Monday, May 07, 2007

Leva-me contigo


Meu amor
leva-me contigo para o cais
Tira-me este nó
que tenho na garganta
que eu já não aguento mais
Leva-me contigo que
eu vou seja para onde for
Quase sufoco
esta angústia
temporal e regular
porque vem sempre
todos os anos
muitas vezes e eu
fico só com a memória
que dói tanto, tanto
leva-me contigo
És o que me resta.

54 comments:

SILÊNCIO said...

Um dia... quando for o dia...
Beijo

Leticia Gabian said...

Maria, Maria!
O cais, sempre lá vai estar.

Beijo bem grande, querida

Gi said...
This comment has been removed by the author.
Gi said...

Vim aqui para me meter contigo já que vi que o meu cinzentismo de hoje te abalou. Vejo aqui um outro desespero, diferente mas não menos cinzento. Não é reconfortante olharmos à nossa volta e ver que há mais desgraça e maior que a nossa mas serve muitas vezes para nos mostrar o quão pequenos são os nossos problemas para nos esgotarmos com eles. O amor deve ser tranquilo o teu dói. Como os meus olhos hoje ... isso é mágoa.
Não te esgotes

Beijos

Alexandre said...

berlenga?

sonhadora said...

Palavras de sonho! Continuas a alimentar o meu espírito!
Beijinhos embrulhados em abraços

dulce said...

...fico só com a memória que dói tanto" Umas vezes embalamo-la e conseguimos até sorrir. Outras, é ela que nos arrebata e leva para o fundo, para onde não queremos estar.
Beijo grande

Sininho said...

Há dias de gelo, em que a angústia nos tolhe.
Mas não há gelos eternos na nossa alma...

Beijinho.

Vanda Paz said...

Vá Maria, temos que andar... outro ano irá passar mas a memória e a dor ficaram para sempre...
Beijinhos desta (velha) amiga

Vanda

pitanga said...

Também tenho um nó na garganta. Está a acabar o sonho.

beijos

herético said...

poema de uma simplecidade e lirismo encantadores. adorei ler.

Maria said...

silêncio

Um dia... sim...
Beijo

Teresa Durães said...

restas sempre tu e a angústia passa. só a minha forma de ver a vida.

beijo

Maria said...

leticia gabian

O cais está lá, ainda...
Inspirada tu hoje, Amiga...

Beijão grande

poetaeusou said...

/
maria, maria ...
/
inté
/

Maria said...

Gi

Há dias em que estou cinzenta. Uns mais que outros. Tenho amores que doiem e outros não. Como tudo na vida.
Acho que hoje acordei "seca". Não sei se é do calor, ou dos problemas que me põem em cima...
Mas a vida é bela e merece ser vivida plenamente!

Bom, respirando fundo, que foi o que acabei de fazer, estou pronta para te acompanhar noite fora... espero...

Gostei de te ler, aqui.

Beijinhos

Maria said...

alexandre

farilhões...
(ao largo da berlenga...)

Maria said...

sonhadora

Ainda bem... irremediável sonhadora...
Um abraço "desembrulhado"

Maria said...

dulce

É isso. Mas depois há assim uma "mola" que me faz saltar e aí estou eu, de novo pronta pra tudo....

Beijo, Dulce

Maria said...

sininho

Com o calor que faz hoje o "gelo" exterior já derreteu... O interior, é com o tempo...

Beijinhos

Maria said...

vanda paz

Quando me conheceste já eu "toureava" a vida.
Hoje é outro dia. E o tempo atenua tudo...

Beijinhos, querida Vanda

Maria said...

pitanga

Esse teu nó vai crescendo mais uns dias. Mas depois daqui a um tempo, voltas, não é?
Eu percebo bem esse nó, mas isso vai atenuar.... tu sabes...

Beijinho, Amiga

Maria said...

herético

Muito obrigada.....

Maria said...

teresa durães

Claro que passa. Afinal, todas as angústias passam...
É esta a força com que enfrento e vivo a vida.

Beijo

Maria said...

poetaeusou

Como está aí o mar, poeta?

Inté

A.S. said...

Este teu poema uma voz em branco, um grito escrito no pretérito mais que perfeito de tudo. E os sinos reticentes em música de fundo!

Abraço-te!

antónio paiva said...

.................

porque não contróis tu uma canoa?

.................


Beijinhos

luna e neptuno said...

Tudo acontece no tempo certo,continua a beber das lembranças....
jinhos

Mié said...

Gostei de vir aqui...de te ler, das imagens.
A saudade dói, mas
não há melhor como um dia após o outro.

