Wednesday, April 01, 2009

Porque me apetece Ary dos Santos

Original é o poeta

Original é o poeta
que se origina a si mesmo
que numa sílaba é seta
noutro pasmo ou cataclismo
o que se atira ao poema
como se fosse um abismo
e faz um filho ás palavras
na cama do romantismo.
Original é o poeta
capaz de escrever um sismo.

Original é o poeta
de origem clara e comum
que sendo de toda a parte
não é de lugar algum.
O que gera a própria arte
na força de ser só um
por todos a quem a sorte faz
devorar um jejum.
Original é o poeta
que de todos for só um.

Original é o poeta
expulso do paraíso
por saber compreender
o que é o choro e o riso;
aquele que desce á rua
bebe copos quebra nozes
e ferra em quem tem juízo
versos brancos e ferozes.
Original é o poeta
que é gato de sete vozes.

Original é o poeta
que chegar ao despudor
de escrever todos os dias
como se fizesse amor.
Esse que despe a poesia
como se fosse uma mulher
e nela emprenha a alegria
de ser um homem qualquer.

Ary dos Santos

(eu vou ali. depois volto logo, logo)

54 comments:

samuel said...

E ele era!

Joao P. said...

Por isso é que há poetas (originais) e há aprendizes

E eu nem uma coisa nem outra.

Muito obrigado por me mostrares A poesia

Beijo e volta logo

João

Carminda Pinho said...

Ary, sempre original...
Beijos

anamar said...

Por cá passei com o pazer de sempre!
Obrigada pelo poema!
Beijo
Ana

Ana said...

Vai, Maria. Ficamos na boa companhia da poesia de Ary. Não conhecia este poema e gostei muito.

"esse que despe poesia
como se fosse uma mulher
e nela emprenha a alegria
de ser um homem qualquer"

Um beijo à espera que voltes.

Luís said...

e apetece-te muito bem...

beijinho Maria

Baila sem peso said...

Sei que vim um pouco tarde
mas para encontrar de novo Ary
a poesia apetecida
me fez decerto poisar aqui

e eu não sendo original
sou uma aprendiza de amor
que beija a poesia
seja em que dia for...

e o POETA é que sabe
e tu podes ir descansada
que ele toma conta do teu cantinho
com a sua poesia amada!

Volta quando der
e quando a tua alma quiser!

Beijinho atrasadinho :)

salvoconduto said...

Original também tu és.

Abreijos.

Anonymous said...

Tanto que se podia dizer de Ary:
Desde
Poeta é certo mas de cetineta
...
...
porém morrendo aos poucos de ternura.
(Auto-retrato)
Como:

Homem é quem tombando apavorado
dá o sangue ao futuro e fica ileso
pois lutando apagado morre aceso.
(Retrato do herói)

Ou

Senhora dona águia água égua
...
...
...
Porém quando por vezes és de pedra
não mármore mas arvore mas dura
do fundo do teu mar levanta-se a cratera
da nossa lusitana sepultura.

(in Retrato de Sophia)

Aten

BlueVelvet said...

Quando me lembro da voz dele a dizer:

Serei tudo o que disserem
por inveja ou negação:
cabeçudo dromedário
fogueira de exibição
teorema corolário
poema de mão em mão
lãzudo publicitário
malabarista cabrão.
Serei tudo o que disserem:
Poeta castrado não!

Os que entendem como eu
as linhas com que me escrevo
reconhecem o que é meu
em tudo quanto lhes devo:
ternura como já disse
sempre que faço um poema;
saudade que se partisse
me alagaria de pena;
e também uma alegria
uma coragem serena
em renegar a poesia
quando ela nos envenena.

Os que entendem como eu
a força que tem um verso
reconhecem o que é seu
quando lhes mostro o reverso:

Da fome já não se fala
- é tão vulgar que nos cansa -
mas que dizer de uma bala
num esqueleto de criança?

Do frio não reza a história
- a morte é branda e letal -
mas que dizer da memória
de uma bomba de napalm?

