Monday, November 13, 2006

Meu amor

Não sei descrever o que sinto
Só sei que sinto
E que é muito forte
Toma-me toda, corpo e mente
Num turbilhão de pensamentos
De sentimentos
De ansiedade
Mas tu vens
E uma onda de ternura cobre-me o corpo
Que tu vais destapando
E suavemente descobrindo
Num lento movimento de vai e vem
Porque o amor é assim mesmo

21 comments:

Moura said...

Grandes e nobres sentimentos receheados de sensações!
Uma boa semana.

poetaeusou said...

É. É o Amor.
Simplesmente.
Dar e Receber.
Tapar e Destapar.
Os Sentidos.
Palavras Sublimes, Maria.
Semeia os Sentimentos.
Em espiritos Férteis.
E nascerão frutos Puros.
Continua.
poetaeusou(sentido)

pitanga said...

Maria, não tinha lido sobre o amor, algo com tamanha delicadeza. Sensual sem ser agressivo. Descreveste o jogo da paixão envolto num véu de romance e sedução.
Não vou ficar tanto tempo sem vir aqui.
beijos

Isabel said...

O amor é um lento movimento de vai e vem... às vezes é menos lento... o amor é vida e é como a vida:
UM MOVIMENTO DE VAI E VEM...

É bom ir-te descobrindo...

Até já.

Isabel

Maria said...

pitanga
Passa sempre.
Vou estar 2 ou 3 dias fora para ver o mar de muito perto e rever velhos amigos.
Voltarei cheia de saudades do blog e de vocês todos.
aqui fica uma para ti:

Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão
A minha gente hoje anda
Falando de lado
E olhando pro chão, viu
Você que inventou esse estado
E inventou de inventar
Toda a escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar
O perdão

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Eu pergunto a você
Onde vai se esconder
Da enorme euforia
Como vai proibir
Quando o galo insistir
Em cantar
Água nova brotando
E a gente se amando
Sem parar

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros, juro
Todo esse amor reprimido
Esse grito contido
Este samba no escuro
Você que inventou a tristeza
Ora, tenha a fineza
De desinventar
Você vai pagar e é dobrado
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Inda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria
Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença
E eu vou morrer de rir
Que esse dia há de vir
Antes do que você pensa

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia
Como vai se explicar
Vendo o céu clarear
De repente, impunemente
Como vai abafar
Nosso coro a cantar
Na sua frente

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai se dar mal
Etc. e tal

Maria said...

poetaeusou
Obrigada pelas palavras.
Mas para quando um blog teu?
Ouseráquequeresquefaçaumabaixoassinado
detodososbolgueirosquecomentasapedirte
queescrevasmaisnuma páginatuaparanós
tambémpodermosmandartebeijosemflores?

Custa escrever assim, sabes? sem espaços...
Um abraço

Teresa Durães said...

l'amour...

ou paixão?

:))

não sei!

boa tarde (e não estou chateada!)

Era uma vez um Girassol said...

Beleza de poema sobre o amor!
E os outros posts anteriores estão lindos....
Chico Buarque...Sortuda!!!
Este teu blog, Maria, é uma inspiração. Sinto-me bem.
Beijinho

Pedro said...

De ti, espera-se sempre qualquer coisa boa.
Por favor, não fiques por aqui.
É evidente que te contiveste...
Faz-me um favor e completa o poema.
Não o faças por que te pesso.
Fà-lo por ti.
Beijão.
Pedro

Pedro said...

Desculpa lá o pesso, eu corrijo, peço,peço,peço.
Tá?
Pedro

farinho said...

É, lindo e maravilhoso como só o amor sabe ser.

Beijocas.

pitanga said...

Bom dia, Maria. Você que é uma apaixonada por Buarque, saiba que essa música esteve proibida durante o tempo da ditadura. Se reparar na letra verá que era um recado ao estado vigente da época. Mas Chico sabia dar a volta facilmente e com poesia.
beijos e boa viagem

Leticia Gabian said...

É amiga, o amor é assim mesmo.
Grande beijo pra ti.

Anonymous said...

Porque o amor é assim mesmo.

as palavras são tuas, mas faço-as minhas.

um abraço

canela_e_jasmim said...

É...

Assim mesmo.

O Amor.


Beijinhos

Anonymous said...

oi Maria, desejo que estejas a curtir bem estes dias. Secalhar estas mm pertinho e mim ...
Beijocas e ate ao teu regresso :)))

Anonymous said...

Olha Maria, saiu a ti ... vai la ao meu blog depressinha tá?
Beijinhos***

Maria said...

Oi pitanga
É verdade, sou uma apaixonada pelo Chico Buarque. Mas não só por ele.
Sim, quem souber a altura em que esta (e outras) cantigas foram feitas, pode ler tudo nas entrelinhas.
Também aqui tínhamos poetas e escrevedores de cantigas que usavam o mesmo esquema.
O Chico conta essa de escrever canções que passavam na censura num dos DVD's que estão a ser editados agora (já sairam 9, faltam 3). E fala com a simplicidade que lhe está na cara e que todos conhecemos.
Ele foi um resistente à ditadura, e é um nome MAIOR na música brasileira.
Vou parar por aqui senão fica um texto com um metro...
Beijo

Ana Patudos said...

Amor é ...
adoreiii, lindo lindo!
beijito
Ana Paula

lobita_azul said...

Ola Maria,
infelizmente não tenho o dom da escrita, das palavras e nem sempre consigo exprimir o que sinto ou penso. Mas reencontro-me em muitos poemas e letras que vou lendo.
Este é mais um. LINDO!

Bjs

AS said...

Belo poema!!!

O amor é isso... e muito mais!...

Um beijo!