Saturday, June 02, 2007

... ...


... e ao longe onde
o olhar se perde no infinito
eu sei-te aí mesmo
porque te sei
a pensares em mim
todos os dias
à minha espera já deitado
porque o que eu quero
é adormecer todas as
noites contigo e acordar
todas as manhãs
junto de ti...

39 comments:

Fernando Pinto said...

A ondulação que o barco faz, faz lembrar as nuvens que se agitam, por vezes, no céu... Minto?

Beijinhos,
Fernando Manuel

KA said...

bonito e realista :)

Beijinho e bom fim-de-semana

Victor Nogueira said...

Olá, Maria :-)

Os olhos dos comentadores estão virados para a aura que neles despertas. De facto sou um intruso para a maioria e não tenho de fazer observações sobre os comentários dos teus admiiradores, entre os quais me incluo. Mas tal como aprendi nos chats generalistas (onde encontrei dois ou três amigos/amigas que resistiram ao zapping) e sobre os quais poderia escrever um longo «romance», sou de facto um intruso pois a maioria dos comentadores não interagem entre si. A responsabilidade não é tua, mas de facto sou um intruso, apesar dos dois amigos comuns através dos quais te encontrei.
Um abraço e um adeus do Victor Nogueira

Leticia Gabian said...

Maroca,
Como escreves o que eu gostava de escrever!

Beijo grande, querida amiga

Victor Nogueira said...

Não percebi o teu comentário no meu blog. Estás zangada? Eu não estou zangado contigo, porque haveria de estar? Sou apenas e talvez o rapaz solitário que há sempre defronte a um barco, que coloquei num teus posts.
De que serve escrevermos se as palavras são simples signos frágeis, outras vezes pesadas e cortantes, uma ponte ou um deserto para lado algum. Aparece sempre que quiseres
Victor Manuel

Victor Nogueira said...

Rio canto e choro
e todos os dias respiro o ar que me rodeia
com a limitação dos grandes sonhos
imaginações feitas de nada
Sustenho os gestos e as palavras
ou deixo que elas nasçam
rodeados de mil cautelas
sem o desassombro da aventura e do risco plenos
Resguardo os gestos e
lanço as palavras ao vento
para que um novo dia surja
no horizonte
mas na orla das ondas vem a ressaca
de estar aqui
de olhos secos
silencioso
como a esfinge no deserto
Rasgo o peito e as palavras
e nem uma gota de sangue cai
dentro de mim
Abro o riso e as mãos
as aves passam de longe e
os rios correm
silenciosamente para o mar
As vozes dos marinheiros passam no horizonte
enquanto sonho e luto e te procuro
mergulhado na multidão que está e permanece
para além de mim
.
.
FIM 1989

Victor Manuel

Victor Nogueira said...

No beiral da minha porta
Veloz mal vieste a poisar
E debicando na horta
Tu partiste sem cuidar.

VN

Victor Nogueira said...

VARIAÇÔES SOBRE AS PALAVRAS



Límpidas como veludo cálidas, delicadas, saltitantes
brotam dos nossos lábios
as palavras ...
Por entre os dentes cerrados
duras, agrestes, cortantes, irrompem as palavras!
São uma ponte, um muro,
alinhadas ou em torvelinho
enquanto o tempo escorre e
o carinho apetece.

Espelho multifacetado com dois gumes,
Crisálida, rede que enleia ou liberta.
Cegas
Têm os nossos olhos
Mudas
Têm apenas o nosso entendimento
E os seus lábios são os nossos lábios.

VN

1992.03.10
SETUBAL

joão marinheiro said...

Sim, na linha do horizonte existe sempre alguém de braços abertos esperando, diria até, que por vezes se vislumbra o nosso amor-perfeito, nos dias que a visibilidade é estonteante e o sol brilha no zénite. Diria...

Abraço enquanto os barcos se pintam em cores garridas

Maria said...

fernando pinto

Nunca tinha visto a esteira de um barco sob essa perspectiva, mas até que parece....

Beijinhos

Maria said...

ka

Obrigada e bom fim-de-semana

Beijo

Maria said...

victor nogueira

Aqui ninguém é intruso. Mas o meu blog também não é, de facto, uma sala de chat...
Devo dizer-te que não gostaria, pessoalmente, de ser protagonista de um qualquer "romance" que escrevesses...
Por agora fico-me por aqui.
Fica bem.

Maria said...

Querida Letícia

O importante é sentir, não é escrever...