E o resto que pode ser
o poema dia a dia?
- Um bisturi a crescer
nas coxas de uma judia;
um filho que vai nascer
parido por asfixia?!
- Ah não me venham dizer
que é fonética a poesia!

Serei tudo o que disserem
por temor ou negação:
Demagogo mau profeta
falso médico ladrão
prostituta proxeneta
espoleta televisão.
Serei tudo o que disserem:
Poeta castrado não!

Vem uma saudade.
Ary apetece sempre.
Beijinhos e até logo

Delfim Peixoto said...

Bem escrito e lembrado!
Recuperei o meu blog antigo..uffff o blogger é amiguinho

jnhs

http://poemasluar.blogspot.com/

De Amor e de Terra said...

Olá minha querida, bom dia.
É claro que quanto a mim, lembraste muito bem!!!

E quanto ao que deixaste aquando da tua visita, MUITO BEM mesmo!!!!!!
Fiquei feliz com o que escreveste.
Muito belo e outra coisa não seria de esperar.
Beijos Amiga

Maria Mamede

A CONCORRÊNCIA said...

É na originalidade que está a diferença, no caso de Ary dos Santos a diferença está na sua genialidade.

Beijos e até logo

Justine said...

A riqueza das palavras do Ary vai dar-nos para alguns dias...vai descansada:))E volta bem!

utopia das palavras said...

Efectivamente, Maria, ARY...!!!!!

Escrever "poesia" como se fizesse amor... é espelho de mim!!!

Vai...!

Um beijo

Fernando Samuel said...

Por que será que quando te apetece um poeta (ou um músico), apetece-te BEM?


Um beijo grande.

Maria P. said...

Eu gosto quando tu fazes/escreves o que te apetece!:))

Beijinho, minha Maria*
Até logo...;)

Eduardo Aleixo said...

Que maravilha de poema!
Gostei muito.
Um beijo, Maria.
Eduardo

Fernando Pinto said...

Original é o poeta

mas também o é o teu olhar, a forma como olhas para as formas da vida!

Fotografar é isso: OLHAR!

Beijinhos de quem gosta muito do perfume da tua ilha!

Leticia Gabian said...

"Original é o poeta
expulso do paraíso
por saber compreender
o que é o choro e o riso"

Original, Ary.

Grande e sensível, Maroca.

Beijo enorme, AIC

Cotovia said...

...e ainda bem que te apeteceu! Só mostra o teu bom gosto.

SILÊNCIO CULPADO said...

Maria

Gosto de Ary dos Santos. E fica bem em Abril.

Abraço

Meg said...

Maria,

Esse que despe a poesia
como se fosse uma mulher
e nela emprenha a alegria
de ser um homem qualquer.


Só mesmo o inesquecível Ary.

Bem hajas.

Um beijo

FERNANDA & POEMAS said...

QUERIDA MARIA, GOSTEI DA TUA POSTAGEM AMIGA... ADOREI!!!
ABRAÇO DE CARINHO,
FERNANDINHA

mdsol said...

O Ary dos Santos é... torrencial...

:)))

Maria, não participas no concurso do branquinho?
Ohhhhhhhhhhhhhhhhh
:))

as velas ardem ate ao fim said...

Viva Abril!

bjo

poesianopopular said...

...e apetece-te muito bem!Eu cá por mim agradeço-te!
muitas beijocas, amiga!

Alexa said...

AMIGA:
ARY
SEMPRE
RETRATO DE AMIGO


Por ti falo. E ninguém sabe. Mas eu digo
meu irmão minha amêndoa meu amigo
meu tropel de ternura minha casa
meu jardim de carência minha asa.
Por ti morro e ninguém pensa. Mas eu sigo
um caminho de nardos empestados
uma intensa e terrífica ternura
rodeado de cardos por muitissímos lados.

Meu perfume de tudo minha essência meu lume minha lava meu labéu
como é possível não chegar ao cume de tão lavado cèu ?

Belos poemas para começar Abril.

abraço

Anonymous said...

