Monday, April 20, 2009

Comemorar Abril com Ary dos Santos

Sonata de Outono

Inverno não ainda mas Outono
a sonata que bate no meu peito
poeta distraído cão sem dono
até na própria cama em que me deito.

Acordar é a forma de ter sono
o presente o pretérito imperfeito
mesmo eu de mim próprio me abandono
se o rigor que me devo não respeito.

Morro de pé, mas morro devagar.
A vida é afinal o meu lugar
e só acaba quando eu quiser.

Não me deixo ficar. Não pode ser.
Peço meças ao Sol, ao céu, ao mar
pois viver é também acontecer.

Ary dos Santos

27 comments:

Carminda Pinho said...

E comemoras muito bem!
Ary, foi um poeta de Abril. É justo que seja dito, falado, cantado e comemorado com Abril.

Beijos

Delfim Peixoto said...

Intemporal!
bj

A CONCORRÊNCIA said...

Nada de nos deixarmos ficar, porque viver é também acontecer .

Beijo grande

utopia das palavras said...

Porque a vida é afinal o nosso lugar...façamos dela a nossa força para lutar!

Ary connosco...sempre!

Um beijo

clic said...

Se não fizermos acontecer, mais vale apagar Abril do calendário!... :)

JC said...

Poeta castrado não!

Serei tudo o que disserem
por inveja ou negação:
cabeçudo dromedário
fogueira de exibição
teorema corolário
poema de mão em mão
lãzudo publicitário
malabarista cabrão.
Serei tudo o que disserem:
Poeta castrado não!

(Ary dos Santos)

Um homem e poeta que sempre admirei...

Justine said...

Apetece cantar Ary, em coro e de mãos dadas. Vamos a isso?

Meg said...

Maria,

Um Ary, cujos poemas estão cada vez mais presente no nosso dia a dia.
É preciso trazê-lo aqui, neste Abril.

Um beijo

GR said...

Ary caminha lado a lado com todos que acreditam que é possível, um Abril mais justo!
Ary dá-nos força e alegria para a Luta diária.
Ary Sempre!

Viva Abril!

Carlos Barros said...

Podes comemorar aqui:
A Fronteira do Caos Editores e o autor convidam Vossa Excelência para a sessão de lançamento do livro, O Ladrão de Livros da autoria de Carlos J. Barros, a ter lugar no próximo dia 25 de Abril pelas 18 horas, na Livraria Alêtheia. A apresentação pública do livro será da responsabilidade de Paulino Coelho.

Beijo

Maria said...

Carlos Barros

Será difícil estar às 18 horas em qualquer outro sítio que não seja a Avenida da Liberdade, em Lisboa...
De qualquer modo desejo sucesso para o teu livro.

:))

Teresa Durães said...

morrer de pé por tudo o que se acredita

Fernando Samuel said...

Com a certeza de que comemorar Abril com um poeta... não há melhor escolha do que o Ary...

Um beijo grande.

De Amor e de Terra said...

Lutador até ao fim!


Bj

Maria Mmede

Baila sem peso said...

Venho de ler teu Materno,
e venho ler aqui, Ary
das palavras prendes de vida
em que se canta Abril e Maio
quer seja Outono ou Inverno
viver nos poemas que deixas
é um colo vitorioso e terno!

Boa semana
beijinhos

A.S. said...

Maria,

Um belissimo soneto do "nosso" querido ARY, Poeta de Abril que continua presente entre nós através da sua poesia!...

Bem Hajas!

Um abraço!

Maria P. said...

"Morro de pé, mas morro devagar.
A vida é afinal o meu lugar
e só acaba quando eu quiser."

Faz tanto sentido...

Beijinho, minha Maria*

Eduardo Aleixo said...

Comemorar Abril sem a voz do Ary não faz sentido. A sua voz tem a força de Abril. É um poema muito forte e muito belo. Obrigado pela partilha.

MPereira said...
This comment has been removed by the author.
Pico minha ilha said...

É Maria, viver é acontecer ou fazer acontecer.E muitas vozes são precisas para fazer acontecer.Beijo Maria.
ps:Inveja, alguém pode ter mas não será a Maria.

Joao P. said...

Maria:

Fazer acontecer e viver!

Obrigado Maria. Desconhecia este

Beijo

João P.

Oris said...

"...pois viver é também acontecer."

:))

Beijitos, Maria.

Agulheta said...

Que Abril seja aqui e agora e sempre,na escrita de ARY.
Beijinho

Lisa

Delfim Peixoto said...

Psiuuu psiuuuu maria (em sussurro) ... não percebi " as ausências".....

shhhhh

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram aqui..
beijos

pin gente said...

já fui ler a tua liberdade, maria
gostei bastante... muito mesmo!
parabéns

O Sibarita said...

Dona moça, conheço pouco do Ary, mas, pelo que já li, é um poeta que nos toca profundamente pelas palavras revoluconárias!

Beleza de creuza! (como dizemos aqui kkk)

Bjs
O Sibarita