Beijão grande

Maria said...

victor nogueira

Espero que tenhas percebido agora a resposta que te dei acima.
E eu nunca me zango com as pessoas que me visitam, zango-me com quem manda neste mundo...

Maria said...

joão marinheiro

Às vezes perdemos o olhar naquela linha onde o mar se junta ai céu. Em momentos só nossos, imaginamos o que nós quisermos, nessa linha.
E podemos ver, então, o tal amor, quase perfeito...
Às vezes...

Abraço forte

Sei que existes said...

Perguntaste o que é feito de mim... Estou aqui... com este blog... Não te perdi de vista!...
Obrigada!
Beijinhos carinhosos

Entre linhas... said...

O olhar perde-se no longíquo infinto.
Bom fim de semana
Bjs Zita

Som Do Silêncio said...

Lindo texto de amor...
Palavras doces e ternas.

Um Beijo em Silêncio

Victor Nogueira said...

«romance»? Não escrevo «romances» e muito menos os torno públicos. E francamente não percebo, pois não mando no mundo onde não passo dum grão de areia, que procura, com outros, ajudar a transformar. Deste-me um «meme», eu escrevi, foste ver o meu blog sobre o dia da criança, e não vejo lá qualquer romance. E de repente não entendo a tua brusquidão e distanciamento.
Assino simplesmente ou deixo-te um abraço solidário, na vida e na luta?
Victor Manuel

Maria said...

sei que existes

É bom ver-te por aqui...
Bom fim-de-semana
Beijinhos

Maria said...

entre linhas
Zita,
Continuo sem conseguir entrar no teu blog.
Pendura o sistema...

Bom fim-de-semana
Beiinhos

Maria said...

som do silêncio

Obrigada, bom fim-de-semana
Beijo

Maria said...

victor nogueira

Um de nós não deve falar português.
Vai ler o teu comentário a este post das 2.37 AM.
Não tenciono manter AQUI mais nenhum diálogo sobre este assunto.
Fica bem

Victor Nogueira said...

Ambos falamos e expressamo-nos bem em português, apesar das palavras poderem ser traidoras pelos variados signicados e contextos em que surgem. Visitaste-me várias vezes, deixaste breves mas simpáticas palavras no meu blog e nele tens o meu endereço se achares que vale a pena esclarecer o mal-entendido. O «romance» de que acima falo seria a história/estudo de como funcionam as salas de chat generalistas.
Quando tu me dizes que não sou intruso no teu blog e de seguida terminas sem saudação ou com aquilo que me parece ser um seco, distante e cortante «Fica bem», parece-me que deixei de ser bem-vindo e, se assim é, paciência.
De novo, um abraço solidário na vida e na luta por um mundo melhor, barco este que parece ser o mesmo.
Victor Manuel

sonhadora said...

Bom fim de semana.
Beijinhos embrulhados em abraços

luna e neptuno said...

O amor pede o que falas no teu poema,
beijinhos

Alexandre said...

«porque o que eu quero
é adormecer todas as
noites contigo e acordar
todas as manhãs
junto de ti...»

... e o muito desejar por vezes faz com que as situações aconteçam... espero mesmo que aconteça e que com o olhar no infinito estejam a pensar um no outro!!!!

Beijinhos!!!

=^.^= Tarina =^.^= said...

É bom quando se tem alguem á nossa espera!

=^.^=

Isabel said...

Que desejo maravilhoso! Quão bom é acordar ao do que/de quem se ama...
Bom fim de semana.

Bjt

Maria said...

sonhadora

Bom domingo
Abraço desembrulhado

Maria said...

luna e neptuno

pois pede, Luna. Dá-lhe o que o amor pede....

Bjinhos

Maria said...

alexandre

Às vezes o acontecer depende tanto do nosso querer...

Beijinhos

Maria said...

tarina

também é bom esperarmos por alguém que sabemos um dia virá....

Maria said...

isabel

Pois é.....
Bom domingo

Beijinhos

O´Neves said...

olha a ponte da terra que me viu nasscer...VFX !! reza a historia que quando sai pra fora gritei logo: Tirem-me de aqui que quero ir pra Alverca!!

beijos desde Tel Aviv..

Maria said...

o'neves

Grandes pulmões tinhas quando nasceste...

Boa estadia em Tel Aviv...

Beijinhos

belakbrilha said...

Que esse querer, esse sentimento perdure!

bjs

Maria said...

belakbrilha

Tudo de bom para ti.......

bjs

Afronauta said...

É bom saber que no mundo ha alguém a pensar sempre em nós. Feliz de quem e amado assim!...