Não são de Ary, mas foi o que passei para uma folha de papel, naquele dia que não irei esquecer nunca, porque o vivi.

25 de Abril de 1974

Percorri lentamente
no espaço e no tempo
a distância
que me separava de ti
Liberdade.
Minutos,
horas de solidão
que vieram da noite dos tempos
preencheram esses dias
vazios do que não tive.
Cansado de mim,
contei quilometros de medo
esperando materializar-te
no claro escuro
de anos cinzentos.
25 de Abril de 74
Um dia bastou para te encontrar
Liberdade.

Aten

Cris Caetano said...

:) Perfeito!

Beijinhos

PreDatado said...

Ary é algo que se deseja praticamente sempre.

Lúcia said...

... e este Homem fazi amor com as plavras.

Beijito e volta depressa, Maria

Teresa Durães said...

e escrever todos os dias é um aprofundar das emoções diariamente

Agulheta said...

Maria. Muito bem as palavras de Ary,neste começo de Abril, e destas devems sempre estar presentes.
Beijinho

Nuno de Sousa said...

Um belo poema de Ary dos Santos um grande poeta do nosso belo Portugal.
Bjs amiga e um bom dia para ti
Nuno

bettips said...

Desata o nó. Como fazes com os braços, com a força que tens.
E desata o esquecimento com a lembrança do poema.
Bjinho

Clotilde S.(canela_e_jasmim) said...

E apetece-te muito bem! Grande Ary, Poeta da nossa geração !

Beijos

Apenas eu said...

Original é o poeta porque sendo de todo o lado não é de lado nenhum...
O mesmo acontece com os sonhadores, ou com aqueles como eu que andam pendurados nas nuvens :)

Apeteceu-te e muito bem.
Sempre Ary. Bom demais.

Beijos
Cá te espero :)

Artur Gonçalves Dias said...

Palavras que saúdam outras palavras
(enormes)


Saudações

Goldfinger said...

Obrigado Maria! És uma amiga muito especial e estou-te grato pelas atenções que tens tido para comigo.
Hoje é um dia realmente muito feliz nas nossas vidas e tal como digo no meu cantinho, fomos bafejados pelos céus, não só pelos filhos que temos, mas também pelas netas e netos, pelos sobrinhos, que no fundo são o garante da continuidade.
Agradecemos a Deus, todos os dias por estas graças todas.
Bem hajas querida amiga!

Um grande beijinho

António
GOLDFINGER

Olhos de mel said...

Querida amiga, não conhecia essa poesia, mas achei simplesmente maravilhosa!
Bom fim de semana!
Beijos

Rosa dos Ventos said...

Obrigada por mo recordares!

Abraço

Arabica said...

Ary tão grande.



Bom fim de semana, beijos

maré said...

a singularidade de Ary

lembro-lhe a irreverência a lucidez a frontalidade, únicas

.

um beijo Maria

Oris said...

Recordar....é o que nos resta...

Soube bem!!!

Beijitos, Maria

Pico minha ilha said...

Tão bem despia e vestia seus poemas.Um beijo Maria e até à volta.Bom fim de semana

mariam said...

Maria,
Sempre muito bom, ler Ary...

bom fim-de-semana
um sorriso :)
mariam

Ludo Rex said...

E porque te apetece muito bem...
Kisses

Jorge Elias said...

E esse desespero de escrever-amor todos os dias...

Jorge Elias

A.S. said...

Maria...

O Nosso querido ARY, continua bem presente entre nós através da sua poesia!

Um abraço grande!

Tony Madureira said...

Olá,

Sem comentários...

Simplesmente lindo!!

anamar said...

Maria, Maria , por onde quer que andes, que estejas bem...
Dexas-te aso aos teus amigos para reviver e recriar Ary!
Que saudade!
bj
ana

OnlyMe said...

Gostei de ler Ary dos Santos.
Quem melhor do que ele para falar de originalidade?

Bom domingo para ti.

Jinhos :)

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram aqui.
Bom domingo.

Beijos