Wednesday, April 15, 2009

Tu e eu meu amor

Tu e eu meu amor
meu amor eu e tu
que o amor meu amor
é o nu contra o nu.

Nua a mão que segura
outra mão que lhe é dada
nua a suave ternura
na face apaixonada
nua a estrela mais pura
nos olhos da amada
nua a ânsia insegura
de uma boca beijada.

Tu e eu meu amor
meu amor eu e tu
que o amor meu amor
é o nu contra o nu.

Nu o riso e o prazer
como é nua a sentida
lágrima de não ver
na face dolorida
nu o corpo do ser
na hora prometida
meu amor que ao nascer
nus viemos à vida.

Tu e eu meu amor
meu amor eu e tu
que o amor meu amor
é o nu contra o nu.

Nua nua a verdade
tão forte no criar
adulta humanidade
nu o querer e o lutar
dia a dia pelo que há-de
os homens libertar
amor que a eternidade
é ser livre e amar.

Tu e eu meu amor
meu amor eu e tu
que o amor meu amor
é o nu contra o nu.

Manuel da Fonseca, in "Poemas para Adriano"

(Porque é tempo de Adriano e de Zeca e de Zé Mário Branco e de tantos outros, e a mim continuam a faltar-me as palavras...)

46 comments:

BlueVelvet said...

Uma beleza!
...a eternidade é ser livre e amar.
Estas palavras também podiam ser tuas.
Beijinhos

Joao P. said...

Maria:

Se usualmente a nudez é bela, esta nudez é sempre bela

Obrigado por me relambrares um poema que tanto ouvi numa altura em que até usei o pseudónimo "Adriano"

Beijo

João

GR said...

Lindo.
Porque é tempo, é urgente “novamente”, as palavras.

Um forte bj a saber a Saudade

GR

Delfim Peixoto said...

Maria, hoje, quem fica quedo e mudo sou eu. ,
O, I ,O
...O...

salvoconduto said...

Pelo menos Adriano está a ser lembrado cá por cima.

Abreijos.

Eduardo Aleixo said...

Logo foste buscar - e bem - o meu ( nosso ) tão querido Manuel da Fonseca :
" Olha o vagabundo que leva o sol nas algibeiras ",
que lembranças do meu alentejo, dos malteses, das " searas de vento ",
das lutas clandestinas...
Bem hajas, Maria, por lembrares...
Olha, sabes, ontem fazia anos, se cá estivesse, o Soeiro Pereira Gomes, aquele que escreveu a coisa mais linda como:
" Aos filhos dos homens que nunca foram meninos..." , na introdução em " Os Esteiros "...
Enfim, toma lá um beijo redondo, e não diugo mais nada.
Eduardo

samuel said...

Estas palavras são nossas!

Carminda Pinho said...

Não são tuas, as palavras, mas bem poderiam ser...:)

Beijos, Maria.

Baila sem peso said...

E as palavras passeiam nuas
e são tão belas
como a tua falta delas...

fazendo-se palavra e silêncio
deram as mãos as duas
e sairam cantando amor pelas ruas!

(e não fosse poesia...Maria!:))

Beijinhos

simplesmenteeu said...

Para que seja Amor é preciso despir os enfeites... e as aparências...
É preciso ser o nu da pele e a liberdade de saber dize-lo...
É preciso que os nus se façam um...

Beijo carinhoso

anamar said...

Uns dizem,"estas palavras podiam ser tuas"... outro diz, "estas palavras são nossas"....
Tudo é verdade!
E, um destes dias, Maria ,eu vou precisar destas palavras também ...e não regateio, penso no Manel... e venho aqui roubá-las...
Uma beijoca
Vou dormir...

Arabica said...

A nudez da alma,


a pura nudez da alma.


Sempre, Maria.


Um beijo

zmsantos said...

São tuas, são minhas, são de todos, estas palavras de liberdade.

Beijos.

Meg said...

Maria,

Quando nos faltam as palavras, nada melhor que pela voz dos nossos autores deitarmos cá para fora os nossos sentimentos. E Manuel da Fonseca fá-lo tão bem!

Beijos

clic said...

Pedir palavras destas emprestadas é sempre uma óptima alternativa!... :)

poesianopopular said...

As palavras do Manuel da Fonseca, são as palavras do povo ao qual ele pertencia, e pelo qual ele tambem lutava!
Bjos camarada

A CONCORRÊNCIA said...

"o querer e o lutar
dia a dia pelo que há-de
os homens libertar
amor que a eternidade
é ser livre e amar."

Como escolhes bem as palavras dos outros quando escasseiam as tuas ...

Beijo grande

Amaral said...

A poesia não tem tempo.
Zé Mario Branco, Zeca ou Adriano maravilham-nos com os seus poemas, pela sua simplicidade, pela força e pela mensagem.
"Tu e o meu amor" é um poema conseguido, que foi muito bem escolhido para figurar neste teu espaço...

