Tuesday, April 28, 2009

(O verme)

Fosse o verme nuvem,
por força teria
saudades do chão.


Armindo Rodrigues
(retirado daqui)

31 comments:

samuel said...

Muitas, muitas, certamente...
Tremendos três "pequenos" versos!

Abreijos

salvoconduto said...

Vermes é o que ultimamente tenho visto mais, andam nas nuvens e de vez em quando caem-nos em cima...

Abreijos.

Emigrante said...

Olá

Como 3 linhas podem conter tanto?

Beijos

PreDatado said...

Quase como um pensamento por força uma verdade.

GR said...

Maria,

Permite-me ofercer estes versos ao Sérgio.
Excelente adoro este poeta.

Bjs,

GR

GR said...

Leia-se,
Oferecer.

As minhas desculpas.

GR

Maria Faia said...

Com dez palavrinhas apenas se descreve a podridão.
Simples e conciso!

Um beijo Amigo, com votos de uma semana feliz,

Maria Faia

Anonymous said...

Quando li, vieram-me à memória uns vermes que tinham o seu poiso ali pela António Maria Cardoso.
Atrevo-me a colocar aqui, um retrato (fragmento) que eu escrevi em /72.

Meros sabujos obedientes
são do sistema fáceis criados
homens sem honra, subservientes,
servis fantoches utilizados.

Servos fieis de seus mandantes
são homens ratos, simples objectos
cumprem as ordens, sujas bacantes
servindo os fins dos mais abjectos

São prostitutas, de fácil compra
porcas rameiras de pouso incerto
que de semana ficam na montra
tendo, contudo, comprador certo

....
....

O resto, não sei por onde anda.

Aten

Ana said...

Não são precisas muitas palavras, para dizer o que é importante salientar.
Um beijo, Maria.

Delfim Peixoto said...

MAria, e ai se eles caissem perto de mim... como vermes seriam tratados... com tanta, tanta força, que nem para adubo serviriam....
Hoje, com muitas dores na alma!
bjs

clic said...

Impressionantemente certeiro! :)

maré said...

intenso

como fogo

__

beijo

Arabica said...

da aparente metamorfose dos vermes?

Beijo, Maria!

Pico minha ilha said...

Tudo dito, só fugir e tentar escapar.Beijo Maria

Teresa Durães said...

somente pertencemos ao nosso espaço

A CONCORRÊNCIA said...

E dentro de nós a inquietação, a inquietação ... e essa inquietação é que é linda ...

Beijo grande

Oris said...

As palavras ditas com sabedoria...

:))

Beijitos

pin gente said...

ai saudades!

fosse a nuvem verme,
por força teria
saudades do céu.
beijo das nuvens
luísa

heretico said...

não se pode negar a natureza...
mas pode transfigurar-se em poesia.

excelente.

beijos

Filoxera said...

Numa passagem pela biblioteca, deixo-te um beijo.

Alexa said...

vermes nas nuvens é o que há se tem visto mais, a alguns caem mesmo em cima de nós.

Beijinhos

Ana Camarra said...

Tantos, tantos....


Beijos

Fernando Santos (Chana) said...

Olá Maria, belas palavras...Espectacular....
Beijos

Cris Caetano said...

Fico quase sem palavras porque verme me lembra uma pessoa e peço licença ao Salvo pra subscrever suas palavras.

Beijinhos

Papoila said...

E tantos que por aí se arrastam, mas prefeririam voar!

BF

Pedrasnuas said...

PARA QUEM TEM O HÁBITO DE RASTEJAR... JAMAIS SE LEMBRARIA DE VOAR...

OBRIGADA POR TERES VOADO ATÉ LÁ...GOSTEI MUITO DO QUE LI!!!

BEIJO

Fernando Samuel said...

Dizer tanto, tanto em tão poucas palavras!...


Um beijo grande.

amigona avó e a neta princesa said...

Minha querida até quando aqui escreves poucas palavras dizes muito!!! Beijos amiga...(quanto ao entremares já lhe respondi!)...

Joao P. said...

Maria:

Nem mais! e é por isso que não gosto de vermes. Irra!

Gosot muito de quem voa (ou pelo menos tenta) e de quem arrisca.

Beijo

João

Maria said...

Muito obrigada por terem passado.
Espero que os vermes com que ainda nos vamos cruzando sejam enterrados rapidamente.

Beijos

O Sibarita said...

Táis dito em poucas palavras sábias!

Maria, vc é a tal das coisas boas, hummm... kkkkkkkkkkkkkkk

bjs
O Sibarita