Friday, March 27, 2009

Tempo

Tropeço contigo a cada palavra. Sai-me da frente. Já não te posso ver nem de amarelo. Deixaste a roupa espalhada em cada canto, sabes o que vou fazer. Queimá-la. Para purificar este ar nauseabundo. Vou abrir as janelas e deixar entrar o Tempo. Sai-me da frente. Insistes em mandar mensagens, nem as leio nem as abro. Dás-te conta de tudo, mas insistes. Já te disse que não te quero ver. Não suporto as tuas perguntas a tua ironia o teu faz de conta está tudo bem. Sai-me da frente. Amanhã vou comprar flores. Brancas e vermelhas. E receber o Tempo de braços abertos e um cravo na boca.
Será que não percebeste que me despi completamente de ti?

41 comments:

Milu said...

Epá! Isso está mesmo mau! Sem qualquer hipótese de recuperação! ;)

samuel said...

O que tiver que ser...

Abraço

salvoconduto said...

Gosto de te ver vestida de flores, sejam elas brancas ou vermelhas.

Abreijos.

Vera said...

Pois... há quem nunca entenda...

Beijinhos e muitos cravos ;)

Joao P. said...

!

!

Quando uma mulher como tu desiste...

Após tanto texto lindo revelando tanta esperança e amor

Que te magoou tanto?

Olha, sabes que mais, é espairecer!

beijo

João

Maria said...

João

Quem disse que eu desisti? Não sou mulher de desistir. NUNCA!!!
São apenas as palavras que me saíram hoje...

Eu estou bem, e contente!
:)

Um beijo

Carminda Pinho said...

Mulher determinada, vale por duas.
"Receber o tempo de braços abertos e um cravo na boca..." cheira-me a liberdade, e lembra Abril que não tarda aí.

Beijos

O Sibarita said...

Valhei-me Deus!

Miseravona, desvertiu-se e ai? kkkkkk

Essa Maria, sei não, viu? Cada texto retado de bom, botando para se picar e eu sei lá quem? kkkkkk

Rapazzzzzzzzz... kkkk

ô mola traga a poesia sim! E sabe se não foi para você? Aiaiaiaia... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

bjs
O Sibarita

Valsa Lenta said...

Adorei o seu texto. Quantos de nós já não tivemos desabafos idênticos? E sabe bem... esse cravo na boca!

Felicidades

Só Eu said...

Ops! Sim. Vai à janela e deixa entrar o tempo. Compra flores brancas e vermelhas e, já agora, algumas azuis. Mantem esse cravo na boca. Purifica o ar e fica, sim fica, majestosamente despida de quem não te soube vestir.
Beijinhos
Ricardo

A CONCORRÊNCIA said...

Flores Maria, muitas flores, porque flores são sorrisos. Deixemos entrar o Tempo ...

Beijo grande

zmsantos said...

O Tempo, foi o que passou, e o que virá. Mas sobretudo é o de hoje, mesmo que seja de desencanto ou de raiva. Pinta-o com a paixão vermelha dos cravos e deixa-te envolver pelo aroma das flores, brancas e vermelhas.
Há tempos em que até a nossa pele nos incomoda...

Beijos.

do zambujal said...

... e depois há um fulano qualquer que parece que desabafa por outros lados!...
G'anda desabafo este teu. Com um cravo entre os dentes (mas não diziam que era un "couteau"?...
Gostei de ler a força em forma de post.

Abreijos

Leticia Gabian said...

O tempo é sempre novo no coração daqueles que desejam a igualdade entre todos.
Fazes bem ao se despir. Era o que todo este povo, desta terra, deveria fazer, também.
Que venham as flores, principalmente os cravos de Abril!

Beijo enorme, AIC

Delfim Peixoto said...

Nascer, crescer, morrer... são assim as flores, é assim o Tempo. E enquanto houver Tempo, há que viver, mesmo que se se morra constantemente.
Jnhs

Amaral said...

Este é o rompimento definitivo que se pretende e que se assume!
No virar de cada página, abrimos outros horizontes, mas é neste preciso momento que "apagamos" da realidade aquilo que "não queremos" e "escrevemos" aquilo que vamos desejar para o futuro...

Carol said...

Maria, minha querida

Raramento escrevo no teu blogue e por isso me "penitencio" ;). Leio com atenção as tuas palavras sábias, o que te vai na alma a cada dia ;)

Esta madrugada, a tua pena de escrita tão assertiva levou-te a estas palavras tão directas e certeiras ... uns podem entender como duras ... mas a inspiração está toda lá ... ui, como me apetece tantas vezes dizer estas mesmas palavras a algumas pessoas !!

