Thursday, March 12, 2009

Porque te mentes?


Porque te mentes?
Porque dizes que de nada te lembras
quando eu sei que nada esqueces?
Porque não sais desse marasmo, dessa paz podre
e voltas à vida, aos sorrisos das manhãs claras
ou dos fins de tarde à beira mar?
Porque te mentes?
Porque insistes em negar tudo o que vivemos
se ainda te sinto em lágrimas nas minhas mãos?
Porque não apagas todas as palavras azuis
de sofrer e de dor e de angústia e desamor
e fazes renascer em ti o verbo amar?

36 comments:

Joao P. said...

Porque nem sempre vemos claro, apesar de tudo ser tão claro!

É esta a massa de que somos feitos

Beijo
João

Delfim Peixoto said...

glup... (hoje nem digo nada)!
jnhs


(desculpa o " apagar", mas fiquei sem "corrente")

salconduto said...

Só mente quem não sente, quem não vive, mente.

Abreijos.

anamar said...

De uma beleza infinita!!!
Não se já disse à Maria que a minha
lojinha é aqui ao lado!
Mar á Vista...
Apareça
http://maravista-anamar.blogspot.com

Cris Caetano said...

Talvez seja mais fácil fingir nao ter sentimentos, não mostrar a sua própria fragilidade.

Beijo grande

Carminda Pinho said...

Mentimo-nos tantas vezes, Maria...

Beijos

bettips said...

Mente,
como o mar.
Os marinheiros o sabem, de muito o navegar.
Bjinho

Ana said...

Há perguntas eternas para as quais nunta teremos as respostas...

Beijinho

Fj said...

Mentimos tantas vezes a nós proprios para não tomarmos decisões que aos olhos dos q estão de fora seriam as acertadas...mas depois não conseguimos...É dificil apagar, mesmo q sejam as tais palavras de dor e sofrer. mesmo essas as x tb nos fazem falta.

A CONCORRÊNCIA said...

Quantas vezes mentimos a nós próprios, para não mentirmos aos outros ...

Beijos Maria

Só Eu said...

Bem. Fica-se aqui a olhar o mar. Tão lindo, Maria.
Depois fica-se por aqui a ver serem apagadas as palavras azuis... Mais uma vez, tãi lindo, Maria.
Por fim permaneço aqui para beber dessas lágrimas que tu sentes.
Pela iltima vez, hije, tão lindo, Maria
(como tu és linda...)
Beijinhos
Ricardo

Amaral said...

Quando assim acontece, apetece dar um grande abanão e um grito bem forte.
Mentir a si próprio é daquelas coisas que só o desânimo e a prostração entendem...
Só pode renascer algo de melhor quando uma "pequena" ajuda se aliar à vontade de mudar...

© Piedade Araújo Sol said...

porque por vezes mentimos a nós próprios porque é mais comodo.

filosofia de vida ou de momento.

beij

maré said...

porquê???

perguntamos


e ninguém responde

do lado de lá o silêncio aquático

que doi, que imflama.


.
nas manhãs claras procuro essas respostas no espelho belíssimo da minha ria de Aveiro

_______

obrigada maria
e um beijo, azul

Mukanda said...

Tu és uma descoberta tão boa Maria.
Diante destas palavras...prefiro ficar em silêncio.
Um beijo grande Maria
Andreia Vilarinho Flórido

Maria P. said...

Só eu sei como me apetecia "roubar-te" estas palavras e...

Beijinho, minha Maria*

A.S. said...

Querida Maria... na Primavera tudo renasce... até o AMOR!...


Beijos

FERNANDA & POEMAS said...

QUERIDA MARIA, COMO TE COMPREENDO AMIGA... MAS PARA O AMOR EISTE MUITAS PRIMAVERAS, QUEM SABE NESTA???
ADORO-TE MENINA... UM GRANDE ABRAÇO DE AMIZADE,
FERNANDINHA

Teresa Durães said...

Não é mais simples mentirmo-nos? E não avançando, ficando nesse tal marasmo, não temos de enfrentarmo-nos.

Fernando Samuel said...

Perguntas tão pertinentes que, regra geral, não têm resposta...


Um beijo grande.

C Valente said...

Porque somos assim , simples resposta que não será a mais correcta.Correcto?
Saudações amigas

Justine said...

...porque às vezes é tão difícil percebermo-nos! Por isso mentimo-nos!
Até amanhã:))

Rosa dos Ventos said...

Porquê, Maria, porquê?
Lindo e triste o teu poema...

Abraço

Meg said...

Maria,

Tantos porquês, tantas perguntas sem resposta...
Mas é preciso insistir... amar é isso.

Um beijo

heretico said...

amoroso e amorável poema.

gostei muito

beijos

Apenas eu said...

Porque escreves assim Maria?
Porque nos deixas boquiabertos com as tuas palavras?
Porque consegues ser doce e certeira ao mesmo tempo.

Todos nos mentimos, uns mais dos que outros, mas todos, talvez para ver se a mentira vira verdade?

Fiquei deliciada com este teu poema.

beijos muitos meus

mdsol said...

bjs
:))

SILÊNCIO CULPADO said...

Maria

O ser humano é repleto de contradições. Nós queremos o que não temos, choramos o que perdemos e raramente valorizamos o que temos na mão.

Abraço

Filoxera said...

Hoje tudo pesa, cá dentro...
Deixo um beijo.

Zé dos Anzóis said...

Ás vezes gostava de acreditar qie o Outro existia mesmo, graças a Ele era possivel voltar por vontade divina colocar no teu caminho aquilo que mais queres e que tanto desejas, mas amiga nou sou lá grande crente e creio mesmo andarmos de candeias às avesas eu e Ele. No entanto sei que há algo que te posso dar, pois isso depende apenas de mim, e para ti vou ter sempre um enorme carinho e o melhor dos meus sorrisos, se caso disso fôr. Beijo
Za

Maria said...

Obrigada a todos por terem passado aqui.
Permitam-me que deixe um abraço especial à Filoxera, e outro ao Zé dos Anzóis. Nós sabemos porquê.

Beijos a todos

BlueVelvet said...

Já cheguei depois dos agradecimentos mas não faz mal.
Só para dizer que é lindo o que escreveste, mas as palavras que queres apagar são mesmo azuis???
Hoje deu-me para aqui:)
Beijinhos

Sunshine said...

Talvez porque a mentira, a fuga à realidade, pareça ser o caminho mais fácil.
Este teu poema tocou-me de um modo especial...revi nele uma fase da minha vida, ainda próxima.
beijinhos com raios de sol

Ana Oliveira said...

Apagadas as palavras azuis...fica-se na espera das palavras verdes, amarelas, vermelhas...que enxotam a dor e abrem o sol e o coração.

Um beijo

Ana

paula barros said...

Há quem negue os sentimentos, que tente escondê-los.

Gosto de ler.

abraços

O Sibarita said...

Ô é assim é? Não nego nada! kkkkkkkk

Essa dona menina bota prá lenhar nesse poema feito de interrogações! kkkkkkk

Beleza!

bjs
O Sibarita