Friday, March 13, 2009

Brecht, ainda e sempre

Ouvimos dizer

Ouvimos dizer: Não queres continuar a trabalhar connosco.
Estás arrasado. Já não podes andar de cá para lá.
Estás muito cansado. Já não és capaz de aprender.
Estás liquidado. Não se pode exigir de ti que faças mais.

Pois fica sabendo:
Nós exigimo-lo.

Se estiveres cansado e adormeceres
Ninguém te acordará nem dirá:
Levanta-te, está aqui a comida.
Porque é que a comida havia de estar ali?
Se não podes andar de cá pra lá
Ficarás estendido. Ninguém
Te irá buscar e dizer:
Houve uma revolução. As fábricas
Esperam por ti.
Porque é que havia de haver uma revolução?
Quando estiveres morto, virão enterrar-te
Quer tu sejas ou não culpado da tua morte.

Tu dizes:
Que já lutaste muito tempo. Que já não podes lutar mais.

Pois ouve:
Quer tu tenhas culpa ou não:
Se já não podes lutar mais, serás destruído.

Dizes tu:
Que esperaste muito tempo. Que já não podes ter esperanças.
Que esperavas tu?
Que a luta fosse fácil?

Não é esse o caso:
A nossa situação é pior do que tu julgavas.

É assim:
Se não levarmos a cabo o sobre-humano
Estamos perdidos.
Se não pudermos fazer o que ninguém de nós pode exigir
Afundar-nos-emos.
Os nossos inimigos só esperam
Que nós nos cansemos.
Quando a luta é mais encarniçada
É que os lutadores estão mais cansados.
Os lutadores que estão cansados demais perdem a batalha.

(porque a Amigona mo lembrou um dia destes...)

30 comments:

samuel said...

E é sempre bom lembrar...

Abreijos

salvoconduto said...

Nada mais apropriado para o dia de hoje.

Abreijos.

Ana said...

Brecht, aqui, estaria pregando no deserto (e não me refiro à margem sul...). É que este país parece que já nasceu cansado.

Beijinho

Brancamar said...

Olá Maria,

Brecht sempre oportuno e nun´ca é demais recordar.
Beijinhos.
Branca

anamar said...

Bom presente Maria!!!
Gostaria de tropeçar em ti, em vós, ámanhã! Mas serei uma alma entre as muitas, em silencio, porque já não grito! Mas estou!
Ana

BlueVelvet said...

Por isso é que é tão difícil gritar.
Ele sabia das coisas.
Nem todos resistem, como tu.
Nem todos têm a mesma fé e as mesmas certezas que tu.
Beijinhos

Delfim Peixoto said...

E lembrou muito bem!


( hoje posso mandar um beijinho, salgado, da praia? Encontri-o na areia e não sei se terá vindo daí... rsrsr)

Carminda Pinho said...

Força, Maria.
Estarei contigo na luta, que afinal deveria ser de todos os que não esquecem Abril.

Beijos

vovó said...

... e hoje, também, é dia de luta!

estarei a trabalhar ( muito) com os "meus meninos", e a lutar ao lado deles!
logo, podes gritar por mim?...
obrigada!!
a luta continua!
beijocassssss

do zambujal said...

Ainda e sempre e parece que cada vez mais!

Até já!

A CONCORRÊNCIA said...

Quanto mais armas tem o inimigo mais dificil é lutar contra ele. Mas a força que nos dá aquilo em que acreditamos fará com que tenhamos forças sobre humanas para lutar .

Beijos grandes Maria

Arabica said...

Maria e fazes bem em nos lembrar.


Desistir de nós é aceitar a derrota do mundo.


Um beijo e bom fim de semana!

manzas said...

Provei o fel sabor de uma outra vida
Nas ruas desnudadas, lotes incertos do sem andar…
Caminhei pelos desertos secos de alma perdida
Entrando pela porta em que ninguém quer entrar

Passando para dizer,
Que me apraz aqui estar…
Que nesta sexta-feira treze,
Aconteça o que acontecer
Um bom fim-de-semana irá ser
E que o amor e paz possa reinar!

O eterno abraço…

-MANZAS-

Teresa Durães said...

Lindo poema!! Não conhecia e adorei!

Fernando Samuel said...

E nós não vamos perder a batalha - nem a de hoje nem as futuras...

Um beijo grande.

Maria P. said...

Sempre...

Beijinho, bom fim-de-semana, minha Maria*

Agulheta said...

Maria! Por alguns se acostumarem ao cançaso é que isto está assim,vamos à luta pois a luta no momento é de todos.
força Maria beijinho

Meg said...

Maria,
Como não estar de acordo com Brecht?
E logo hoje!

Beijo

Luis Bento said...

Entreiaqui através do infinito pessoal...entre a poética e a política... a estética de intervenção mexe com as coonsciências e não deixa ninguém indiferente. Belo espaço!

Cris Caetano said...

Sempre que me ¨canso¨ me vem isso à cabeça: ¨Que esperavas tu? Que a luta fosse fácil?¨ É o único jeito, não desistir nunca, tentar mudar sempre.

Beijinhos e bom fim de semana

Violeta said...

Bertold Brecht
sempre brechet. Adoro-o. Obrigada!

A.S. said...

Querida Maria, como são actuais as palavras de Brecht!...


Um beijo...

Apenas eu said...

é Maria não nos podemos deixar vencer pelo cansaço. Até podemos ter momentos de cansaço, estes meus dois últimos dias sabem disso.... mas toca a levantar e andar, ninguém vai á luta por nós.

beijos Grandes Muitosssssssssssss

Joao P. said...

Só uma palavra:

Obrigado

foi muito bom para mim.

Beijo

João P.

Filoxera said...

Continuar a batalhar. E combater, também, o próprio cansaço. É o que me esforço por fazer. Tu entendes-me.
Beijos.

C Valente said...

Bom fim de semana com saudações amigas

Maria said...

Muito obrigada por terem passado aqui.
Bom fim-de-semana a todos.

Beijos

paula barros said...

Temos que lutar e ter forças, quando desistimos de nós parece que o mundo todo desisti.

abraços

O Sibarita said...

Moça o Brech continua a frente do tempo mesmo!

Tudo que lermos dele verificamos isso mesmo e esse peoma não foge à regra!

Sabe tudo essa moça! kkkkk

bjs
O Sibarita

Maria said...

Este poema dá - nos força para continuar , não podemos desistir.