Tuesday, March 31, 2009

*


Se nunca te disse o que são os meus silêncios como os adivinhas?
Como me consegues ler por dentro? Como me sabes do sufoco ou do frio?
Como me sentes o tremer das mãos? E de quando cego? De todas as vezes que calo?
Tenho um nó na garganta. De silêncio e lágrimas feito.
Rasgo-me todos os dias um pouco mais...
...para poder regressar-me na maré cheia do teu abraço...

38 comments:

Joao P. said...

Maria:

Se o texto é forte(íssimo) o seu casamento com a imagem dá-lhe uma beleza e profundidade ainda maior.

Obrigado

João

Emigrante said...

Maria:
A beleza das palavras alivia a melancolia da alma.

O sol é lindo pela manhã!

Beijos

T.A

salvoconduto said...

Também eu tenho um nó na garganta, de raiva feito.

Abreijos.

Delfim Peixoto said...

Maria... Do melhor que te li! Admirável e amoroso!
bjnhs

Eduardo Aleixo said...

As almas comunicam no silêncio.
Que regresses, sim, ao abraço de ti.

Um beijo.
Eduardo

anamar said...

Maria, que força!!!!
Se esse braço acontecer... o teu sufoco desaparcerá!.
Um beijo

Cris Caetano said...

Quando se ama, dá nisso: adivinhações e certezas.

Beijinhos

Leticia Gabian said...

O amar é assim mesmo, como esses finos galhos entremeados. E tudo pode ser silenciado e, ainda assim, adivinhado.

Beijo enorme, nesse coração que SABE amar, AIC

Oris said...

Nos silêncios, muitas vezes, conseguimos adivinhar...

Amar é isso mesmo...

Beijitos

Mukanda said...

Porque "nos" conhecem como ninguém!
Um beijo Maria e um abraço forte
Mukanda

Amaral said...

O silêncio adivinha-se num abraço.
O silêncio é de ouro quando não tem frio, quando não sufoca, quando embriaga e se enche para dar sem nada pedir em troca...

utopia das palavras said...

Nem sempre são necessárias palavras, para adivinhar... o outro!

Terno o teu texto!

Um beijo

BlueVelvet said...

Porque quando se ama assim, adivinha-se tudo.
Beijinhos

dona tela said...

E eu que julgava que era romântica...

Um grande abraço, Dona Maria.

A.S. said...

Querida Maria...

Tudo que nos transcede, não se questiona!
Deste o teu corpo à própria liberdade
desafiaste o tempo e o mistério
na doce ternura de um abraço!...


Beijos

Rosa dos Ventos said...

Por razões diferentes também eu tenho um nó na garganta e lágrimas nos olhos...
Abraço entrelaçado como na bela imagem que acompanha o texto poético

Agulheta said...

Querida amiga.
O silêncio das palavras,muitas vezes é a força do amor.
Beijinho

Mar Arável said...

Maria

esse amor

doi

no belo

Meg said...

Maria,

São de dor as tuas palavras... "rasgo-me todos os dias um pouco mais..."
Que a maré cheia não tarde...

Um beijo

Justine said...

Um sufoco! (mas tão belo...)

Maria P. said...

Sabes hoje apetecia-me deixar-te aqui uma imagem , assim sei dizer melhor, tudo,um cesto cheio de pétalas, pétalas para abraçares, sentires o cheiro, e sorrires...

Beijinho, minha Maria.

C Valente said...

Gostei em especial da foto
Saudações amigas

maré said...

"tenho um nó na garganta"
.

e sentes o abismo da maré?

que raízes e que árvore?...

______ alguém diz: só o amor mata ou renasce!

_______

é lindo maria

Pitanga Doce said...

Um abraço feito uma maré cheia...

Alexa said...

Maria
em poucas palavras belas descreves-te o amor .

O Amor é um pássoro verde
num
campo
azul
no
alto
madrugada.

victor barroca moreira,9 anos.
beijo
amiga

isabel said...

Os verdadeiros amigos lêem-se por dentro. Como por magia. Sentem. E vêem.

Um beijo para desapertar esse nó.

Filoxera said...

Espero que exista sempre essa maré cheia, desse abraço...
Beijos.

mfc said...

O abraço é uma assinatura linda de dois corpos.

Apenas eu said...

Olá Maria!
Como sempre surprendes-me.
Gosto de Te ler as entrelinhas e Nelas Ver-Te.
Conheço o sabor do Nó... o tremor das mãos.
Limpo cada lágrima Tua num beijo, e deixo-te uma abraço apertado.

Gosto muito de Ti.

PreDatado said...

Às vezes não são precisas dizer as coisas. Elas sentem-se, transmitem-se.

escarlate.due said...

há coisas que não precisam ser ditas, não é?!
beijoooooo :)

Maria said...

Obrigada a todos por terem passado aqui.

Beijos

De Amor e de Terra said...

Perde-te e acha-te na maré cheia desse abraço, minha querida menina, que a ventura é o Sempre, ainda que dure "somente o tempo dum poema!..."

Fernando Samuel said...

Que é a mais bela (e a mais reconfortante) de todas as marés-cheias...


Um beijo grande.

simplesmenteeu said...

Sem palavras...
Só posso desejar que a maré te traga renovada em espuma branca.

Abraço terno

Lúcia said...

Há quem nos saiba de cor! Até nos silêncios. principalmente nos silêncios.
Beijos, Maria

Arabica said...

Nós e as fugas e rasgos.


Um abraço

Parapeito said...

..."para poder regressar-me na maré cheia do teu abraço... "
Bonito muito bonito
Um abraço*