Ehehe ... uma beijoca graaaande, carinhosa para ti ;)

Até logo :)

Filoxera said...

Boa ! Assim é que se fala!
Beijos.

Pitanga Doce said...

Vais deixar entrar o Tempo. O que virá com ele, Maria? Ninguém tem mais certeza de nada.

bom dia!

Pedro Branco said...

Sei dizer o mesmo só com duas palavras. Uma delas é "pó"!

Espero que estejas bem. Estou contigo.

Teresa Durães said...

hum... que adeus violento! Mas por vezes só vomitando todas as palavras

Pedro Branco said...

Fogo, Maria!

Que comentário mais foleiro, o meu. Desculpa.

É que me surpreendi com uma raiva tão... forte e poética, numa simplicidade perfeita.

Beijo-te.

BlueVelvet said...

Uma trova ao Tempo que se vive.
Cá para mim foi dele que te despiste para te vestires de branco e vermelho.
Muito sentida esta raiva.
Beijinhos

simplesmenteeu said...

Gosto quando te encontro.
Aqui e noutras esquinas e ruas...
Gosto de te ver assim, despida e de cravo na boca, porque essa é a tua verdadeira imagem.
E que muitas flores brancas e vermelhas encham e perfumem os teus dias. Suaves, leves e frescas como as tuas palavras.

Beijo grande. S.

Agulheta said...

Maria! Sinto nas palavras a determinação,mas não quer dizer que seja disistir? essa palavra nunca.
Beijinho bfs

Meg said...

Maria,

...E receber o Tempo de braços abertos e um cravo na boca.

Esperando que o Tempo traga outros tempos, não é verdade?

Um beijo

anamar said...

Maria, aquela nuvem cinzenta fez-me sentir que não estava fliz!! E pensei-a! pensei em procurar algo entre o azul e verde, ou vice-versa! Céu e mar.
Hoje na sua visita disse que estava bonito para passear junto ao mar!
Não passei do rio, o mar virá ámanha1 Mas pensei em si! Por isso vai sair qualquer coisa para poder amenizar essa raiva...
E ámanhã será outro dia!
Bj
Ana

Justine said...

Magnífico, Maria!! Que grito dorido e corajoso!

rosa dourada/ondina azul said...

Que o novo Tempo te ajude a vestir roupa nova do Tempo novo:)


Bom f d semana:)))


Beijinho,

Rosa dos Ventos said...

Que um Tempo novo chegue depressa!
Eu também preciso dele...

Abraço

Baila sem peso said...

...e o tempo está dentro do Tempo!
manda um sopro de vento
na barreira do caminho
veste a bandeira branca
enfeita-a de rosmaninho
e renova o teu olhar...

dançam as flores no alto da serra
a beleza do mar estão a olhar...

Maria...olha a dança e sorri!

Beijinho

pin gente said...

nem de amarelo?

hummmm

Anonymous said...

Maria,
Li hoje o post Tempo, assim, en jeito de versos de pé quebrado;

No devido Tempo
Mas nunca amanhã,
porque o tempo
Não tem tempo de amanhã
É tempo de momento.
Mas gostava de vê-la, Maria,
Vestida de flores brancas e
Vermelhas
Com um vestido
composto de alegria
e do próprio Tempo,
gritando,
a um momento
que não tem idade:
Tempo,
eu dou-te o cravo rubro.
E tu,
a Liberdade.

Aten

Vanda Paz said...

Espectáculo

Força aí amiga

Beijo

ลndreia said...

Por vezes atitudes têm que ser tomadas. Mas só esse abraço para receber o tempo, já vale tanto! *

Maria said...

Muito obrigada a todos que passaram aqui.

Bom fim-de-semana
Beijos

Fernando Samuel said...

De braços abertos e com um cravo na boca: a melhor forma de se receber o Tempo...


Um beijo grande.

Cris Caetano said...

É tão dolorido ter que dizer isso, mas tão necessário às vezes.

Beijinhos, Maria.

Arabica said...

Maria,


poderia ter sido escrito por mim.


Assim, com u grande ponto final.

fj said...

eu sei, eu sei!
só tenho pena de não gostares de flores verdes.
Vá! veste-te outra vez e recebe um beijo meu!
:))


Qt às 3 primeiras frases, as x apetece-me dizê-las!!

maré said...

e às vezes é preciso
.
imperiosa

a vontade de abraçar flores

e sol

tempo de cravos

_______

amei

bjs