Saturday, June 30, 2007

A Noite na Ilha


Dormi contigo a noite inteira junto do mar, na ilha.
Selvagem e doce eras entre o prazer e o sono,
entre o fogo e a água.
Talvez bem tarde nossos
sonos se uniram na altura e no fundo,
em cima como ramos que um mesmo vento move,
embaixo como raízes vermelhas que se tocam.
Talvez teu sono se separou do meu e pelo mar escuro
me procurava como antes, quando nem existias,
quando sem te enxergar naveguei a teu lado
e teus olhos buscavam o que agora - pão,
vinho, amor e cólera - te dou, cheias as mãos,
porque tu és a taça que só esperava
os dons da minha vida.
Dormi junto contigo a noite inteira,
enquanto a escura terra gira com vivos e com mortos,
de repente desperto e no meio da sombra meu braço
rodeava tua cintura.
Nem a noite nem o sonho puderam separar-nos.
Dormi contigo, amor, despertei, e tua boca
saída de teu sono me deu o sabor da terra,
de água-marinha, de algas, de tua íntima vida,
e recebi teu beijo molhado pela aurora
como se me chegasse do mar que nos rodeia.

(Pablo Neruda)

25 comments:

Papoila said...

A foto está linda e acompanhada por Pablo Neruda.. uma delicia.

Beijos

Maçã de Junho said...

Deves!

BEIJO
M

Mar Arável said...

Pablo Neruda - sempre

isabel victor said...

Maravilhas, Maria !
Bela poesia ...

Obrigada pela visita.

Vejo que no teu perfil tb referes " Cem anos de solidão " como livro marcante. Realmente é uma obra que nincase esquece !

Bom Domingo
Isabel

isabel victor said...

Queria dizer - ninguém mas saíu uma palavra muito estranha !

:)) sorry ...

poetaeusou said...

/
Nem a noite nem o sonho puderam separar-nos.
/
inté
/

antoniomaia said...

Ah pois é! Lindo!

Uma vénia, Maria
antoniomaia

Victor Nogueira said...

Olá
Sou ninguém e nada mais espero do que ser alguém que ajude a mudar o mundo para melhor, tarefa hérculea.
Pernta a febre de prémios e nomeações que de repente invadiu a blogosfera, nomeio o teu blog como «Defensor e Amante da Natureza» É uma nomeaçãoque vale tanto como eu, isto é, nada, salvo melhor opinião em contrário. A Imagem da distinção pode ser encontrada em
http://uei2005.blogs.sapo.pt/arquivo/1024843.html
Um abraço
VN

Nilson Barcelli said...

Um excelente poema, muito a propósito para o teu blogue e, por certo, também para ti.
Bom Domingo, beijinhos.

Victor Nogueira said...

Olha, Maria

Para evitar mal-entendidos, a minha nomeação é sincera e tem como base a tua excelente reportagem sobre as aves da ilha e sobre as flores que alegram o teu blog.
Bjo
VM

Victor Nogueira said...

Tri-Viva

E se o logotipo do meu prémio fosse «O Nascimento de Vénus", de Botticelli, como por exemplo surge em http://www.rubedo.psc.br/artemito/venus.htm ?

Acho que é um quadro perfeito!
Bjo
VN

Maria Valadas said...

Pablo Neruda... um dos meus favoritos!

Obrigada minha querida.

Bom Domingo

Beijinhos da

Maria

joão marinheiro said...

Por vezes os sonhos adormecem por dentro de n�s. Esp�cie de ilha. Nem o beijo mais beijo, ou a noite mais noite. S� o mar liberta e acorda...

(Pablo � enorme como o mar que nos une. )

Abra�o hoje que me sinto cansado...

Isabel José António said...

Boa Tarde Cara Amiga Maria,

Vim encontrá-la num comment no blogue do Antónioo Moinante.

E deparo com este poema de Pablo Neruda lindíssimo dedicado ao amor.

Parabéns pelo bom gosto de o escolher.

E deixo-lhe um pouco do que há de melhor em mim, a "queda" para a poesia (oxalá não me magoe nesta queda!)

Fiquei na ilha contigo
Que encantada estava de ti
Não vislumbrei nenhum perigo
Eramos um só! O mundo era ali

Deste-me a tua mão e ficámos
Entregues a todo o Universo
Não olhámos para trás e deixámos
Que o amor fizesse verso e reverso

Fundiram-se nossos olhares
Sempre nas mesmas direcções
Já não haviam os mesmos mares
Apenas o sangue nos corações

A Vida parou naquele instante
Enquanto nossas almas voavam
Não houve início, fim e durante
Apenas dois seres que estavam


Um grande abraço. Espero que goste.

Se nos quiser visitar também será benvinda.

José António

rosa dourada/ondina azul said...

A poesia de Pablo Neruda e a Ilha... paisagem perfeita.

Para ti, Maria, um beijinho e boa semana,

Maria said...

Muito obrigada a todos quanto passaram por aqui, para lerem o grande Pablo Neruda.

victor nogueira
Agradeço a nomeação que deste a este blogue como «Defensor e Amante da Natureza». Farei referência a tal um dia destes...

Sininho said...

Minha amiga Maria, estás fadada para todas as nomeações da blogosfera.
Comecei a ler o poema, pensando que era teu.
Queres melhor elogio?

Beijinho

Maria P. said...

Belíssimo!


Beijinho e boa semana*

Tiago said...

dormitei em sono,
teu sonho,
minha realidade...

beijo maria

Maria said...

Sininho

Até fiquei perturbada....
Bem que eu gostaria de ter escrito este pema, mas não me chamo Pablo Neruda......

Obrigada.
Beijinhos

Maria said...

Mais uma vez OBRIGADA por terem passado por aqui...

Beijos, Maria P.

Beijos, Tiago

Anonymous said...

Outro Poeta que sabia "fazer derreter" as mulheres.


Um beijo da

Maria Mamede

Anonymous said...

Olha não dei por nada, se calhar estava a dormir?!...
Beijinho do anónimo que anda um pouco desmemoriado, nem me lembro do meu nome.
Enquanto não responderes ao meu e-mail, e mesmo que entretanto eu morra, aparecerei por aqui e não só, para te desassossegar.

Maria said...

Maria Mamede

Também gosto dele... mas quem não gosta?

Beijo

Maria said...

anonymous das 5:25 PM

Não sei quem és, nem tenho nenhum e-mail para responder...
Passa sempre que quiseres, mesmo depois de morrerres... LOL
... porque não me desassossegas.