Saturday, June 09, 2007

Hoje apetece-me Sophia...


Um dia mortos, gastos voltaremos
a viver livres como os animais
E mesmo tão cansados floriremos
Irmãos vivos do mar e dos pinhais.

O vento levará os mil cansaço
Dos gestos adiados, irreais
E há-de voltar aos nossos membros lassos
A leve rapidez dos animais.

Só então poderemos caminhar
Através do mistério que se embala
No verde dos pinhais, na voz do mar
E em nós germinará a sua fala.

(Sophia de Mello Breyner Andresen)

22 comments:

amigona avó e a neta princesa said...

E que bela escolha, amiga| Bom fim-de-semana...

Rocha de Sousa said...

Maria, aproveitei para ler os poemas e sentir a sua frescura. Recebi os eus comentários nos meus blogs: admirável concisão e bela cumplicidade.Obrigado.
Gostaria que me enviasse o seu endereço, pois nory-comment não funciona. Isto já se vericou outras
vezes. Como comunicar consig por e-mail?
Um abraço
Rocha de Sousa

Era uma vez um Girassol said...

Escolheste lindamente, Maria!
Partir e voltar livre...
Acredito!
Beijinhos

A.S. said...

Sophia... a poeta do amor e do mar, continuará entre nós a deliciar-nos com as sua poesia...


Um terno beijo!

Gi said...

Apeteceu-te e apeteceu-te muito bem, nunca é demais lê-la, saboreá-la e porque não degustá-la? Sim, porque eu fico de barriguinha cheia, por algum motivo é :)
Chamo-lhe minha mas ela é de tantos , não é?

beijos sereia

PS hoe que isto está mais rápido estou eu com menos tempo :)

rosa dourada/ondina azul said...

Óptima escolha, Maria, e a foto está a condizer com a beleza do poema.

Beijo,

Gi said...

Quando puderes espreita um postal dirigido a uma "Maria" em 1920 :)

Vais gostar. Será que ainda existem amores assim ? :)

Beijinhos

Meg said...

De Sophia creio que ninguém se cansa. É intemporal. E nunca é demais publicá-la, Maria do...
Já sabes.
E claro que gostei!
Um abraço

o alquimista said...

Ditosos são os amantes ao fim do dia, não deixam sombra na noite, trocam palavras, juras em harmonia, e o encanto floresce à cadência da palavra, explode no peito com fome de beijo, solto...

Bom fim de semana

Doce beijo

Mar Arável said...

No mar não existem por bem duas ondas iguais - é por issos que eu gosto do mar - diferente e em desafio inconformado - mesmo que nos doam os olhos

Nilson Barcelli said...

E apeteceu-te muito bem.
Gostei de reler.
Bfs, beijinhos.

João JR said...

e escolheste uma das minhas preferidas...Sophia é!!!!
Tenho um desafio para ti no meu blog...conto ctg para uma breve visita,ok?
Beijocas grandes

=^.^= Tarina =^.^= said...

Não sei.. mas á bem pouco tempo li este poema de sophia noutro blog.. é a certeza de que ela é fantástica. adoro os seus poemas!

=^.^=

Maria said...

Muito obrigada a todos quantos passaram por aqui e que lerem a Sophia...

Bom domingo
Beijinhos

collybry said...

Bom reler este lindo Poema de Sophia, bela Poetisa...E bela escolha tua...


meu doce beijo

Leticia Gabian said...

Maroca,
Que bom que temos Cecílias e Clarices, não é mesmo?

Beijo grande

Maria said...

collybry

Querida letícia

Obrigada por terem passado....
Beijos

Sininho said...

Sophia sempre eterna...

Beijinho

Claudia said...

Porque a ausência do poema posterior, também me fez lembrar Sophia...

Sei que percebes.

Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Ou numa terra nua

Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais funda do que a tua

Sophia de Mello Breyner


Beijo meu

Maria said...

sininho

Sempre Sophia...

Beijinhos

Maria said...

claudia

Adoro este poema de Sophia.
Nunca tive coragem para o postar, porque me dói mesmo...

Beijo presente

cuotidiano said...

Lamento ir contra a corrente, mas DETESTO Sophia! Acho dos maiores "blufs" da poesia nacional!

Leia-se Ruy Belo, Eugénio de Andrande, José Gomes Ferreira, seja o que for... mas Sophia... por favor!


Beijo


PS - Peço desculpa, mas não acho MESMO que seja uma grande poetisa...