Friday, May 11, 2007

Antes que seja tarde


Amigo,
tu que choras uma angústia qualquer
e falas de coisas mansas como o luar
e paradas
como as águas de um lago adormecido,
acorda!
Deixa de vez
as margens do regato solitário
onde te miras
como se fosses a tua namorada
Abandona o jardim sem flores
desse país inventado
onde tu és o único habitante
Deixa os desejos sem rumo
de barco ao deus-dará
e esse ar de renúncia
às coisas do mundo.
Acorda, amigo,
liberta-te dessa paz podre de milagre
que existe
apenas na tua imaginação.
Abre os olhos e vê
abre os braços e luta!
Amigo,
antes da morte vir
nasce de vez para a vida...
(M.Fonseca)

28 comments:

Leticia Gabian said...

Maria, Maria,
Muitas vezes a gente se entrega à imaginação e com ela voamos, na maioria das vezes, para lugares sem cor, sem perfume, sem verdade.
É preciso estarmos despertos, de olhos bem abertos, pra abraçarmos a vida, como deve ser.

Beijaozão

maria carvalhosa said...

Querida Maria,

Linda, esta fotografia de um pedaço de calçada. Pleno de vigor e de ânimo, de incitamento à arte de viver, o teu poema.

Comtinuas em grande forma, amiga.

P.S.
Devido a alguns mal-entendidos e confusões que surgiram pelo facto de sermos homónimas, decidi passar a assinar como Maria Carvalhosa (entre nós, Maria continua a bastar... ;))

Beijos, linda mulher da ilha!

sonhadora said...

Palavras com o orvalho da manhã.
Beijinhos embrulhados em abraços

Maria P. said...

E a força para isso tudo?...Por vezes é difícil.

Beijinhos Maria.

poetaeusou said...

*
maria
*
discordo desta vez
,
só me sinto integrado na vida real
sonhando com o virtual,
o real nunca nos visita em sonhos feito.
o real é tenebroso, maravilhoso, mau e bom
o real são as pessoas, sãs e podres
ocas, vazias, puras, solidárias, odiosas, amorosas
o real sou eu, és tu, são eles, simplesmente
os sonhos somos nós, e …
o mundo pula e avança …
,
um beijo, hoje …
*

antónio paiva said...

................

Maria,


excelente!

acho que devias trilhar mais vezes estes caminhos

(mas que mania a minha de opinar no que pertence aos outros)

:))))

...............

Beijo e bom fim-de-semana

porque te amo said...

viver... pois não... até pq a morte é o q temos mais certo...
1beijo ao som do "piano"

A.S. said...

Um grito inconformado, um gesto de rebeldia, uma voz que nos acorda...

Porque esperamos?


Um terno beijo e bom fim de semana!

Sininho said...

Maria:
Balançamos entre o imaginário e o real.
O imaginário é bem mais compensador, quando a realidade é a do mundo actual em que vivemos.
Não se trata de baixar os braços.
Trata-se de ver a realidade, tal como ela é, sem alimentar ilusões.
Criou-se uma geração envolta em publicidade, virada para o prazer e para o "ter".
Sem ideais, nem valores.
Complicadíssimo será dar a volta a isso, quando os pais se preocupam cada vez menos com os filhos e de cada vez mais lhes vão dando péssimos exemplos...

Já chega de testamento...
Vou entrar em fim de semana e só cá volto daqui a dois dias.
Beijinhos e...relax, baby.

rosa dourada/ondina azul said...

Amigo,
abre os olhos e vê, sim
mas também,
amigo,
continua a sonhar.

beijo,

sonhadora said...

Passa pelo meu blog.
Beijinhos embrulhados em abraços

joão marinheiro said...

E as palavras ecoam com estrondo por dentro especie de grito abafado nas grutas escondidas do coração.
Sublime!
Abraço enquanto preparo o barco...

catmel said...

Maria,

Simplesmente, adorei este teu poema! "Abandona o jardim sem flores / desse país inventado / onde tu és o único habitante"... "Abre os olhos e vê / abre os braços e luta!"... "Amigo, antes da morte vir /nasce de vez para a vida...". Nos dias de inércia vou recordar-me das tuas palavras. :)

Beijinhos e bom fim-de-semana!

APC said...

... Até engoli em seco... Como secas essas pedras da calçada.
Bem fortes, as palavras!
E eu percebo-as tão bem, caramba!

Teresa Durães said...

ai, como concordo contigo. Mas ando a descobrir que muitos gostam de andar adormecidos. E quando falo, chamam-me inquieta...

beijos

SILÊNCIO said...

Acho que entendo... (sei la...)
Bjss

Gi said...

Deixo-te um beijinho Maria. Chamo de amigo a quem faz esses alertas.

Noite feliz

Profundamente said...

Vim desculpar-me pela ausencia, esta falta de tempo deixa-me sem tempo para nada, venho muito a correr deixar um abraço.

Claudia said...

Muito bonito Maria, muito mesmo... Espero que não seja esquecido o apelo!

Beijo grande

P.S.não está esquecido!!!

Bia said...

já te li muito Maria, até aconsigo ler-te nas entrelinhas... mas este teu poema aos meus olhos é o mais belo de todos, primeiro porque falas dos Amigos, depois falas de uma "paz podre", paz essa a que tantos de nós nos habituamos, o País inventado lembra-me o meu mundo, onde tb me sinto a única habitante e o nascer para vida é o melhor que se pode desejar a quem se gosta.
Para mim este post está perfeito, snti-o na pele.
Um beijo grande
A. - TU

Entre linhas said...

Pedras da calçada que marcam as pegadas sem rumo...

Bom fim de semana amiga
Bjs Zita

o alquimista said...

Um grito'...Uma suplica...?


Tal como um ribeiro manso, que corre pachorrento para sul, assim viaja o teu profundo sentir, aprisionado em…pranto azul…


Bom fim de semana


Mágico beijo

APC said...

Opá, a culpada pela troca dos nomes fui eu, pronto, confesso! :-(

Espero que não venha de lá uma pedra dessas, agora!... Parecem-me pesaditas! :-)

Beijos, Marias (a toi, Rose e a P.).

José Américo said...

OI MARIA,
QUANDO MORRER, TAMBEM, VOLTAREI SIM, PARA PODER VER, LER PALAVRAS LINDAS COMO AS SUAS.
MAGNIFICO BLOG!CONTINUE SEMPRE...!
PARABENS
JOSÉ AMERICO

www.artejoseamerico.blogspot.com

Vanda Paz said...

Um pedido para a realidade da vida, é bom ter alguém que nos mostre que ao nosso lado existem coisas com cheiro, com cor, com alegria... muitas vezes vamos morrendo aos poucos dentro de nós.
Está lindo
Beijinho

ContorNUS said...

Numa vida que corre fugaz...
aproveitemos cada gota do fruto da vida

APC said...

Eheheheh... Olha que qualquer semelhança entre mim e aquela querida senhora, é mera coincidência, lolol
[ela tá rino dimim!... ;-)].

Maria said...

Agradeço a todos a vossa passagem por aqui....
M da Fonseca, eterno...

Beijos