Fica bem, voltarei.

Bia said...
This comment has been removed by the author.
Bia said...

conheço bem a tua angústia, a memória doi, mas que seriamos nós sem ela? sem as nossas lembranças?
É o que te resta? Pode ser no Amor, mas depois tens o cheiro da tua ilha, tens o sol e o mar e tens sempre as gaivotas e claro os teus amigos. e tens-te a ti que és uma força da natureza.
Um beijo desta tua amiga que muito te admira.
A. TU

borrowing me said...

maria
adoro os teus textos...

sabes, um dia vou ganhar coragem e pedir a alguém para que me levem... para bem junto do seu coração...

bjs e boa semana

soslayo said...

Maria:

Bonito este teu poema de grito ao amor sofrido que fica no cais. Nada melhor que ir lado a lado com o Amor. Um beijinho.

Post Scriptum: agradeço-te me teres rectificado naquele meu engano. É de facto Jerónimo de Sousa. Não sei como é que foi buscar o Martins. Acontece!

Eufrázio Filipe said...

Maria - sugiro que respires por guelras - até no fundo do mar descobrimos sonhos acordados e guardamos na memória todos os amores sofridos

Maria P. said...

Não peças que te leve, vai.

É um prazer ler estes sentimentos tão bem descritos que tanto nos dizem.

Um beijinho*

cacharel said...

Maria...
Aiiii o amor e o sufoco em que às vezes ele nos deixa...

Belo poema... tu levas-nos sempre contigo para o mundo dos sonhos... ;)

Beijo*

Maria said...

a.s.

Como me lês...

Abraço-te, também

Maria said...

antónio paiva

E para que quero eu uma canoa?

Beijinhos

Maria said...

luna e neptuno

Porque é qque o teu tempo certo é cedo demais para mim?

Bjinhos

Maria said...

mié

Tens razão, um dia depois do outro...
Gostei dos teus espaços.

Fica bem

Maria said...

bia

Querida amiga, são apenas momentos, ou datas, ou o que quiseres chamar, sei lá....
Ou então estou mesmo a precisar de ir para a ilha...
... deve ser isso...
A ilha e as gaivotas... um dia destes...

Beijinhos
G.-TE

Maria said...

borrowing me

Ganha coragem rápido, a vida não dura muito, o amanhã é já ali...

Bjs.

Maria said...

soslayo

Nada melhor mesmo do que estar com o amor, lado a lado...


(O nome foste buscá-lo ao comerciante de mercearias finas, suponho...)

Maria said...

eufrázio filipe

Já experimentei respirar por guelras, mas confesso que tenho ainda falta de treino. Com o tempo, quem sabe...

Acredita que é no mar, bem dentro do mar, que me sinto mais em paz e mais liberta...

Maria said...

maria p.

Irei, sim, um dia...

Um beijinho para ti, bem apertadinho

Maria said...

cacharel

Há dias em que a escrita sai assim....
... nos outros é... parecida....

Boa semana para ti.
Beijo

david santos said...

Fantástico! E o que resta é muito.
Parabéns.

joão marinheiro said...

Sabes, a paz que se sente ao olhar os farilhões em fundo e as lembranças do velho Berlenga carregado de garrafas de acetileno no invero para ir de viagem até lá para que a luz não falte na noite longa dos mareantes. Na altura não havia cais, nem sei se existe agora por lá.
Não gosto de cais, lembram partidas, idas sem volta.
Fica-nos por vezes a memória do lugar demasiado vazio...
Abraço deste lado do rio com mar em fundo e as tuas palavras como canção que se escuta por entre o marulhar das ondas nas grutas...

Gi said...

Boa noite Maria :), Todos se rendem perante o teu amor já viste?

beijos

Maria said...

david santos

É muito, sim.
Obrigada

Maria said...

joão marinheiro

Gosto tanto de te ler...
Embalo-me em cada palavra, consigo vê-la por dentro...
Sabes que eu era capaz de viver na Ilha o ano inteiro?
Era mesmo, com todas as condicionantes que conhecemos...

Um abraço forte

Maria said...

gi

Boa noite Gi.
Muita bondade a tua....
Já lá vou ver se as bebidas estão servidas (hehehehe)

Beijos

João Filipe Ferreira said...

muitos parabens pelo lindo blog
gostei de o ler...voltarei:)

ps: recomendo www.luso-poemas.net . vai adorar:)
beijinhos e muitos parabens pelo lindo blog:)

Maria said...

joão filipe ferreira

Obrigada
Conheço bem o site que indicas... muito bem, mesmo...

Volta sempre e beijinhos