Tuesday, June 05, 2007

Se eu quiser


Se eu quiser tiro este nó que tenho na garganta
pela tua ausência e fecho os olhos imaginando-te
aqui ao pé de mim deitado como ontem
quando nos amámos pela primeira vez
era nossa a noite e eu estava trémula e nervosa
e agitada e desejava-te como te desejo agora
com a intensidade da luz e é tão bonito
estarmos longe e tão perto a um tempo
fecho os olhos e beijo o teu corpo todo
da cabeça aos ombros aos braços às pernas aos pés
e amo-te como nunca amei ninguém assim,
desta maneira, já to disse antes mas volto a
repetir-me porque é verdade
e volto a beijar-te e a amar-te.
Vem, estou já deitada, à tua espera...

38 comments:

SILÊNCIO said...

Aiii os nós estrangulam a garganta por tantos motivos...

de que vale ter todos os cais para apreciar, se nenhum deles me traz o verdadeiro barco

b noite e um bj (mm a pressa)

joão marinheiro said...

A espera é sempre desesperante. Sabes, não sei porque temos de fechar os olhos para querer, para recordar, para sonhar direi, aos poucos desaprendo tudo isso, e tento manter-me lúcido, porque uma primeira vez é sempre uma primeira vez.
Abraço daqui, do mar e do rio

Luis Eme said...

O sonho é mesmo uma constante da vida... basta querermos...

bjs

Teresa Durães said...

linda fotografia! lindo poema!

(tenho 37 anos, não posso me reformar... estou a tentar trabalhar por conta própria mas tenho de esperar... e esta espera mata-me!)

bom dia!

Desassossego said...

Maria, vou tomar como meu este teu sentir...porque cada uma das tuas palavras me fizeram ainda mais saudade...porque "nunca amei ninguém assim, desta maneira"

Um beijo doce...

A.S. said...

Como doem as esperas Maria!...


Um beijo!

mafalda said...

Maria,
Um amor assim... tem que haver homem que o mereça!!! ;)
Beijinhos.

rosa dourada/ondina azul said...

Sonha Maria, e que o teu sonho seja belo!
Beijo,

cm said...

...deitar o corpo na ausência enquanto a alma acaricia a saudade...um abraço

Sininho said...

E a nós, deixas-nos a imaginar quem se atirou à água, naquele mergulho de espuma...

Beijinho.

Claudia said...

A espera. Sempre a espera não é Maria?... A espera e a ausência. Como custam.

O meu beijo forte para ti

Meg said...

Muito sugestivo, mais este poema... uma constante, Maria... do lado esquerdo da vida.
Continua, amiga, que o sonho ainda não paga imposto.
Um abraço

Gi said...

Sonhar acordado também é bom :) e nunca são demais as vezes que se diz que se ama. Mesmo que o outro saiba, saiba, sabe sempre bem ouvir.

beijinhos sereia

poetaeusou said...

/
estarmos longe e tão perto a um tempo
,
toma ...
,
inté
/

Leticia Gabian said...

"...fecho os olhos e beijo o teu corpo todo
da cabeça aos ombros aos braços às pernas aos pés
e amo-te como nunca amei ninguém assim..."

Também sonho assim, mas o nó na garganta persiste.

Bejão, Maroca

Maria P. said...

É dificil comentar as tuas palavras que são um verdadeiro hino ao Amor.


Beijinho*

Maria P. said...

Voltei.

Desde o inicio da Casa que o "Dovoar" faz parte dos Amigos, sempre admirei a sua poesia.

Foi um prazer dar a conhecer esta iniciativa.

Maria said...

silêncio

Tenta ir desatando os nós. Eu sei que é difícil, mas tenta...
Quero muito que um dia, quando estiveeres no cais, vejas o barco chegar lá ao fundo...

Beijinhos

Maria said...

joão marinheiro

Acho que fechamos os olhos para "vermos" melhor, para "sentirmos" melhor...
... senão, porque fecharíamos os olhos quando beijamos?

Um abraço daqui, frente ao mar

Maria said...

luis eme

Pois é, Luís... e também comanda a vida...

Maria said...

teresa durães

Percebo essa tua angústia, é seguramente difícil essa espera...

Um abraço solidário

Bia said...

fechar os olhos e querer com muita força faz com que os nossos pensamentos assumam a nossa realidade...
Lindo Maria.
Beijo
A.-TU

Maria said...

desassossego

Pensava-te a viver um grande amor...
Acompanhei o teu outro blog, o fecho do mesmo, os porquês (foste tão clara...) e no teu reaparecimento achei-te bem...
Queria que os tempos dos verbos aqui usados fossem no presente!

Beijo grande

Maria said...

a.s.

Às vezes a vida é uma constante espera, para um curto momento que vale a vida inteira....

Beijo ternurento

Maria said...

mafalda

Claro que há. Como poderia eu escrever assim se não houvesse?
Beijinhos

Maria said...

rosa dourada/ondina azul

É belo, sim, pelo menos para mim...
Beijo

Maria said...

cm

Gostei das tuas palavras. Aqui, e lá...

Um abraço

Maria said...

sininho

Queres mesmo saber?
Uma quatro patas, hehehe

Beijinhos

Maria said...

claudia

É, Cláudia. A espera, a ausência, o amor intenso, a saudade, novamente a espera...

Um beijo para ti, sem esperar

Maria said...

meg

Se o sonho pagasse imposto, apesar do meu tamanho, os carimbos já se sobrepunham...

Um abraço

Maria said...

gi

Eu não me canso, nunca, de dizer que amo.
Nem de o escrever....

Beijinhos, companheira da meia noite

Maria said...

poetaeusou

pois, então toma tu também, hehehe

Inté

Maria said...

letícia gabian

Enquanto houver oceano no meio, o teu nó persiste.
Tenta desatá-lo um bocadinho, todos os dias...

Beijo grande, Amiga

Maria said...

maria p.

Obrigada (escrito devagarinho e um pouco corada......)

Beijinho

Maria said...

maria p.

Já andei pelo Dovoar. Já o adicionei. Tem poemas lindos...
Obrigada

Beijinhos

Maria said...

bia

E tu sabes que pode ser assim.... vulcão....

Beijinhos
G.-TE

a.castro said...

Se eu quiser, se tu quiseres, se eu quiser, se tu quiseres...!!!...

Cleopatra said...

"Se eu quiser tiro este nó que tenho na garganta
pela tua ausência e fecho os olhos imaginando-te
aqui ao pé de mim deitado"

Qdo por vezes desatamos o nó...desaparece o fio...