Lúcia said...

Ai o que ue gosto desta música que 'canto' tantas vezes...

Beijinhos, Maria

A.S. said...

Maria... um lindo poema do Manuel da Fonseca. O trocadilho das palavras é fascinante!


Terno beijo!

maré said...

só nu
e gémeo de uma alma livre se ama.

e rompe a poesia ao lembrar Adriano
e Zeca...

______

de abraço em abraço deixo-te o rubro...

Teresa Durães said...

também penso que a eternidade é ser livre. quando a amar... prende tanto!

mjf said...

Olá!
Cheguei ao teu cantinho pelas mãos da Blue...
Adorei:=)
Gostei de relembrar poema de M.F., Voltarei

Beijocas

Menina_marota said...

Eternos!

Não há palavras que digam o que sinto a lê-los.

Grata pela partilha.

Beijinho e tudo de BOM

Tite said...

Tenho-te visitado e tenho lido alguns posts.
Gosto de os ler e de te ler. Gosto mesmo muito.
O que se passa então que não comento?
Faltam-me as palavras para te dar seguimento.
É tudo muito profundo. Toca-me demasiado que nem sei o que dizer.
O meu silêncio diz muito, mas tinha que te dizer isso mesmo.

Abraços solidários com as palavras e com os actos.

Tite said...

Ah! esquecia-me de te informar que vou finalmente linkar-te para não te perder de novo.

Cris Caetano said...

A nossa alma fica nua com o amor, completamente frágil e feliz. :)

Beijinhos

Fernando Santos (Chana) said...

Olá Maria, belas palavras...Espectacular....
Beijos

Agulheta said...

Maria. Gostei de ler Manuel da Fonseca as palavras,lembrar sempre.
Beijinho de amizade
Lisa

Pitanga Doce said...

Maria, este poema junto a foto que tens abaixo...vou embora.

beijos e finalmente chove!

Fátima said...

Olá Maria!
Passei para te informar de que o meu novo blog "Photos of Ireland",esta a partir de hoje aberto ao publico:)!

Deixo-te um beijo e um desejo de que tudo et vá correndo pelo melhor!

utopia das palavras said...

Uma emoção...ouvir e ler este poema!
Tão simples era Manuel da Fonseca e tão profundo o seu saber fazer!

Emoção é o que sinto e mais não consigo dizer!

Um beijo

Luis Eme said...

a roupa não é necessária para se construir um poema bonito e simples... o amor sim, nem que seja às palavras.

beijinho Maria

Pico minha ilha said...

Maria as palavras podem faltar, mas acho que nas palavras de Manuel da Fonseca deixaste muitas que querias dizer.Beijo Maria

Fernando Samuel said...

Se sempre que te faltarem as tuas palavras, recorreres a palavras como estas, estamos em casa: estas são as nossas (tuas) palavras.

Um beijo grande.

paula barros said...

As palavras estão em você, descansando talvez, mas sempre cheias de emoção, com muito sentimento.

Uma dica, não sei se já faz, deita com um caderninho e caneta as vezes as palavras acordam na madrugada.

abraços

Oris said...

Não são tuas as palavras, mas reflectem tudo aquilo que pensas...

Ficamos à espera das TUAS...
:))

Beijitos, Maria

alex said...

Maria este poema
é uma beleza " nú contra nú"
São palavras de uma extrema beleza , a própria fo que tens em baixo nua enquadra-se lindamente neste poema

Parabéns Maria

Nocturna said...

Maria , tenho passado por aqui e vou lendo o que por aqui no seu "cantinho" se escreve.
Este leitura calma, fez-me descobrir que temos muito em comum e ,por isso, vou voltar.
Neste mês de Abril que já foi de tanta alegria e que actualmente está tão cinzento é bom recordar as vozes e as palavras daqueles a quem chamamos as vozes de ABRIL.
Um abraço
Nocturna

bettips said...

Dias deles. Da liberdade que cantaram.

E nós, ai a nós...continua a faltar-nos espalhar a palavra maior: Terra da Fraternidade.
Bj

amigona avó e a neta princesa said...

Deixas-me sempre sem palavras, mesmo quando usas as dos outros! Obrigada amiga...

as velas ardem ate ao fim said...

Simplesmente obrigada.

um bjo grande e viva a liberdade!

Apenas eu said...

beijinhos Maria, mesmo sem palavras deixas-nos muito.

eu já gastei as minhas no meu blog, gastei as minhas palavras a minha paciência.

Um sorriso Maria.

Maria said...

Muito obrigada por terem passado por aqui.

Beijos a todos

Clotilde S. said...

Maria,

Desculpa. Ontem não pude vir aqui .
Mas espero ter chegado a tempo de te dizer, minha amiga, que esta tua escolha é linda.

Muito obrigada pela partilha,

Beijinhos

Ana Camarra said...

È lindo!

beijos