pintura, mas nunca consegurás dizer o que as palavras dizem... porque poucos as conseguem ler na Arte!
(Oooops .... tu não consegues dizer e eu aqui a alongar-me....)
Bjnhs COM MUITO BARULHO!

Delfim Peixoto said...

Vim reler... tu és marota! No "não" disseste sim e no "sim" disseste não, de uma forma subtil, magistral e "femininamente" sentida.
(Aqui há gato)
;)

Delfim Peixoto said...

Oopps ( se quisres/achares pertinente, apaga o comentário menos "sensato")
Ok, vou recomentar aqui, talvez, mas nem sei se a resposta a Vinicius será a mais lógica, mas vou por tentativas e já agora posso abrir a tertúlia. ( Adorei o teu comentário!)

As Regras Da Sensatez
Rui Veloso
Composição: Carlos Tê / Rui Veloso

Nunca voltes ao lugar
Onde já foste feliz
Por muito que o coração diga
Não faças o que ele diz

Nunca mais voltes à casa
Onde ardeste de paixão
Só encontrarás erva rasa
Por entre as lajes do chão

Nada do que por lá vires
Será como no passado
Não queiras reacender
Um lume já apagado

São as regras da sensatez
Vais sair a dizer que desta é de vez

Por grande a tentação
Que te crie a saudade
Não mates a recordação
Que lembra a felicidade

Nunca voltes ao lugar
Onde o arco-íris se pôs
Só encontrarás a cinza
Que dá na garganta nós

São as regras da sensatez
Vais sair a dizer que desta é de vez

Maria said...

Delfim Peixoto

Só aqui voltei agora.
Claro que não apago nada, muito menos o que me faz sorrir...
E devo dizer-te que volto vezes sem conta ao(s) lugar(es) onde fui feliz.
Só há cinzas se eu quiser. E os meus nós são outros... Um dia irás perceber.

Bjinho, com sensatez
:)

A CONCORRÊNCIA said...

E é por te desfazeres no mar de todos os afectos que as palavras teimam em sair de dentro de ti. Logo mais elas sairão mais fortes e lindas que nunca, se isso for possível ...

Beijo grande

Teresa Durães said...

por vezes as palavras são irreverentes e escapam-nos, escondem-se, diluem-se

Pitanga Doce said...

Maria, este rio de palavras que não podes conter é o que nos faz voltar sempre aqui.

bom dia Maria

Leticia Gabian said...

Ainda bem que não ficam mesmo dentro de ti
Ainda bem que nadamos no mar dos teus afetos.

Beijos enormes, AICeT

P.S. Falei com Gabi hoje...Mandou-te um beijo

BlueVelvet said...

Para quem no post anterior dizia que lhe faltavam as palavras!
O que vale é que não acreditei.
Lindo,lindo, lindo.
A mim é que me faltam as palavras para deixar um comentário.
Que bom fazer parte dos teus afectos.
Beijinhos

mdsol said...

Vais-te dando com palavras
Vais recebendo com palavras
Vais-te construíndo com palavras
Somos também a palavra!

Lindo texto Maria.

(E obg pelas tuas palavras lá no branco)

Dantins said...

Lindas palavras :)
São palavras que voam porque são palavras de liberdade.

Clotilde S. said...

Maria,

Como podem ser agridoces as palavras e tão irrequietas, sobretudo as que queremos deixar sair mas que por medo ou pudor mantemos encerradas.

Gostei muito deste microtexto.

Beijinhos muitos ****

Pico minha ilha said...

Sem palavras!!!Só um imenso sorriso :)).Beijo Maria

Baila sem peso said...

Palavras que no teu corpo lavras!
São o sentir de mentes bravas!
Que só no interior se entendem
e só por momentos, se perdem...

Beijinhos

Apenas eu said...

As tuas palavras aqui quiseram brincar :)
Mas saíram bem, ás cores, doces e com asas.
Algumas delas chegaram cá a casa :)

Adoro o teu mar.

beijos muitos meus para Ti.
ptgetqibnpcecop :)) queres um dicionário??? ))

utopia das palavras said...

Um Universo...nas palavras que desaguas...!

Pedaços nossos...!
Lindo!!!!

Um beijo

Meg said...

Maria,
Ao ler-te, imaginei-te debaixo de uma cachoeira... água de palavras, água de sentimentos.
Que mais te posso dizer senão que li as tuas palavras sem respirar?

Beijo, do lado de cá

Fernando Samuel said...

É no MAR que te encontras... sempre.

Um beijo grande.

PreDatado said...

Paroles, paroles, paroles.

Gostei das palavras de água.

amigona avó e a neta princesa said...

Obrigada, obrigada, obrigada! (tu sabes!)...beijo amiga...

KrystalDiVerso said...

Baralhou-me!... Por razões várias.

Não sei bem como comentar mas... comentarei, concerteza!...

Escolha entre... beijos e abraços

anamar said...

Vês Maria, como as palavras estão aí de novo!!!!
Belas e sem rodeios!
Abracinho
Ana

Maria said...

Muito obrigada por terem passado aqui.

Beijos a todos

Arabica said...

Palavras feitas de ti.


Um beijo (ainda que atrasado)

Ana Oliveira said...

Palavras...asas de água...belíssima imagem a levar-nos na imaginação...às madrugadas de orvalho...às gotas de lágrimas...aos pingos da chuva nos cílios das manhãs...

Um beijo

Ana

simplesmenteeu said...

...deixa que as palavras se soltem...
deixa que cresçam, na brancura do papel...
só nelas chegarás a mim...
as tuas mãos estão longe. o seu calor não chega onde as minhas estão...
e perde-se o teu olhar, na distância que nos separa...

deixa que as "tuas palavras asas de água"...se soltem... azuis, brancas...
e passem na minha pele, num arrepio de saudade...

lindissimo texto-poema!

abraço apertado de Sempre